Sincero, Rodriguinho se diz triste com público baixo na Arena

Sincero, Rodriguinho se diz triste com público baixo na Arena

Por Meu Timão

Rodriguinho lamentou excesso de cadeiras vazias em empate com Atlético-MG

Rodriguinho lamentou excesso de cadeiras vazias em empate com Atlético-MG

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Um dos remanescentes do elenco campeão brasileiro em 2015, o meia Rodriguinho revelou estar chateado com o público baixo do Corinthians diante do Atlético-MG, na noite dessa quarta-feira, na Arena em Itaquera. Em entrevista coletiva, o camisa 26 disse não saber o motivo da ausência da torcida no empate sem gols.

“É uma coisa que nos causa sentimento de tristeza, o Corinthians sempre foi reconhecido e visto como um time que a torcida empurra sempre, comparece, nesses jogos foi diferente. É até estranho para quem já viveu momentos anteriores de glória, casa cheia, com a torcida nos apoiando, viver agora esse momento difícil”, afirmou Rodriguinho.

Fato é que a diretoria do Corinthians é responsável por parte do declínio da ocupação da Arena na temporada. No início do ano, o clube se desfez do grupo que ergueu o hexacampeonato nacional e não repôs à altura. O time, então comandado por Tite, acabou eliminado no Paulistão e na Copa Libertadores. Já em agosto, novo desmanche, enquanto apenas o volante Jean e o centroavante Gustavo, ambos da Série B, chegaram.

A escassez de jogadores “protagonistas” fez o Timão despencar na tabela de classificação. Com o 0 a 0 com o Atlético-MG, a equipe do Parque São Jorge caiu da sétima para a oitava colocação da Série A. Para Rodriguinho, porém, não há razão para apenas quase 18 mil torcedores comparecerem a Itaquera numa noite de quarta.

“Torcedor vive de emoção e quando seu time não está bem... Acho que não só pela má fase do time, mas acaba acontecendo isso. Como falei, fica um sentimento de tristeza, pois a torcida sempre teve característica de encher estádio e ajudar bastante. Estamos com o objetivo de trazer a torcida de volta, lutar bastante, para que as coisas voltem ao normal”, acrescentou o armador, que recordou o duelo de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

“Contra o Cruzeiro, mesmo vencendo, parte da torcida nos vaiou no final do jogo, ficamos sem resposta, sem saber o por quê. A gente está muito triste, é um momento complicado em termos de diretoria, saída de jogadores, mudanças de comissão... Temos de nos adaptar e voltar a ser aquele time acostumado com glórias”.

Sob o comando do técnico Fábio Carille, o Corinthians acumula seis jogos vencer no Brasileirão. O próximo compromisso do esquadrão alvinegro está marcado para quarta-feira que vem (12), frente ao Santa Cruz, às 21h45 (de Brasília), na Arena Pantanal. Compromisso que faz Rodriguinho refletir a respeito da antiga “mística” em torno da casa corinthiana.

“Até a metade do ano o temor era o mesmo, conseguimos resultados, com exceção dos jogos contra Audax e Nacional. A equipe se comportava de forma diferente, deixamos cair um pouco, mas o jogo contra o Atlético-MG nos trouxe um alento. Disputamos contra uma grande equipe, nos impondo o tempo todo, com uma vontade que a torcida nos cobrou e hoje apareceu. Temos que seguir nesse caminho para conseguir os resultados e colocar medo nos adversários”, finalizou.

Veja Mais:

  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Corinthians já definiu profissionais que devem permanecer e ser negociados

    Isaac, Mendoza, Oswaldo... Confira quem chega e quem sai do Corinthians

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes