Dois que vão, um que passa

Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

ver detalhes

Dois que vão, um que passa

Coluna do Walter Falceta

Opinião de Walter Falceta

6.0 mil visualizações 56 comentários Comunicar erro

Dois que vão, um que passa

Rodriguinho: embalos de um sábado à tarde

Foto: Corinthians TV

1) Está nos olhos do Palestra, como se reproduzisse o próprio hino: sabe bem o que vem pela frente, que a dureza do prélio não tarda. Piscou, dança! Sente-se o rival incomodado com a lembrança daquele implacável mosaico. No fundo, sabe, 51 é aguardente. Bi da FIFA, no Brasil, tem apenas um.

2) Em Itaquera, Felipe Melo equipara a valentia a seu talento. Tudo em miniatura. Não ganha nada. Nem o aperto de mão de Clayson. Equivoca o passo.

3) Mal se concluiu o Carnaval e o Timão já apresenta a quadrilha junina. Anarriê, alavantu e balancê. Um minutos e vinte três segundos de traquinagem com a bola. 29 costuras. E o Palestra assistindo...

4) Até que a pelota resolve constituir parceria com Rodriguinho. O corpo dá a volta em si mesmo. Dois que vão, um que passa. E a Sul vê a rede estufar-se de espanto.

5) Vem o segundo tempo e o esquadrão Crefisa procura alguma ginga. Aventura-se. Mas logo responde o Coringão, novamente, em contradança, arreliando bonito o proscênio gramado. Desesperado, Jaílson esculhamba a coreografia. Cravos dolorosos em Renê Junior.

6) O verde recorre ao roteiro comum. Dudu conduz seu teatro costumeiro. Bola na cal, resolve que é melhor fugir de cena. Busca adesão. Não rola.

7) Jadson faz o passo em falso, que é para garantir a emoção. Afinal, precisa seguir o bailado aos 42 mil da plateia.

8) Os palestrinos reagem com alguma energia, mas sem ritmo e cadência. Logo, o mesmo Dudu pretende atravessar as pernas do adversário que invade seu palco. Trava-se a banda. Silêncio. Agora, é um contra outro. Pimba, salta toda a Norte.

9) Borja delibera punir o exercício lúdico dos donos da casa. A Fiel se encanta com o conjunto de Carille. Uma bandeira se ergue do povo. O mastro é uma muleta.

10) A torcida comanda o espetáculo: olé, olé, uuuuolé... É a quarta vitória consecutiva sobre o rival da outra ponta da linha vermelha do Metrô. Este ano, mais adiante, vamos fazer 125 e igualar a conta.

11) Passa um, passa dois, pisam cá e acolá. Parece mesmo um São João prematuro. E o apitador, para não magoar demais os dançarinos de pé murcho, aponta o centro do terreiro. Finda-se o tormento visitante. É hora, como sempre, de cantar lorota e lamento.

Veja mais em: Dérbi.

Coluna do Walter Falceta

Por Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

O que você achou do post do Walter Falceta?