Sem pressa para marcar, Clayson destaca versatilidade para ajudar o Corinthians

Sem pressa para marcar, Clayson destaca versatilidade para ajudar o Corinthians

Por Meu Timão

Clayson fez boa partida contra o Sport

Clayson fez boa partida contra o Sport

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Titular nas últimas três partidas, Clayson conquista a confiança da torcida e de Fábio Carille rodada após rodada. Apesar das boas atuações, nada de gols. O fato não incomoda pelo estilo de jogo do atacante, que sempre deu preferência ao passe. O gosto pelas assistências se comprova com números. Com três, o camisa 25 lidera o quesito na equipe, junto de Marquinhos Gabriel e Rodriguinho.

"Sempre fui mais de assistências, mas faço meus gols também. Gosto mais de dar o passe, fazer jogadas de linha de fundo. Tenho certeza de que, na hora certa, o gol vai sair", afirmou ao Globoesporte.com.

Jogando aberto pela esquerda, o atacante deve voltar ao banco assim que o meia Jadson voltar. Como opção, Clayson não se importa com onde vai ser utilizado por Carille. Embora jogue pelos lados na maioria das vezes, nem substituir Rodriguinho está descartado por ele.

"Não tenho dificuldade em nenhuma posição ali, na esquerda, direita ou no meio. São posições em que já joguei. O Carille me conhece, sabe onde posso render mais. Se eu jogar na esquerda ou no meio, principalmente, vai ser indiferente" garantiu, se colocando a disposição do comandante alvinegro.

Leia também:
Indicação pessoal de Carille, Clayson cresce e contraria 'elenco fraco' no Corinthians
Considerado o melhor contra o Sport, Clayson diz: 'Tem de ser assim para jogar no Corinthians'
Apelidado de anão no Corinthians, Clayson fez tratamento para ganhar estatura

Embora tenha chamado atenção pelos dribles e boas jogadas, outro fator muito elogiado por todos é seu comportamento tático sem bola, seguindo o exemplo de Romero, seu companheiro e concorrente por posição. Apesar da alta intensidade para marcar, Clayson faz questão de destacar a liberdade que tem para atuar no setor ofensivo.

"Do meio para a frente, o Carille nos dá total liberdade. Ainda venho me adaptando à forma tática de o Corinthians jogar. Primeiro é cumprir a função defensiva, depois fica pela qualidade do jogador dali para frente. É muito importante a função tática sem a bola. Não só aqui, mas no futebol como um todo, quem não joga sem a bola perde espaço", concluiu.

Veja mais em: Clayson.

Veja Mais:

  • Jô e Guilherme Arana estão na seleção da Bola de Prata

    Jô volta a falar do desejo de jogar Libertadores, mas não crava permanência no Corinthians

    ver detalhes
  • Com saída de Adriano, Marquinhos herdou a camisa 10 do Timão na Libertadores 2012

    Campeão em 2011, Marquinhos diz ter celebrado hepta do Corinthians e ensaia retorno

    ver detalhes
  • Golaço de Rodriguinho sobre o Sport entrou em vídeo de emissora italiana

    Canal de esportes da Itália produz vídeo com cinco gols mais belos do hepta do Corinthians

    ver detalhes
  • Kazim tatua taça do Brasileirão com provocação a rivais do Corinthians

    Kazim tatua taça do Brasileirão com provocação a rivais do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes