Carille tira lições de derrota e nega relação entre perdas e período sem jogos

Carille tira lições de derrota e nega relação entre perdas e período sem jogos

Por Meu Timão

Carille ressaltou aprendizados com revés do Corinthians para o Vitória

Carille ressaltou aprendizados com revés do Corinthians para o Vitória

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

A primeira derrota do Corinthians na atual edição do Campeonato Brasileiro, para o Vitória, por 1 a 0, neste sábado, serviu de aprendizado ao técnico Fábio Carille. Em entrevista coletiva concedida na sala de imprensa da Arena Corinthians, palco do duelo, o treinador alvinegro lamentou o excesso de cruzamentos e a impaciência da equipe para criar situações de gol.

“Tirando mudanças e improvisações no fim do jogo, quando coloquei Jadson e recuei Gabriel, dificilmente vou desorganizar e sair da linha de trabalho. Se eu fizer algo diferente, as chances de conseguir algo são menores. (...) Esse jogo era de mais paciência, o jogo era pelos lados. Cruzamos muito no primeiro tempo e depois centralizamos demais, eles estavam fechados. Pedimos para que abrisse”, explicou Carille.

“Triste por hoje, já enfrentamos equipes que vieram fechadas, caso de Botafogo, Santos e São Paulo com resultados positivos, hoje não aconteceu, faz parte. Trabalhar para fazer um grande jogo em Chapecó”, acrescentou o técnico.

Leia também:
Carille admite tristeza após revés, mas destaca postura do Corinthians no Brasileirão
Balbuena leva terceiro amarelo, e Corinthians enfrentará Chape com zaga de jovens da base

O gol do Vitória foi marcado pelo atacante Tréllez. Aos 11 minutos da primeira etapa, o colombiano recebeu passe nas costas de Guilherme Arana, finalizou cruzado e contou com desvio do lateral-esquerdo para superar Cássio.

Entre outros assuntos, Carille comentou as duas substituições que fez por obrigação: Arana por Moisés (dores na coxa direita), já no intervalo, e Balbuena por Jadson (incômodo na coxa esquerda), aos 30 minutos da etapa final. Segundo o comandante do Timão, não há qualquer relação entre os sintomas apresentados pelos atletas e o período sem jogos (14 dias) da equipe antes do embate deste sábado.

“A questão da parada, se não tivéssemos um volume, intensidade no jogo, não aconteceria, porque desconfiguramos um pouco. Mas a intensidade foi alta, a preocupação de quando se faz é isso. Programamos bem esses dias, não tem problema nenhum. Quanto a Balbuena e Arana, eles já haviam sentido antes da parada, mas controlamos bem. São situações que já vêm acontecendo”, explicou Carille, que evitou reclamar de possíveis novos desfalques:

“O que vai acontecer é mudança de característica do atleta, só. É continuar com nossas convicções”, concluiu.

Com 47 pontos, o Corinthians aguarda o fim da 21ª rodada para saber sua vantagem em relação ao vice-líder Grêmio, que tem 39 e mede forças com o Atlético-PR na manhã deste domingo, em casa. O Timão volta a campo na quarta-feira, diante da Chapecoense, em jogo atrasado da 20ª rodada.

Veja mais em: Fábio Carille, Departamento Médico, Guilherme Arana e Balbuena.

Veja Mais:

  • Titulares que não jogaram na Argentina foram a campo nesta sexta

    Trio trabalha com bola e Corinthians deve ter força máxima no Majestoso

    ver detalhes
  • Fiel poderá comparecer novamente a um treino na Arena

    Na véspera do Majestoso, Corinthians promove treino aberto à torcida na Arena

    ver detalhes
  • Arbitragem tem sido assunto recorrente no dia-a-dia do Corinthians

    Levantamento: todos os erros contra e favor do Corinthians no Brasileirão 2017

    ver detalhes
  • Guilherme Arana não jogou na Argentina, mas volta no Majestoso

    Arana fala em ano perfeito com título do Corinthians e fracasso do São Paulo

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes