BNDES ainda não recebeu pedido por novo prazo em prestações da Arena; Caixa deve ser 'garantia'

BNDES ainda não recebeu pedido por novo prazo em prestações da Arena; Caixa deve ser 'garantia'

Por Meu Timão

Caixa é quem arcará com possível atraso nos pagamentos de empréstimo ao BNDES

Caixa é quem arcará com possível atraso nos pagamentos de empréstimo ao BNDES

Foto: Agência Corinthians

As contas da Arena Corinthians seguem em pauta após dois anos da inauguração do estádio. Em reportagem publicada nesta terça-feira pelo portal da Espn, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) "respondeu" à questão levantada por Andrés Sanchez no último domingo. De acordo com o órgão, o Corinthians não solicitou aumento da carência, ou seja, do prazo para pagamento das prestações do empréstimo que possibilitou a construção do estádio.

"Um eventual aumento de carência tem de ser negociado entre o cliente final [Corinthians] e o agente financeiro repassador dos recursos [Caixa]. Caso o agente aceite por tal extensão, deve submetê-la à anuência do BNDES. Até o momento, não houve nenhum pleito ao BNDES nesse sentido", afirmou o BNDES.

Em entrevista concedida na Arena no último domingo, Andrés Sanchez, homem-forte por trás da construção da Arena, afirmou que a última parcela do empréstimo de R$ 400 milhões feito pelo BNDES foi paga em março. O "atraso" na parcela de abril está ligado à estratégia do clube de prorrogar o prazo para pagamento do empréstimo, sob justificativa de que demais estádios da Copa do Mundo de 2014 tiveram maior carência.

"Pagamos até março. Em março fizemos o pleito na Caixa. A Caixa bloqueou os pagamentos a partir de abril e, assim que assinar a prorrogação, desde abril estará prorrogado. Então não está em débito", declarou o ex-presidente do clube.

Vale destacar que o BNDES não ficará no prejuízo, independente de atrasos ou não no pagamento por parte do Corinthians. Isso porque o contrato prevê que a Caixa, banco estatal intermediário na negociação e patrocinadora do clube, cubra eventuais "calotes" da agremiação.

Em tempo: de acordo com matéria publicada nesta terça-feira, Andrés Sanchez sinalizou que os CIDs relacionados à Arena valorizaram, o que ajudaria o clube a pagar ainda mais rápido os empréstimos. A situação econômica do país, no entanto, segundo o ex-mandatário, estaria dificultando a venda dos papéis de inventivo fiscal.

Veja Mais:

  • Fernando César (empresário), Roberto de Andrade, Pablo, Flávio Adauto e Alessandro em reunião

    Corinthians acerta permanência de Pablo; resta acordo com Bordeaux

    ver detalhes
  • Com derrota por 3 a 0 no placar agregado, Timão ficou com o vice do Brasileirão 2017

    Valente, Corinthians/Audax sofre nova derrota e é vice-campeão brasileiro de 2017

    ver detalhes
  • Walter não será liberado pelo Corinthians

    Corinthians bate o martelo e não libera Walter para o São Paulo; novo encontro no sábado

    ver detalhes
  • Meia sentiu a costela após dividida com Betão

    Jadson tem fratura constatada e desfalca Corinthians por um mês

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes