Ex-técnico da base do Corinthians se defende após denúncia de suborno contra seu pai

Ex-técnico da base do Corinthians se defende após denúncia de suborno contra seu pai

Por Meu Timão

Márcio Zanardi foi demitido do Corinthians em novembro de 2016

Márcio Zanardi foi demitido do Corinthians em novembro de 2016

Foto: Mauro Horita

O noticiário do Corinthians amanheceu pegando fogo nesta sexta-feira. Isso por conta de uma denúncia feita pelo portal Globoesporte.com na qual o pai do ex-treinador do Sub-17 Marcio Zanardi aparece como pivô de um suposto esquema de suborno em troca da escalação de um jogador nas categorias de base do clube. O técnico, que hoje trabalha à frente do Sub-20 da Portuguesa, veio a público se defender.

Em entrevista concedida ao programa Bate-Bola, da ESPN Brasil, nesta sexta-feira, Marcio Zanardi saiu em defesa de seu pai, Wilson Zaponi Gomes da Silva, e negou qualquer envolvimento em esquemas ilícitos na base do Corinthians. Ele foi demitido do cargo de treinador do Sub-17 do Timão em novembro do ano passado, em meio a uma reformulação que a então diretoria promoveu nas categorias de base.

Abaixo, o Meu Timão separou por tópicos as principais declarações de Zanardi à ESPN. Vale citar que um áudio ao qual o Globoesporte.com teve acesso, datado de 8 de maio de 2016, indica que Wilson, utilizando o pseudônimo Carlos, teria solicitado R$ 50 mil a David Lopes Rodrigues, pai do jogador Felipe França Lopes Rodrigues, em troca da escalação do jovem.

Em defesa do pai

"Meu pai é uma pessoa idônea, um empresário, uma pessoa independente com a vida estabelecida financeira. Uma pessoa honesta. Envolveram meu pai num escândalo sem escrúpulos. Estou indignado", declarou Zanardi.

O ex-técnico do Corinthians ainda falou sobre o extrato que foi publicado na reportagem do Globoesporte.com. O documento aponta a transferência de R$ 20 mil a Wilson Zaponi Gomes da Silva.

"(Meu pai) vai buscar no extrato, como foi, quem fez. É do interesse dele. Realmente apareceu um depósito, mas fica pejorativo, fica no ar, você joga e não sabe o que é. Isso não se faz", comentou.

Marcio Zanardi, ex-treinador do Sub-17 do Corinthians, ao lado do pai, Wilson

Marcio Zanardi, ex-treinador do Sub-17, ao lado do pai, Wilson

Reprodução/Facebook

'Caso Felipe'

Felipe, antes mesmo da explosão da bomba desta sexta-feira, já havia sido pivô de outra polêmica.

"Agora entendo por que fui mandado embora. Vetei o atleta, mandei embora, mandei o relatório. Esse atleta chegou ao grupo dizendo que estava contratado pelo gerente Fabio Barrozo, atleta sem condição, indicado pelo senhor Mané da Carne. Tem tudo na ficha. Como vou mandar o atleta embora e depois ser pivô de uma negociação do meu pai de dinheiro? Somos sérios", comentou Zanardi.

No último mês de abril, uma reportagem do portal Uol denunciou três contratos suspeitos envolvendo jogadores que pertenciam ao Sub-17 do Corinthians no ano passado. Um deles era justamente Felipe França Lopes Rodrigues.

Nos documentos aos quais o site teve acesso, é possível ver que Felipe havia sido reprovado em testes da comissão técnica: avaliado com nota ruim em dez quesitos e regular em outros três. Ainda assim, assinou contrato com o Corinthians.

"Estou extremamente chateado, principalmente, por envolverem meu pai. Quando mandei esse atleta embora, o José Onofre (ex-diretor da base) me chamou e disse que recebeu ordens de cima: ‘Vou ter que fazer contrato, e ele vai ter que fazer parte do grupo’", argumentou Zanardi.

Felipe chegou ao Corinthians por intermédio de Manoel Evangelista, o Mané da Carne. Conselheiro influente no clube graças a sua amizade com o ex-presidente Andrés Sanchez, ele alega ter ajudado o jovem atleta "por bondade".

Desabafo sobre demissão

Em meio a um processo de reformulação que se estendeu até os primeiros meses de 2017 nas categorias de base do Corinthians, Marcio Zanardi foi demitido pelo então diretor Fausto Bittar. Este, por sua vez, já nem faz mais parte da diretoria alvinegra, tendo sido substituído por Carlos Nujud.

"Dediquei minha vida pelo Corinthians e não entendi porque fui mandado embora. Hoje, dia 28 de julho, entendo: mandava atletas embora, não tinha rabo preso. Mandavam jogador para mim, era bom, fica; era ruim, segue a vida", disparou Zanardi.

Veja mais em: Base do Corinthians.

Veja Mais:

  • Pablo já disse mais de uma vez que quer permanecer no Corinthians

    Corinthians sobe oferta e espera sim de Pablo: 'Espero que seja suficiente'

    ver detalhes
  • Alvo do Corinthians, Roger deve ser oficializado como reforço do Internacional nos próximos dias

    Decisão de Roger não é repudiada pela diretoria do Corinthians: ‘Faz parte...’

    ver detalhes
  • Ginásio Wlamir Marques recebeu jogo 4 da final do NBB em 2017

    Corinthians faz pré-inscrição na Liga Ouro e reativa basquete após 21 anos

    ver detalhes
  • 32 mil torcedores foram ao estádio em Itaquera no último treino aberto

    Por agradecimento à Fiel, Corinthians deve abrir treino no sábado na Arena

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes