Andrés, sobre banimento de Del Nero: 'Não dá para lutar contra a maré'

2.7 mil visualizações 29 comentários

Por Meu Timão

O banimento do ex-presidente da CBF Marco Polo Del Nero de todas as atividades ligadas ao futebol, recém-anunciada pela Fifa, motivou o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, a ir à sala de imprensa do CT Joaquim Grava na tarde desta sexta-feira. O dirigente, oposicionista à administração de Del Nero, com quem trabalhou na entidade entre 2011 e 2012, lamentou a situação do futebol brasileiro.

“Vocês nunca falaram que eu fui o primeiro a pedir demissão da CBF. Fiquei dez meses lá e não me enquadrei. É ruim essa decisão, não desejo mal pra ninguém, mas espero que o futebol brasileiro mude. Eu acredito muito, vamos aguardar”, afirmou Andrés Sanchez, em tom pessimista.

Leia também:
Corinthians vai atrás de Gil para evitar reforço ao Palmeiras; Guerrero é oferecido ao rival
Andrés Sanchez dispara contra Galiotte e revela valores de salários e prêmios do Palmeiras

Del Nero foi considerado culpado após investigação de corrupção por recebimento de propina na venda de direitos de transmissões de competições. Além do afastamento vitalício do futebol, o cartola foi multado pela Fifa em 1 milhão de francos suíços (cerca de R$ 3,5 milhões).

A punição ocorre dias depois de Rogério Caboclo ser eleito novo presidente da entidade máxima do futebol brasileiro – ele assume o posto em abril de 2019. Andrés, que já havia adiantado o temor de possíveis represálias pelo fato de o Timão não ter apoiado a candidatura de Caboclo (assim como Flamengo e Atlético-PR), voltou a tocar no assunto:

“É difícil, o único que votou contra, os outros 39 concordaram, tenho que ficar quieto e concordar. Eles não deram golpe, é a regra do jogo. Eu não concordo, mas tenho que me enquadrar nisso e melhorar o máximo possível pro Corinthians. Hoje tem 30 câmeras, vão errar e acertar do mesmo jeito. Espero que troca de jogo, mando de jogo... não é só pênalti, isso é o de menos. O pior é tudo o que envolve o futebol. Nós jogamos três semanas seguidas quinta e domingo. É uma dificuldade”, discorreu.

Sanchez, por fim, lembrou que a saída do Corinthians do Clube dos 13, em 2011, trouxe benefícios às demais equipes de futebol do Brasil. Ainda assim, de acordo com o presidente corinthiano, não há como “lutar contra a maré”. Ao menos não sozinho...

“Quando eu saí do Clube dos 13, a maioria me criticou. O Clube dos 13 era pior que a CBF. Eu não rompi, só tirei o Corinthians. Todo mundo que está no futebol tem que ajudar, mas eu não vou comprar briga sozinho. A experiência me diz que não dá para lutar contra a maré. Não vou me enquadrar, mas não vou lutar contra”, finalizou.

Veja mais em: Andrés Sanchez, Diretoria do Corinthians e Campeonato Brasileiro.

Veja Mais:

  • Gustavo Mosquito era um dos destaques do Paraná na temporada

    Volta de Gustavo Mosquito ao Corinthians revolta torcedores do Paraná; entenda

    ver detalhes
  • Corinthians realiza último treino no CT antes de encarar o Grêmio neste sábado

    Sem Fagner e Carlos, Corinthians finaliza preparação para duelo com Grêmio; veja provável escalação

    ver detalhes
  • Ruan Oliveira estreia pelo profissional do Corinthians no primeiro compromisso da equipe pelo Brasileirão de 2020

    Corinthians prorroga empréstimo de meia Ruan Oliveira; jogador ganhará espaço com Tiago Nunes

    ver detalhes
  • Entenda a dor de cabeça de Tiago Nunes no Corinthians

    [Vitor Chicarolli] Entenda a dor de cabeça de Tiago Nunes no Corinthians

    ver detalhes
  • Otero é pretendido pelo Corinthians e pode chegar para concorrer com Mateus Vital

    Otero recebe elogios de Vital, possível concorrente por vaga de titular no Corinthians

    ver detalhes
  • Jadson deixou o Corinthians no início desta temporada e segue sem clube

    Corinthians emite nota oficial em defesa de Jadson e desmente diretor de futebol do Coritiba

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: