Cabeção, ex-jogador do Corinthians

Luiz Morais

1930-08-07

Jogador de futebol

Male

Informações pessoais

Nome completo: Luiz Morais

Posição: goleiro

Data de nascimento: 07 de agosto de 1930

Idade: 91 anos

Estatísticas de Cabeção com a camisa do Corinthians

Jogos pelo Corinthians: 326

Jogos como titular: 310

Scout: 192 vitórias, 69 empates e 65 derrotas

Títulos de Cabeção conquistados no Corinthians: 8 relembre

  • Taça São Paulo 1962
  • Torneio Charles Miller 1958
  • Torneio Rio-São Paulo 1954
  • Torneio Charles Miller 1954
  • Paulista 1954
  • Pequena Taça do Mundo 1953
  • Taça São Paulo 1953
  • Paulista 1951

Gols de Cabeção pelo Corinthians: 0

Estreia de Cabeção pelo Corinthians

Cabeção estrou no Corinthians em 01 de maio de 1949. Em seu primeiro jogo pelo Timão, o Corinthians venceu São Caetano Esporte Clube por 3 a 1, em partida amistosa. Na ocasião, o jogador de 18 anos começou a partida no banco de reservas.

Recordes e marcas de Cabeção pelo Corinthians

Estatísticas de Cabeção no Corinthians por temporada

que atuaram pelo
Ano Jogos Gols Amarelos Vermelhos
1949 4 0 0 0
1950 21 0 0 0
1951 26 0 0 0
1952 18 0 0 0
1953 43 0 0 0
1954 20 0 0 0
1958 35 0 0 0
1959 25 0 0 0
1960 48 0 0 0
1961 23 0 0 0
1962 23 0 0 0
1963 15 0 0 0
1964 5 0 0 0
1965 19 0 0 0
1966 1 0 0 0

Estatísticas de Cabeção no Corinthians por competição

que atuaram pelo
Competição Jogos Gols Amarelos Vermelhos
Campeonato Paulista 137 0 0 0
Torneio Rio-São Paulo 49 0 0 0

Biografia

Luiz Morais, mais conhecido como Cabeção (São Paulo, 7 de agosto de 1930, registrado em 23 de agosto de 1930) foi um ex-jogador de futebol brasileiro que atuava como goleiro.

Na primeira metade da década de 1950, o único goleiro capaz de fazer frente a Gilmar, considerado o melhor do país, também era corinthiano. Cabeção chegou ao Parque São Jorge aos oito anos e, aos 12, atuava no time infantil do clube.

Em 1949, subiu para a equipe principal na mesma leva de Roberto Belangero, Luizinho e Idário. Ágil, seguro e tranquilo, Cabeção era reserva de Bino na conquista do Rio-São Paulo de 1951, quebrando um Jejum de 10 anos. Contratado naquele ano, Gilmar havia perdido a posição mas a recuperou no ano seguinte, deixando Cabeção no banco durante toda campanha do Bicampeonato Paulista em 52.

Dizia-se que no jogos disputados à noite, Cabeção não conseguia enxergar a bola e não apresentava a mesma eficiência. Mesmo assim, ele voltou ao gol corinthiano em duas ocasiões: em 1953, quando Gilmar disputou o Campeonato Sul-Americano no Peru, com a Seleção Brasileira; e em 1954, quando Gilmar se lesionou e Cabeção aproveitou a chance para garantir, também, um lugar na Copa do Mundo da Suíça, como reserva de Castilho, do Fluminense.

Depois de perder mais uma vez a vaga para Gilmar, durante o Paulista IV Centenário, Gilmar pediu para ser negociado. O goleiro atuou por empréstimo e, depois, repassado por definitivo para outros clubes como Bangu, Portuguesa e Comercial de Ribeirão Preto.

Retornou ao Corinthians em 1958 para jogar por mais oito anos, até 1966.

Últimas atuações de Cabeção pelo Corinthians

Como foi o Cabeção jogando no Corinthians?

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

x