Duílio admite que protesto não é bom, mas normaliza pressão e dá razão para torcida: 'É válido'

1.2 mil visualizações 41 comentários Comunicar erro

Por Andrew Sousa, Rodrigo Vessoni e Vitor Chicarolli, na Arena Corinthians

Diretor repercutiu a presença de torcedores na porta do CT Joaquim Grava

Diretor repercutiu a presença de torcedores na porta do CT Joaquim Grava

Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Com menos de dois meses de temporada, o Corinthians já vive seu primeiro momento de turbulência. Nesta quarta-feira, cerca de 150 membros de torcidas organizadas foram ao CT Joaquim Grava para protesto, horas antes do empate por 1 a 1 contra o Santo André.

Questionado sobre o tema, o diretor de futebol Duílio Alves Monteiro não negou o peso negativo do ato que, segundo ele, é válido e de direito dos torcedores.

"O protesto é sempre válido, a torcida sempre comparece, apoia, canta os 90 minutos. É normal, não é bom, lógico, início de temporada, mas eles têm todo direito de protestar da da forma que fizeram hoje", pontuou o dirigente, um dos principais alvos dos cantos entoados pelos alvinegros presentes no gesto.

"Nossa torcida, não temos o que dizer. Apoiam sempre. Hoje (quarta-feira) foi um dilúvio e eles apoiando e cantando. Estão no direito deles de protestar, eles entendem que o time não vem bem, eliminação na Libertadores jogando bem, a torcida aplaudiu. Acho que isso causou até surpresa. Tentamos passar que são muitas mudanças desde o começo, futebol precisa de tempo, tranquilidade e convicção. Não pega de surpresa, apesar de ser cedo. Eles estão no direito e, desde que seja de forma pacífica, tudo bem. Eles nos dão apoio, só temos a agradecer", completou.

Leia também:
Corinthians pode terminar a rodada na lanterna do seu grupo; Tiago Nunes admite preocupação
Recado a Tiago Nunes, escolhas questionadas e críticas a atacante: Fiel repercute empate do Timão

Apesar das críticas, o diretor já saiu em defesa de Tiago Nunes e garantiu tempo de trabalho para o novo comandante, contratado com o intuito de implantar uma nova filosofia de jogo no clube. Depois do empate em casa, o técnico terá dez dias importantes para isso antes do próximo compromisso da equipe.

"O Corinthians é muito grande, a pressão sempre existiu e vai continuar até que a vitória apareça e os resultados venham, mesmo com equipe jogando bem. Temos que estar prontos para apoiar treinador, jogador, para eles poderem continuar trabalhando. Esses dez dias são bons para trabalhar, precisamos de tempo. A pressão vai ter até o resultado aparecer", concluiu.

O Timão, cabe destacar, só volta a jogar no dia 7 de março, fora de casa, contra o Novorizontino. Dependendo dos resultados da atual rodada, a equipe pode entrar em campo na lanterna do Grupo D do Paulistão.

Veja mais em: Duílio Monteiro Alves, Torcidas organizadas e Torcida do Corinthians.

Veja Mais:

  • Malcom se mostra otimista por sequência do Corinthians em 2020

    Ao Meu Timão, Malcom detalha pandemia na Rússia e diz ser questão de tempo para Corinthians engrenar

    ver detalhes
  • Araos é um dos pedidos de contratação de Sampaoli, do Atlético-MG

    Meia corinthiano entra na mira do Atlético-MG a pedido de Sampaoli, diz portal

    ver detalhes
  • Gabriel Strefezza jogou no Corinthians até chegar na categoria Sub-20

    Ex-Corinthians que faz sucesso na Itália relembra formação nas categorias de base do clube

    ver detalhes
  • Os gols mais emocionantes da Arena Corinthians na visão de quem estava lá

    VÍDEO: Os gols mais emocionantes da Arena Corinthians na visão de quem estava lá

    ver detalhes
  • [Rafael Castilho] Como você faz falta, Corinthians!

    ver detalhes
  • Neto voltou a falar sobre possível demissão de Tiago Nunes

    Neto afasta retorno de Mano do Corinthians, mas volta a citar Tiago Nunes pressionado

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: