Dois que vão, um que passa

Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

ver detalhes

Dois que vão, um que passa

Dois que vão, um que passa

Rodriguinho: embalos de um sábado à tarde

Foto: Corinthians TV

6.0 mil visualizações 56 comentários Comunicar erro

1) Está nos olhos do Palestra, como se reproduzisse o próprio hino: sabe bem o que vem pela frente, que a dureza do prélio não tarda. Piscou, dança! Sente-se o rival incomodado com a lembrança daquele implacável mosaico. No fundo, sabe, 51 é aguardente. Bi da FIFA, no Brasil, tem apenas um.

2) Em Itaquera, Felipe Melo equipara a valentia a seu talento. Tudo em miniatura. Não ganha nada. Nem o aperto de mão de Clayson. Equivoca o passo.

3) Mal se concluiu o Carnaval e o Timão já apresenta a quadrilha junina. Anarriê, alavantu e balancê. Um minutos e vinte três segundos de traquinagem com a bola. 29 costuras. E o Palestra assistindo...

4) Até que a pelota resolve constituir parceria com Rodriguinho. O corpo dá a volta em si mesmo. Dois que vão, um que passa. E a Sul vê a rede estufar-se de espanto.

5) Vem o segundo tempo e o esquadrão Crefisa procura alguma ginga. Aventura-se. Mas logo responde o Coringão, novamente, em contradança, arreliando bonito o proscênio gramado. Desesperado, Jaílson esculhamba a coreografia. Cravos dolorosos em Renê Junior.

6) O verde recorre ao roteiro comum. Dudu conduz seu teatro costumeiro. Bola na cal, resolve que é melhor fugir de cena. Busca adesão. Não rola.

7) Jadson faz o passo em falso, que é para garantir a emoção. Afinal, precisa seguir o bailado aos 42 mil da plateia.

8) Os palestrinos reagem com alguma energia, mas sem ritmo e cadência. Logo, o mesmo Dudu pretende atravessar as pernas do adversário que invade seu palco. Trava-se a banda. Silêncio. Agora, é um contra outro. Pimba, salta toda a Norte.

9) Borja delibera punir o exercício lúdico dos donos da casa. A Fiel se encanta com o conjunto de Carille. Uma bandeira se ergue do povo. O mastro é uma muleta.

10) A torcida comanda o espetáculo: olé, olé, uuuuolé... É a quarta vitória consecutiva sobre o rival da outra ponta da linha vermelha do Metrô. Este ano, mais adiante, vamos fazer 125 e igualar a conta.

11) Passa um, passa dois, pisam cá e acolá. Parece mesmo um São João prematuro. E o apitador, para não magoar demais os dançarinos de pé murcho, aponta o centro do terreiro. Finda-se o tormento visitante. É hora, como sempre, de cantar lorota e lamento.

Veja mais em: Dérbi.

Coluna do Walter Falceta

Por Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

O que você achou do post do Walter Falceta?

  • 1000 caracteres restantes