Justiça do Rio mantém prisão de 14 torcedores do Corinthians

Justiça do Rio mantém prisão de 14 torcedores do Corinthians

Por Meu Timão

1.9 mil visualizações 27 comentários Comunicar erro

Parte da torcida que foi ao Maracanã se envolveu em briga com a PM; todos foram punidos

Parte da torcida que foi ao Maracanã se envolveu em briga com a PM; todos foram punidos

Foto: Reprodução/Twitter

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) indeferiu nesta segunda-feira o pedido de revogação de prisão preventiva para 14 torcedores do Corinthians acusados de participar da briga com policiais militares no Maracanã em 23 de outubro, antes do duelo contra o Flamengo.

O pedido feito pela defesa dos acusados ocorreu no Plantão Judiciário, em razão do período de recesso, compreendido entre 20 de dezembro de 2016 e 7 de janeiro de 2017. Os corinthianos aguardam audiência de instrução e julgamento há mais de dois meses.

A decisão foi tomada pelo juiz Marco José Mattos Couto, do Plantão Judiciário. “Aliás, nem se compreende ao certo, presumindo-se que os advogados estejam atuando com boa fé, a razão pela qual se deixou para ajuizar o pedido justamente entre o Natal e o Ano Novo, em pleno Plantão de Recesso”, escreveu o magistrado em nota divulgada à imprensa.

“A ordem natural das coisas seria o pleito ser dirigido ao MM. Juiz natural (Juizado Especial do Torcedor e Grandes Eventos), o qual melhor conhecimento tem dos autos e dos motivos que o impediram de designar a audiência de instrução e julgamento até o momento (...). Ora, os réus foram presos há pouco mais de dois meses e, de certo, o MM. Juiz natural está na iminência de designar a audiência de instrução e julgamento. Isso, em um processo com mais de dez presos, o que, por si só, revela a sua complexidade”, completou.

Os torcedores que tiveram a revogação da prisão preventiva negada foram: Wagner Vinicius Ferreira, André Ricardo David dos Santos, Bruno da Costa Zacharias, Isaias Aparecido da Mota, Alexandre Gomes da Silva Pereira, Renan Leal Salgado, Éder Felipe de Oliveira, Lidiomar Feitosa da Silva, Sidnei Barbosa Silva Santos, Wesley Alves da Silva, Jabs Naan Pinheiro de Sousa, Lucas Uanderson Silva Santos, Rodolfo da Silva Barreto e Willian Santos Gomes.

Desde o incidente no Maracanã, o Meu Timão já divulgou provas que inocentam todos os cinco torcedores soltos até o momento, além do corretor de seguros André Luis Tavares da Silva e de Fabio Barbosa Tomé, presidente da sede de Diadema (SP) da Estopim da Fiel. Vale lembrar que apenas quatro indivíduos foram, de fato, identificados por imagens no conflito: Kauã Gentil, Rogério Aparecido dos Santos, Anderson Zanqueta da Silva e Tiago de Lima. Os demais, acusados sob depoimento de quatro agentes do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), jamais tiveram o envolvimento comprovado.

Relembre o episódio

Antes da partida entre Corinthians e Flamengo válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, a torcida anfitriã arremessou copos em direção ao local destinado à Fiel. Em resposta, alguns torcedores alvinegros tentaram invadir a arquibancada ao lado, fazendo com que a PM reagisse. Cassetetes e spray de pimenta foram usados pelos agentes, causando ainda maior tumulto.

Veja mais em: Corinthianos presos no Rio.

Veja Mais:

  • Avelar tende a receber nova chance como titular do Corinthians na capital paranaense

    Carlos joga 45 minutos pela Seleção Sub-20, e Corinthians deve ter Avelar contra Atlético-PR

    ver detalhes
  • Carlos Augusto, que está na Seleção Brasileira Sub-20, embarca de Goiânia; Vital e os demais viajam para Curitiba saindo de São Paulo

    Com Carlos Augusto, Corinthians relaciona 23 jogadores para enfrentar o Atlético-PR

    ver detalhes
  • Corinthians caiu nas oitavas de final da Sul-Americana 2017, para o Racing (ARG)

    Menos tenso, Corinthians busca a Sul-Americana 2019; seis motivos mostram importância do torneio

    ver detalhes
  • Andrés Sanchez e Matias Ávila participaram do Papo Reto desta terça-feira

    Déficit do Corinthians sobe para R$ 26 milhões, mas diretoria comemora ao comparar com 2017

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes