Cria do Terrão relembra 'super-time' da base do Corinthians e valoriza papel da garotada em 2006

Cria do Terrão relembra 'super-time' da base do Corinthians e valoriza papel da garotada em 2006

Por Meu Timão

25 mil visualizações 78 comentários Comunicar erro

Jogador defendeu o Fortaleza no ano de 2018

Jogador defendeu o Fortaleza no ano de 2018

Leonardo Moreira/Fortaleza

Ao longo de toda a história, o Corinthians acumula uma série de boas gerações na base. Nos últimos anos, uma das que mais se destacou foi sem dúvida a que tinha nomes como Willian e Jô. Parte daquele time, o atacante Wilson, que defendeu o Fortaleza em 2018, não esquece da qualidade de seus companheiros.

"Nosso time quando entrava em campo sabia que ia vencer. Quase todo mundo subiu, uns oito caras. Eu jogava de meia, o Willian e o Jô eram nossos reservas (risos). O time era bom demais. Eu fazia a meia com o Élton e o ataque era Bobô e Abuda", relembrou, em entrevista ao ESPN.com.br.

Com o bom desempenho na base, o atacante foi promovido em 2003 pelo técnico Geninho. No profissional, marcou seus dois primeiros gols pelo profissional em vitória por 3 a 1 contra o Internacional - mesma partida em que Jô marcou pela primeira vez.

Leia também:
Entenda por que chegada da IBM anima Corinthians por naming rights da Arena
Relembre os presentes mais marcantes que a Fiel ganhou do Corinthians nesta temporada

As oportunidades pararam de aparecer em 2005. Com a chegada de grandes contratações, Wilson perdeu espaço e foi emprestado. Antes disso, porém, dividiu vestiário com Tévez, Mascherano e outras estrelas.

"Convivi um bom tempo com os caras. Eu era um cara que ficava bem na minha, eu lembro bem da discussão do Marquinhos com o Tévez que terminou com troca de soco entre os dois. Foi um momento tenso. Eu estava perto deles. Os dois eram gente boa, mas o estresse era complicado pelo momento todo", conta o atacante.

Seu grande momento no Corinthians veio justamente em seu retorno ao clube, em 2006. Já sem tantas estrelas, Wilson e outros nomes formados pelo clube foram essenciais na manutenção do clube na Série A do Brasileirão - o que acabou não se repetindo em 2007, último ano do jogador no Timão.

"Em 2006 foi quando tive mais chance de jogar. Saiu nos jornais que éramos heróis por termos salvado o time do risco de rebaixamento. Eu senti que pude ajudar a equipe de alguma forma", concluiu.

Ao todo, Wilson disputou 76 partidas pelo time principal do Corinthians, tendo marcado 13 gols. Neste ano, pode reencontrar o clube no Paulistão, vestindo a camisa do Mirassol.

Veja mais em: Base do Corinthians.

Veja Mais:

  • Corinthians fez dois gols no final do jogo e garantiu a classificação

    Corinthians vira no fim, despacha o Avenida e avança na Copa do Brasil

    ver detalhes
  • Quem para o homem?! - Gustagol comemora oitavo gol pelo Corinthians em 2019

    Atacantes do Corinthians empatam na eleição do craque da segunda fase da Copa BR; veja avaliações

    ver detalhes
  • Urso beija escudo do Corinthians ao comemorar primeiro gol pelo clube

    Carille se encanta com Sornoza e valoriza credenciais de Urso: 'Sei que o corinthiano gosta'

    ver detalhes
  • Avelar é dúvida para compromisso do fim de semana; Timão se reapresenta nesta quinta

    Avelar deixa Arena mancando e pode se tornar desfalque para Carille

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes