O que acontece se um presidente do Corinthians sair ou for afastado?

O que acontece se um presidente do Corinthians sair ou for afastado?

Por Meu Timão

Presidente Roberto de Andrade vê pressão aumentar cada vez mais

Presidente Roberto de Andrade vê pressão aumentar cada vez mais

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

A derrota vexatória do Corinthians de 4 a 0 para o São Paulo, na noite desse sábado, quase um ano após a vitória histórica de 6 a 1, colocou em xeque o planejamento da atual diretoria para a temporada de 2016. Inúmeros torcedores reforçaram suas críticas a Roberto de Andrade & cia., e até mesmo Ronaldo Giovanelli, ex-goleiro e ídolo do Timão, fez duras críticas ao mandatário alvinegro, pedindo inclusive o impeachment do presidente corinthiano.

O Meu Timão, assim, averiguou o estatuto do Corinthians para entender o que pode motivar o afastamento de um presidente do clube e quais as consequências imediatas que isso traria. As informações estão abaixo, bem como os próprios artigos relacionados ao tema.

Primeiramente é necessário entender que já há, nos bastidores do Parque São Jorge, diversos movimentos de oposição sendo articulados - alguns mais fortes e conhecidos entre sócios e conselheiros; outros mais fracos e consequentemente menos conhecidos. O próprio presidente Roberto de Andrade, ciente da possibilidade de um movimento pró-impeachment, se reuniu recentemente na própria sede do clube com medalhões da política alvinegra.

Se de fato houver um afastamento de Roberto de Andrade, quem assumiria a presidência seria o primeiro vice-presidente, que atualmente é André Luiz Oliveira, o André Negão. O nome dele, por sua vez, consegue estar ainda mais manchado nos bastidores do Parque São Jorge, em função de escândalos envolvendo seu filho e investigações da Lava Jato.

Definido de fato um eventual impeachment, aí então seria organizada, pelo conselho deliberativo, nova eleição para que uma chapa "tampão" possa assumir o comando do clube até o próximo período eleitoral (fevereiro de 2018). A atual gestão, do grupo Renovação & Transparência, de Andrés Sanchez, iniciou sua trajetória no Parque São Jorge justamente de tal forma, entrando no lugar de Alberto Dualib.

Com base no estatuto do clube, entenda abaixo mais detalhes a respeito de uma possível saída de Roberto de Andrade:

Art. 102 - Nos impedimentos legais ou nas licenças do Presidente, assumirá o 1º Vice-Presidente da Diretoria. Na ausência do 1º Vice-Presidente, assumirá o 2º Vice-Presidente da Diretoria.

Art. 104 - São motivos para requerer a destituição dos administradores (Presidente da Diretoria ou de seus Vice-Presidentes):
a) - ter ele praticado crime infamante, com trânsito em julgado da sentença condenatória;
b) - ter ele acarretado, por ação ou omissão, prejuízo considerável ao patrimônio ou à imagem do Corinthians;
c) - não terem sido aprovadas as contas da sua gestão;
d) - ter ele infringido, por ação ou omissão, expressa norma estatutária.

Art. 106 – Vagando-se o cargo de Presidente, por morte, renúncia ou cassação de mandato, assumirá o 1º Vice-Presidente da Diretoria ou, na sua ausência, o 2º Vice-Presidente da Diretoria, devendo ser convocado o CD para eleição de novo Presidente até o término do mandato, salvo se faltar menos de seis meses para findar-se o referido mandato.

Veja Mais:

  • Diversos torcedores não conseguiram efetuar a troca de ingressos

    Com fila absurda e nova confusão, torcida do Corinthians esgota ingressos para final da LNF

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes
  • Oswaldo negou que seus treinos sejam repetitivos

    Oswaldo volta a sinalizar escalação do Corinthians em coletivo e explica semana de treinos

    ver detalhes
  • Jô está de férias e só volta ao CT Joaquim Grava em janeiro

    Jô é liberado pelo Corinthians para férias e não aparece no CT nesta sexta

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes