Timão enfrenta tabu contra o Emelec

Timão enfrenta tabu contra o Emelec

O Corinthians entra na fase mata-mata da Libertadores hoje com a missão de quebrar tabu: obter a primeira vitória diante do Emelec, a partir de 21h50, no Estádio George Capwell, em Guayaquil. A meta é evitar que os equatorianos sejam outro algoz, como ocorreu no ano passado com os colombianos do Tolima. Para isso, o time paulista tenta ao menos um empate com gols para depois garantir a classificação no Pacaembu, daqui a uma semana.
No único confronto entre as equipes, o Timão perdeu por 1 a 0. O jogo foi disputado no dia 13 de abril de 1966, no Estádio Nacional, em Guaiaquil.
Os corintianos não têm boas histórias em jogos fora de casa contra equatorianos. Em seis jogos, foram três derrotas (Emelec, Deportivo Cuenca e Nacional) e três vitórias (LDU, Barcelona e Espoli). No entanto, o retrospecto é favorável. Nos dez jogos, o Alvinegro venceu sete e perdeu três.
Na última vez em que o Corinthians enfrentou uma equipe equatoriana, em 2000, a torcida ficou feliz. No Equador, o Timão venceu por 2 a 0 e, em São Paulo, goleou (6 a 0). Só que a sequência foi trágica porque no mata-mata o time foi eliminado pelo rival Palmeiras, com o inesquecível pênalti perdido por Marcelinho Carioca.
No entanto, o técnico Tite olha o presente e diz que prefere sair do Equador com uma derrota com gols a empatar por 0 a 0. "Prefiro voltar para São Paulo com uma derrota por 2 a 1 do que com um empate sem gols", disse, referindo-se ao benefício do gol marcado fora de casa.
Em 2010, contra o Flamengo, no Maracanã, o Timão perdeu por 1 a 0 e Mano Menezes chegou a comemorar o resultado. Só que no jogo de volta os cariocas fizeram um gol na derrota por 2 a 1 e eliminaram os paulistas.
Para o confronto, o Corinthians deve ter pelo menos duas mudanças em relação ao time que vinha atuando. Cássio assume a vaga que era de Júlio César, enquanto que Willian será o atacante no lugar de Liedson. Ainda há a possibilidade de Chicão, que volta de contusão, dar lugar para Marquinhos.
EMELEC
A rivalidade no futebol chegou a níveis extremos. O clube proibiu que torcedores entrem no estádio usando qualquer vestimenta que tenha amarelo, cor do arquirrival Barcelona. Cartazes com a proibição foram espalhados em vários pontos da praça esportiva.
Em baixa, Liedson deve deixar o clube
Longe do bom momento vivido no ano passado, quando ajudou o Corinthians a conquistar o título brasileiro, Liedson não conseguiu convencer a diretoria a renovar seu contrato com tempo maior de duração e corre o risco de deixar o clube no segundo semestre. O vínculo termina em 31 de julho. O jogador sequer foi relacionado para o jogo de hoje, contra o Emelec, no Equador.
Dirigentes do Timão entendem não ser viável prorrogar o contrato do atacante por longo período. A intenção é estendê-lo até dezembro ou, no máximo, até meados de 2013 por acreditar que, com 34 anos, Liedson dificilmente conseguirá atuar em nível elevado. O atleta quer renovar por, no mínimo, duas temporadas.
A interrupção nas conversas aconteceu para que Liedson ganhasse tempo para ouvir outras ofertas, principalmente da Europa e do Oriente Médio. Por estar em fim de carreira, o jogador tem a necessidade de obter bons valores.
A temporada não começou muito bem para o atacante. Apesar de não sofrer com problemas físicos, como no ano passado, quando operou o joelho esquerdo, o desempenho técnico desabou. Fez apenas três gols em jogos oficiais. No amistoso contra o Flamengo, em Londrina, em janeiro, anotou um.
Com Adriano demitido e Elton também em baixa, o técnico Tite deu todas as chances para Liedson melhorar. Só que a paciência parece ter acabado com a eliminação diante da Ponte Preta no Paulista.
Edu é criticado por atraso em viagem
O gerente de futebol do Corinthians e ex-jogador Edu voltou a ser criticado por conselheiros do clube, agora por conta da falta de documentação do zagueiro Marquinhos no embarque para o Equador. Ele foi responsabilizado por oposicionistas pelo fato de o atleta só poder embarcar ontem, um dia depois dos colegas, porque se apresentou sem autorização dos pais para viajar desacompanhado, já que tem 17 anos.
A barbeiragem foi prato cheio para os cartolas, que alegam que o ex-jogador só assumiu o cargo por ser amigo de Andrés Sanchez. O ex-presidente era diretor das categorias de base quando o atual gerente começou a carreira no clube.
Conselheiros acham que a bobeada com Marquinhos demonstra que Edu não está preparado para a função. Alegam que, com o seu salário, seria possível pagar pelo menos três profissionais. Avaliam que ele ganha mais de R$ 120 mil mensais e já pediram detalhes do contrato à diretoria, quando Andrés ainda era o presidente. Dizem que não obtiveram resposta. "Se estou na presidência, demito na mesma hora. É obrigação do presidente, do vice e do diretor de futebol não deixar erros assim acontecerem", criticou Osmar Stábilie, um dos líderes da oposição.

Timão enfrenta tabu contra o Emelec

Fonte: O Diário do Grande ABC

Enviado por: Matheus

Veja Mais:

  • Willians tinha contrato por empréstimo até o fim da temporada

    Willians se despede de companheiros e não joga mais pelo Corinthians

    ver detalhes
  • Chapecoense está na Libertadores de 2017; Corinthians segue lutando por vaga

    Conmebol confirma título à Chape, e Libertadores-2017 terá ao menos oito brasileiros

    ver detalhes
  • Muricy atualmente trabalha como comentarista no SporTV

    Corinthians convidou Muricy Ramalho para ocupar cargo na base

    ver detalhes
  • Corinthians volta a jogar nesta segunda pela Liga Nacional

    Corinthians encara 'reforçado' Sorocaba na primeira final da Liga Nacional

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes