Um grande passo na Calçada da Fama do Corinthians

Lucas Faraldo

Escrevendo sobre o Corinthians desde 2014

ver detalhes

Um grande passo na Calçada da Fama do Corinthians

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Opinião de Lucas Faraldo

2.7 mil visualizações 18 comentários Comunicar erro

Um grande passo na Calçada da Fama do Corinthians

Provas de maratona aquática são 'a praia' de Poliana

Foto: Wikimedia Commons

A nadadora Poliana Okimoto ganhará homenagem na Calçada da Fama do Corinthians - numa espécie de anexo da Calçada, voltado especificamente para atletas da natação. Pode parecer pouca coisa, mas após quase 50 homenagens do tipo ao longo da última década, pela primeira vez na história será uma mulher a receber tal honraria no Parque São Jorge.

Tá. Mas qual a importância de ser uma mulher ali?

Primeiro que não é só uma mulher: é uma atleta fora de série. Com três passagens pelo Corinthians no currículo, tem como resultados mais expressivos quatro medalhas mundiais (um ouro), duas pan-americanas e ainda uma olímpica - a primeira de uma nadadora brasileira.

Em outras palavras: Poliana é prova viva (e corinthiana) de que a mulher vem ascendendo no mundo esportivo - assim como no mundo de forma geral (viva o progresso da humanidade!).

Poliana Okimoto já tem uma raia com o seu nome no Parque São Jorge

Poliana Okimoto já tem uma raia com o seu nome no Parque São Jorge

Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Sabe esse sonho de menino de um dia ser jogador de futebol e defender assim o clube de coração? Pra gente soa muito mais natural imaginar assim mesmo: um menino. Culturalmente nossas meninas, via de regra, não são estimuladas a seguirem carreira esportiva.

Uma menina olhar para a calçada da fama do Corinthians e enxergar ali uma mulher é a possibilidade de essa mesma menina na verdade estar se projetando na figura dessa mulher. E receber assim, ali, organicamente, no Parque São Jorge, o estímulo que a elas ainda tanto falta.

Já era hora, é bem verdade. Mas não deixa de ser um grande passo do Corinthians num caminho mais progressista e de luta contra desigualdades (no caso, de gênero). Imagino que não demorará para as craques do supertime feminino também subirem ali na Calçada da Fama.

E, por ora, que muitas jovens futuras mulheres passem pelo Parque São Jorge (ou tenham acesso às notícias sobre a homenagem a Poliana) e se sintam à vontade para desejar se tornarem esportistas. Do Corinthians. Porque esse sonho não pode ser mais deles que delas. É de todos.

Veja mais em: Corinthians feminino, Natação e Parque São Jorge.

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Por Lucas Faraldo Knopf

Jornalista pela ECA-USP e ex-Esporte Interativo, Jovem Pan e Lance!. Hoje trabalha no Meu Timão. Autor do livro 'Impedimento - Machismo, racismo, homofobia e elitização como opressões no futebol'.

O que você achou do post do Lucas Faraldo?