Rivais em campo e nos microfones, Corinthians e Flamengo são parceiros quando o assunto é grana

5.2 mil visualizações 36 comentários

Corinthians se baseou no Flamengo para definir valores com a Caixa e vice-versa

Corinthians se baseou no Flamengo para definir valores com a Caixa e vice-versa

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O Flamengo quis adiar a primeira semifinal da Copa do Brasil para ter Paquetá, o Corinthians não aceitou e a CBF rechaçou. Os cariocas não gostaram de ver Fagner com chance de atuar nesta quarta, os paulistas rebateram. Eduardo Bandeira de Mello reclamou do árbitro designado e Andrés Sanche respondeu.

Não faltaram rusgas entre os dois clubes de maior torcida do Brasil às vésperas da decisão de uma das vagas na finalíssima do torneio nacional e a promessa é de que elas continuem ao longo das próximas horas. Mas se engana quem pensa que esse é o clima entre as instituições em todos os assuntos. Quando o assunto é dinheiro, os dois são amigos inseparáveis...

Leia também:
Romero chega a nove jogos de jejum após sequência mágica; último gol foi há 40 dias
Ministério Público libera camisas e faixas de quatro organizadas na Arena

Pouca gente sabe, mas as duas diretorias e os dois departamentos de marketing são parceiros em todas as negociações que envolvem dinheiro. Cotas de televisão, patrocínios, direitos de transmissão no exterior e até placas de publicidade. Esse último é o caso mais recente.

Os dois clubes se juntaram e negociaram a venda das placas de publicidade de seus estádios no Brasileirão a partir de 2019 sem os outros 18 clubes da Série A. O acordo com a empresa Sport Promotion renderá R$ 12 milhões para cada um. Esse valor será mais do que o dobro do que a maioria dos rivais receberá de uma outra empresa (R$ 5,5 milhões), em uma negociação intermediada pela CBF.

O Flamengo estava com dificuldade para aprovar o acordo junto ao seu Conselho Deliberativo. Porém, com a nota oficial do Corinthians que confirmou o acordo em tais termos, a diretoria carioca conseguiu a aprovação que tanto desejava. O objetivo de provar que os paulistas não fechariam por mais foi cumprido.

Um clube também negociou com a Caixa pelo patrocínio máster com base no outro clube. O Corinthians acertou a última vez por R$ 30 milhões sob a promessa do banco de que não pagaria mais do que isso ao Flamengo. Os cariocas aceitaram ficar com menos, mas conseguiram deixar livre a parte de trás do uniforme.

Além da chance de disputar o título da Copa do Brasil, o vencedor da semifinal ainda garantirá a cota mínima da decisão: R$ 20 milhões (para o vice). Um dinheiro que Corinthians e Flamengo jamais negociarão ou serão parceiros...

Veja mais em: Ações de marketing, Diretoria do Corinthians, Copa do Brasil e Andrés Sanchez.

Veja Mais:

  • Jô durante duelo com Atlético-MG, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro

    Corinthians sucumbe no segundo tempo e perde de virada para Atlético-MG na estreia do Brasileirão

    ver detalhes
  • Jô marcou o primeiro gol do Corinthians diante o Atlético Mineiro, pelo Brasileirão

    Jô fica com melhor avaliação em noite de médias baixas no Corinthians; lateral beira o zero

    ver detalhes
  • Tiago Nunes reclamou até de um pênalti que Ruan Oliveira teria sofrido no final do jogo

    Tiago Nunes vê Corinthians desgastado, reclama de pênalti e lamenta chance perdida para fazer 3 a 0

    ver detalhes
  • Gabriel Pereira comemorou sua estreia pelo Corinthians nesta quarta-feira

    Gabriel Pereira comemora estreia pelo time profissional do Corinthians: 'Um sonho de criança'

    ver detalhes
  • Arana e Michel Macedo no duelo entre Corinthians e Atlético Mineiro

    Torcida do Corinthians lamenta derrota no Brasileirão e destaca falta de opções entre os reservas

    ver detalhes
  • Araos anotou o segundo gol do Corinthians contra o Atlético Mineiro, pelo Brasileirão

    Com gol de Araos, 11 jogadores já marcaram pelo Corinthians na temporada; veja lista

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: