Depois de usar Timão para se promover, Klar atrasa pagamento de outros patrocínios

Depois de usar Timão para se promover, Klar atrasa pagamento de outros patrocínios

Por Meu Timão

Parceria com a Klar foi anunciada em dezembro de 2015

Parceria com a Klar foi anunciada em dezembro de 2015

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

A Klar, que entre o final de 2015 e o começo de 2016 esteve envolvida em um acordo de patrocínio com o Corinthians, atualmente está vinculada a dois patrocínios esportivos. No entanto, as parcerias apresentam problemas. A informação é do portal Máquina do Esporte, que afirma que a marca não pagou o combinado ao time de vôlei feminino do Pinheiros e à equipe RZ Motorsport, da Stock Car.

Ainda segundo a publicação, oficialmente as duas equipes não admitem por temerem que o contrato possa ser quebrado e que, realmente, elas sejam prejudicadas. Mantendo a marca exposta em suas propriedades comerciais, os times esperam que a situação seja resolvida.

De acordo com a matéria, o presidente da Klar, Marcelo Prado, pediu que a notícia não fosse publicada e que, apesar de o patrocínio com o Corinthians ter sido suspenso devido aos produtos da marca ainda não terem chegado ao mercado brasileiro, a empresa ainda mantém vínculo com o clube do Parque São Jorge – o que foi negado por Gustavo Herbetta, superintendente de marketing do Timão.

Relembre o histórico da parceria entre Klar e Corinthians

O patrocínio da Klar foi oficialmente anunciado no dia 2 de dezembro. Inicialmente, a marca foi estampada nas mangas do uniforme corinthiano. Não foram divulgados muitos detalhes da parceria, apenas que o contrato era de dois anos.

A partir daí a marca passou a ganhar grande exposição e chamou ainda mais atenção nas próximas semanas. Uma semana depois de o patrocínio ter sido anunciado, Marcelo Prado gerou grande expectativa ao afirmar que a empresa estava interessada em ter uma relação ainda mais estreita com o Timão, passando a investir na contratação de jogadores, investir no futsal, fazer investimentos anuais consideráveis e, inclusive, estava na briga pelos naming rights da Arena Corinthians.

As declarações geraram grande repercussão, mas não foram muito bem aceitas pela alta cúpula do clube do Parque São Jorge. Publicamente, Roberto de Andrade, presidente do Corinthians, fez questão de criticar a postura de Marcelo e esclarecer os fatos. Em entrevista coletiva, Roberto reiterou que a Klar era “apenas um patrocinador de uma parte do uniforme do Corinthians”.

O contrato entre Klar e Corinthians passaria a valer a partir de março, e o clube estudava a melhor forma de expor a marca em seu uniforme, já que inicialmente isso não estava estipulado nas negociações.

No entanto, em abril, Herbetta confirmou que a parceria não tinha evoluído e que havia chegado ao fim. Ao explicar sobre o motivo de o clube não estampar a marca na atual temporada, o dirigente explicou que foram negociadas propriedades especificas para a pré-temporada, na Flórida, e que a Klar queria a propriedade na camisa (os números) que era da Tim. Porém, a empresa de telefonia acabou cobrindo a proposta e fechou com o Timão.

Veja Mais:

  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes
  • Maycon conta com o aval de Oswaldo de Oliveira para retorno

    Retorno de Maycon minimiza necessidade por contratação de volante no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes