Loss vê ida de Andrés ao treino como sinal de confiança, mas classifica vitória como fundamental

Loss vê ida de Andrés ao treino como sinal de confiança, mas classifica vitória como fundamental

2.2 mil visualizações 33 comentários Comunicar erro

Andrés Sanchez e diretoria com Loss durante intervalo do treino

Andrés Sanchez e diretoria com Loss durante intervalo do treino

Rodrigo Vessoni / Meu Timão

Osmar Loss concedeu entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, véspera da terceira partida no comando do Corinthians. As perguntas, em sua maioria, foram sobre a sua situação depois de duas derrotas. E o treinador tirou de letra os questionamentos.

A começar pela presença do presidente do Timão, que acompanhou boa parte do treino na beira do gramado. Na visão de Loss, além de ser um fato normal por se tratar de Andrés Sanchez, o comandante viu como um sinal de confiança em seu trabalho.

"Não é natural os presidentes estarem tão presentes, mas Andrés sempre está. É corriqueiro. Roberto vinha um pouco menos. A confiança é desde o primeiro dia, diariamente reforça a confiança nos nomes que ele escolheu", avisou.

Leia também:
Sem Sheik e com Matias, Loss relaciona 21 jogadores para duelo na Arena Corinthians
Loss arma Corinthians com Pedrinho e Vital para jogo contra América-MG

Na sequência, Loss foi questionado se os dois resultados negativos em seus primeiros jogos (Millonarios e Internacional) tirou a confiança dos seus jogadores e de suas convicções. O treinador rebateu:

"Acho que não tem uma perda de confiança. Temos dois resultados que o Corinthians não vinha apresentando nas últimas temporadas, mas de fato uma vitória é muito importante para termos tranquilidade de trabalhar, para a torcida estar mais alegre. Vamos disputar grandes coisas, grandes objetivos neste ano. Com trabalho e dedicação, vamos conseguir", avisou.

Em relação à suposta pressão sofrida logo no início do seu trabalho no Corinthians, que é impensável em clubes da Europa, por exemplo, o jovem comandante garantiu que analisa de forma natural devido à tradição do futebol brasileiro e seus treinadores.

"Não em relação a cargo, isso é uma cultura no Brasil que devia ser mudada. Os resultados são fundamentais, mas é preciso avaliar desempenho, dia a dia. Os clubes que mais conseguem resultados são os que permanecem por mais tempo com jogadores e comissão. Mas a gente quer vencer tanto quanto a torcida quer", lembrou.

Veja mais em: Osmar Loss, Andrés Sanchez e Campeonato Brasileiro.

Veja Mais:

  • Corinthians de Fábio Carille deve chegar reforçado para temporada de 2019

    Retorno de Carille turbina padrão do Corinthians no mercado da bola; veja listas e compare

    ver detalhes
  • Thiago Neves desperta interesse no Corinthians

    Corinthians formaliza interesse em Thiago Neves e Sassá, relata Cruzeiro

    ver detalhes
  • Ramiro foi peça importantes nos últimos títulos do Grêmio

    Pai de Ramiro revela conversas adiantadas com o Corinthians e fala em acerto ainda nesta semana

    ver detalhes
  • Matias Ávila, diretor financeiro, e Roberto Gavioli, gerente financeiro, em coletiva nesta quarta-feira

    Corinthians confirma déficit em 2018, mas prevê explosão de receitas com TV e patrocínios

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes