BMG, Corinthians e o documento vazado... o que penso sobre esse evitável desgaste

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

ver detalhes

BMG, Corinthians e o documento vazado... o que penso sobre esse evitável desgaste relâmpago

BMG, Corinthians e o documento vazado... o que penso sobre esse evitável desgaste relâmpago

Dirigentes do Corinthians e do banco em coletiva no CT Joaquim Grava

Foto: Rodrigo Vessoni

26 mil visualizações 215 comentários Comunicar erro

O que é (ou foi) bom:

1) Ter um parceiro como o BMG, uma das grandes instituições financeiras do país;

2) O modelo de parceria, na qual tem participação direta do torcedor e sua paixão;

3) O percentual do lucro. Dividir 50% para cada lado é bastante honesto das duas partes;

4) A perpectiva de o valor ser gigantesco para a média de patrocínio master no futebol brasileiro;

5) O período de dois anos, com possibilidade quase automática de mais três anos em caso de sucesso.

O que é (ou foi) ruim:

1) A falta de transparência no anúncio da parte financeira. O que custava dizer desde o início: "Acordamos R$ 12 milhões fixo, mas nosso foco é no complemento que virá da torcida, que pode nos render 40, 50.. até 60 milhões de reais. Pedimos ajuda da Fiel. E eles confiam tanto na gente que nos anteciparam R$ 30 milhões";

2) Os R$ 12 milhões como ponto de partida. Um patrocinador máster do clube de maior exposição na mídia do Brasil e do estado mais rico do país não pode ser isso como inicial. De jeito nenhum. A Caixa pagava R$ 30 milhões sem possibilidade de ganho futuro? Ok. Então, diante da chance de divisão do lucro, o ponto de partida deveria ser de R$ 20, 22 milhões;

3) A "certeza absoluta" de alguns torcedores de que isso é rolo, roubo, etc. As coisas não funcionam assim. Há órgãos dos dois lados que estão aí exatamente para evitar esse tipo de coisa. Do banco, o Banco Central do Brasil (BCB) – mais conhecido como BACEN – que se trata de um órgão regulador de bancos e instituições financeiras. Do Corinthians, o Conselho Deliberativo, o Conselho de Orientação (Cori) e o Conselho Fiscal, inclusive, com membros da oposição como participantes;

Bem, é isso que penso. Agora, diante dos três itens negativos acima, cabe ao BMG e ao Corinthians reverterem a situação.

Veja mais em: Patrocinador do Corinthians e Ações de marketing.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?

  • 1000 caracteres restantes
  • Melhores comentários

    Foto do perfil de sergio

    Ranking: 553º

    Sergio 1614 comentários

    por @srpardo

    Me senti enganado como fazem todos os políticos com os brasileiros

  • Foto do perfil de frank

    Ranking: 2917º

    Frank 376 comentários

    por @frankbtos

    Vou falar de novo, o Patrocínio foi de 12 milhões, uma mixaria, o restante é outro produto, poderia ser anunciado separado, mas ai ficaria feio demais.

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Sam

    Ranking: 9870º

    Sam 73 comentários

    215º. por @samrodrigues

    Não somos robôs, não conseguimos controlar tudo isso sempre.

    Foto do perfil de Frede

    Frede 1031 comentários

    26/01/2019 às 10h02 por @frede.alves

    Isso depende de você querer acreditar ou não.

  • Foto do perfil de Jurandir

    Jurandir 43 comentários

    214º. por @jurandir72

    Daqui a pouco eles väo cobrar imposto da torcida...

    Eles são os espertos, nós os otários... Eles se enchem de grana, nós só de decepcao...

    A conta ja' chegou uma vez... Estão esperando chegar novamente? Em 2018 foi por um triz, na penultima rodada...

    Bi-rebaixados nas mãos da mesma pessoa é ruim... Com certeza "há algo de podre no reino da Dinamarca"...

    Foto do perfil de Diego

    Diego 500 comentários

    28/01/2019 às 19h08 por @diego.jp

    Tentaram esconder essa parceria Fraca, não é a nível de Corinthians, receberam uma adesão de 30 milhões para ser descontado no ano seguinte e com futuras receitas entre time e patrocinadora, como sempre a torcida tem que salvar o clube seja na bilheteria, na adesão de camisas, produtos e agora até conta em banco

  • Foto do perfil de Jurandir

    Jurandir 43 comentários

    213º. por @jurandir72

    Parabéns, foi no ponto.

    Só um inconsciente vai participar dum plano desses. Afinal quem garante que os 50% irão de fato para o Corinthians?

    Foto do perfil de José

    José 69 comentários

    31/01/2019 às 23h22 por @tello

    A participação do torcedor no plano é equivalente a dar um aval de confiança ao Andrés.

    O Meu Timão poderia pagar um instituto sério de pesquisa para descobrir o percentual de corinthianos que confiam na idoneidade da diretoria do Corinthians.

  • Foto do perfil de José

    Ranking: 10217º

    José 69 comentários

    212º. por @tello

    A participação do torcedor no plano é equivalente a dar um aval de confiança ao Andrés.

    O Meu Timão poderia pagar um instituto sério de pesquisa para descobrir o percentual de corinthianos que confiam na idoneidade da diretoria do Corinthians.

  • Foto do perfil de Kleverson

    Ranking: 2802º

    Kleverson 394 comentários

    211º. por @kleverson.albuquerqu

    Poise até entrariam sim se a diretoria fosse honesta ué se você tá apoiando vai lá no BMG horas e abre a conta faca empréstimo e tudo mais tudo em prol do Corinthians mas você não fala por milhões né cada tem uma opinião respeito a sua mas não concordo apoia quem não fala a verdade

    Foto do perfil de Kleverson

    Kleverson 394 comentários

    26/01/2019 às 01h21 por @kleverson.albuquerqu

    Discordo de você se o Corinthians pedisse aos seus torcedores 50 reais anuais somos milhões uma nação não tenho dúvida que iamos chegar a 100 milhões brincando o Corinthians precisa de patrocínio sim mas que pague o que vale caso contrário convoca a fiel que vai dar muito melhor que esse BMG só usar a cabeça coisas que eles não fazem só fazem cagada pra deixar nos com vergonha

  • Foto do perfil de Ramon

    Ranking: 16º

    Ramon 19338 comentários

    210º. por @ramon.felipe1

    Desgaste a toa, tinha que ser mais transparente.

  • Foto do perfil de Diego

    Ranking: 2249º

    Diego 500 comentários

    209º. por @diego.jp

    Tentaram esconder essa parceria Fraca, não é a nível de Corinthians, receberam uma adesão de 30 milhões para ser descontado no ano seguinte e com futuras receitas entre time e patrocinadora, como sempre a torcida tem que salvar o clube seja na bilheteria, na adesão de camisas, produtos e agora até conta em banco

  • Foto do perfil de Felipe

    Ranking: 70º

    Felipe 6844 comentários

    208º. por @lipao88

    De fato fiquei meio sem entender... Mass...

  • Foto do perfil de Marcos

    Ranking: 2981º

    Marcos 366 comentários

    207º. por @marcos1nd

    O problema é que tem quem acha que os tais 50% de lucro da operação trará oceanos de dinheiro para o clube. Vamos aos números oficiais. Primeiro, o BMG não pode ser chamado de grande banco. Seu lugar no ranking nacional é 27º lugar (Valor Economico: https://www.valor.com.br/valor1000/2017/ranking100maioresbancos). É um banco regional de Minas e só, não se iludam. Possui pouco mais de 2 dezenas de agencias (https://www.bcb.gov.br/acessoinformacao/legado?url=https:%2F%2Fwww4.bcb.gov.br%2Ffis%2Fcosif%2Frest%2Fmostrar-instituicao.asp#?cnpj=61186680). Sem avaliar o passado, apenas em números atuais, o BMG divulga que até o 3º tri/2018 tinha um lucro acumulado de 130 milhões (http://bancobmg.mzweb.com.br/wp-content/uploads/sites/88/2018/10/BMG_Release_3T18.pdf) e que sua taxa de crescimento em 2018 tem uma média de 18% em relação ao 2017. Contra números não há argumento. É um banco pequeno e 30 milhões de loucos não fazem milagres.

  • Foto do perfil de Jefeh

    Ranking: 1425º

    Jefeh 757 comentários

    206º. por @jefeh.cordeiro

    Gente sem um fixo, o clube participa dos lucros do banco com a exposição da marca na camisa. Já com um montante fixo o clube só recebe aquele valor e só, os lucros ficam com o banco. Antes R$12mi de calço tendo a possibilidade de o clube receber, 30,40,50,60mi com participação direta nos lucros do banco como sócio papando 50% dos lucros, do que ganhar um montante fixo e n participar dos lucros com banco. Vocês acham melhor 12mi + 50% dos lucros ou 30mi e nenhuma participação com os lucros e o banco papando tudo sozinho? Parem e pensem antes de saírem acusando tudo e todos. Rosenberg disse que com o engajamento de 200k de torcedores pelo app exclusivo, geraria aproximadamente R$40mi(divide esse montante por dois(50%) R$20mi(50% do lucro)+12mi(fixo)= R$ 32mi de patrocínio/ano. Se n conseguirem entender agora, sinto muito mais vocês tem serios problemas cognitivos... Só ligar os pontos um ao outro. Caso contrário é explicar o óbvio.