Cassio: os números que espantam

Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

ver detalhes

Cassio: os números que espantam

Coluna do Walter Falceta

Opinião de Walter Falceta

9.1 mil visualizações 97 comentários Comunicar erro

Cassio: os números que espantam

Cassio: aproveitamento espetacular na galeria dos gigantes

Foto: Agência Corinthians

É absolutamente curioso que parte da torcida do Corinthians ainda não dedique a Cassio Ramos a devida reverência. Por que será?

Em uma enquete sobre os goleiros mais queridos da Fiel, seria bem possível que o rapaz de Veranópolis perdesse para o carismático Ronaldo, para o dedicado Gylmar ou para o generoso Tuffy.

Se a questão, no entanto, é desempenho, cabe uma justa homenagem a Cassio, simplesmente o arqueiro com o melhor aproveitamento dentre nossos mais destacados guarda-metas.

Ao impedir que a meta corinthiana fosse vazada pelo Galo, nesta quarta-feira , 2 de Agosto, em Belo Horizonte, o gaúcho completou 300 partidas pelo Timão, nas quais foi vencido apenas em 226 oportunidades.

É uma média espetacular, de apenas 0,75 gol tomado por partida.

É sintomático que tenha média parecida com a de outros dois arqueiros que raramente são lembrados pela torcida, especialmente pelos mais jovens: Jairo e Tobias.

Ambos foram fundamentais nas proezas da década de 1970 que recolocaram o Corinthians entre os vencedores do futebol nacional.

No caso de Cassio, vale dizer que não sofreu gol em 144 das partidas que disputou, ou seja, em 48% delas.

Sem sua intervenção, no chute de Diego Souza, na partida contra o Vasco, em 2012, provavelmente não teríamos levantado nosso primeiro caneco continental.

Também é certo que foi figura decisiva na partida em que, diante do Chelsea, conquistamos nosso segundo Mundial FIFA.

Cassio já defendeu 10 pênaltis no Timão, dois deles cobrados pelo arrogante sãopaulino Rogério Ceni. Só se coloca atrás de Gylmar, que teve sucesso em 11 oportunidades. A diferença é que esse número foi obtido em 395 partidas. Detalhe: tratamos aqui somente de cobranças durante os 90 minutos.

Nosso arqueiro já viveu um período menos brilhante, em 2016. Mas teve a nobreza de se desculpar, como quando tomou um gol do atacante Grafite, em nossa vitória por 2 a 1 sobre o Santa Cruz, em Itaquera.

Com trabalho e humildade, superou os problemas físicos e as dificuldades familiares, constituindo-se na base segura para o time que já venceu o Paulistão e que agora caminha a passos largos para a conquista do heptacampeonato brasileiro.

Obrigado, Cassio, você é um gigante!

Siga firme, exercitando-se nas virtudes corinthianistas: garra, empenho e respeito pelo nosso povo. Estamos contigo!

Coluna do Walter Falceta

Por Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

O que você achou do post do Walter Falceta?