Dodô, Sidcley, Cantillo e Michael: Corinthians toma decisão comum e não se importa com demora

73 mil visualizações 304 comentários

Duílio Monteiro Alves e Andrés Sanchez; diretoria do Corinthians não deseja aumentar ofertas já feitas por jogadores

Duílio Monteiro Alves e Andrés Sanchez; diretoria do Corinthians não deseja aumentar ofertas já feitas por jogadores

Rodrigo Vessoni / Meu Timão

O Corinthians contratou e oficializou até a manhã deste sábado apenas a chegada de Luan, ex-Grêmio. Mas a diretoria não parece preocupada com o passar do tempo e não vê a demora para um novo acerto como fator negativo nas negociações que estão em andamento.

Os interesses em Dodô, Sidcley, Cantillo e Michael seguem de pé. Assim como a decisão comum de permanecer com as ofertas iniciais, sem cair na pressão dos respectivos clubes e seus dirigentes, sempre em busca de aumentar os valores.

As propostas do Corinthians seguem na mesma. A saber:

  • Michel - oferta ao Goiás é de € 5 milhões (cerca de R$ 22 milhões), com a possibilidade ainda de emprestar até três jogadores aos goianos;
  • Cantillo - oferta ao Júnior Barranquilla-COL é de US$ 2 milhões (cerca de R$ 8 milhões), com pagamento em até quatro parcelas;
  • Sidcley - oferta ao Dínamo de Kiev é de empréstimo por um ano com pagamento integral do salário. Sem pagamento adicional ao clube ucraniano pela cessão temporária do jogador. Timão aguardará até meados de janeiro se for necessário;
  • Dodô - plano B para a lateral esquerda mas que, se vingar antes de Sidcley, se tornará o plano A. O jogador está perto de rescindir com o Cruzeiro, mas pertence a Sampdoria. Estafe, clube mineiro e clube italiano tentam resolver pendências financeiras. Timão aguarda;
  • Nikão - oferta de troca por Clayson e mais um dinheiro (não divulgado) não vingou. Athletico-PR pediu Camacho e Pedro Henrique, que Tiago Nunes não abre mão no Corinthians. Caso é dado, praticamente, como encerrado.

A decisão do Corinthians de não aumentar as ofertas passa por duas situações. A primeira é a atual condição financeira do clube, que não é das melhores e deve fechar com déficit alto no ano fiscal de 2019. A chegada de Luan, por exemplo, só foi possível devido ao aporte financeiro do BMG.

O segundo motivo é o fato de o Timão contar com a ajuda dos próprios jogadores que são alvos. O presidente Andrés Sanchez tem como filosofia de trabalho o lema de que "se o jogador quiser, não tem jeito". E confia que esse desejo pode ajudá-lo nessas tentativas citadas acima.

Veja mais em: Mercado da bola, Diretoria do Corinthians e Victor Cantillo.

Veja Mais:

  • Neo Química já foi patrocinadora máster do Corinthians na época de Ronaldo Fenômeno

    Neo Química, dona do naming rights, volta à camisa do Corinthians; saiba os detalhes 

    ver detalhes
  • Foi assim que o Corinthians de Mancini ajudou a mudar a história do Brasileirão 2020

    VÍDEO: Foi assim que o Corinthians de Mancini ajudou a mudar a história do Brasileirão 2020

    ver detalhes
  • Ex-Corinthians, Léo Príncipe cobra R$ 257,3 mil do clube na Justiça do Trabalho

    Ex-Corinthians, Léo Príncipe move ação contra o clube e cobra quase R$ 260 mil

    ver detalhes
  • Jô fez o terceiro do Corinthians na vitória contra o Sport

    Jô mantém ótima média na Neo Química Arena em jogos do Brasileiro; atacante fica perto da artilharia

    ver detalhes
  • 'Meio sinistro' | Vim parar na Neo Química Arena e não sei por quê | Isso é Corinthians

    VÍDEO: 'Meio sinistro' | Vim parar na Neo Química Arena e não sei por quê | Isso é Corinthians

    ver detalhes
  • Daniela Alves, técnica do time de base do Corinthians feminino, projetou o desempenho do Timão na competição nacional

    Daniela Alves vê Corinthians pronto para o Brasileiro Feminino Sub-18 e aposta em torneio disputado

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: