Em última sessão do ano, só dois corinthianos são soltos no Rio

Em última sessão do ano, só dois corinthianos são soltos no Rio

2.5 mil visualizações 26 comentários Comunicar erro

Leandro está preso mesmo sem participar de confusão com a PM

Leandro está preso mesmo sem participar de confusão com a PM

Arquivo pessoal

Dois torcedores do Corinthians acusados de agredir policiais no Maracanã, no dia 23 de outubro, tiveram habeas corpus concedidos na tarde desta terça-feira e serão soltos nas próximas horas. Leandro da Silva Coelho e Victor Hugo Souza de Oliveira, que ganharam o direito de responder o processo em liberdade, se juntam a três torcedores alvinegros liberados nas últimas semanas.

A informação foi confirmada pela advogada Luciane Telles, responsável pela defesa de Leandro. Como o Meu Timão havia adiantado no fim de dezembro, o universitário estava na arquibancada destinada à Fiel naquela tarde de domingo, mas, assim como outros corinthianos cujas histórias foram relatadas pela reportagem, não teve envolvimento na confusão que marcou o empate por 2 a 2 entre Timão e Flamengo.

Chama atenção, porém, a inércia do Tribunal de Justiça do Rio em relação ao caso. Isso porque 22 habeas corpus ligados ao confronto foram solicitados, mas apenas três entraram na pauta da sessão realizada nesta terça, a última de 2016. O fórum agora entra em recesso de fim de ano e só retoma as atividades em janeiro.

André Luis Tavares da Silva, entre os 26 torcedores ainda detidos na Cadeia Pública José Frederico Marques, teve o habeas corpus indeferido, mesmo não estando no Maracanã no momento da briga entre corinthianos, flamenguistas e policiais militares.

Detido em Bangu, Leandro não possui antecedentes criminais

Detido em Bangu, Leandro não possui antecedentes criminais

Foto: Arquivo pessoal

Uma semana após deixar a penitenciária, Michel Ricci Alves de Godoy, também preso no episódio, topou conversar com a reportagem. Segundo ele, que foi ao Maracanã assistir ao jogo do clube do coração acompanhado do sobrinho, a decisão da PM se baseou somente em características físicas: estar acima do peso, usar barba e possuir tatuagens.

Em tempo: desde o incidente no Maracanã, o Meu Timão já divulgou provas que inocentam todos os torcedores libertados até o momento, além de Tavares e Fabio Barbosa Tomé, presidente da sede de Diadema (SP) da Estopim da Fiel. Vale lembrar que apenas quatro indivíduos foram, de fato, identificados por imagens no conflito: Kauã Gentil, Rogério Aparecido dos Santos, Anderson Zanqueta da Silva e Tiago de Lima. Os demais, acusados sob depoimento de quatro agentes do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), jamais tiveram o envolvimento comprovado.

Relembre o episódio

Antes da partida entre Corinthians e Flamengo válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, a torcida anfitriã arremessou copos em direção ao local destinado à Fiel. Em resposta, alguns torcedores alvinegros tentaram invadir a arquibancada ao lado, fazendo com que a PM reagisse. Cassetetes e spray de pimenta foram usados pelos agentes, causando ainda maior tumulto.

Veja mais em: Corinthianos presos no Rio.

Veja Mais:

  • Willian Felix assinou com o Corinthians para integrar a equipe Sub-23

    Corinthians contrata lateral-esquerdo do São Bernardo para elenco Sub-23

    ver detalhes
  • Arena Corinthians volta a receber jogo do Timão daqui um mês

    Dérbi e 'overdose de Arena Corinthians': CBF desmembra rodadas do Brasileirão pós-Copa América

    ver detalhes
  • Nathan treinou com a Seleção de Tite e deve ser titular do Corinthians Sub-20 neste domingo

    No embalo de Tite, Corinthians pega Santos neste domingo por 'la décima' no Paulista Sub-20

    ver detalhes
  • Carille diz não saber sobre proposta do mundo árabe e segue focado no Corinthians

    Reunião com agente não acontece e Carille vai para o interior; Meu Timão atualiza o caso

    ver detalhes

Comente a notícia: