Atlético Nacional x Corinthians

Pela Florida Cup, o Corinthians enfrenta agora o Atlético Nacional

Acompanhe ao vivo

Coelho destaca cursos da CBF para melhorar no Corinthians e discorre sobre estrangeiros no Brasil

1.2 mil visualizações 23 comentários Comunicar erro

Por Rafael Bianco e Tomás Rosolino

Dyego Coelho vem se preparando para se tornar um técnico cada vez mais capacitado

Dyego Coelho vem se preparando para se tornar um técnico cada vez mais capacitado

Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

O técnico Dyego Coelho foi o responsável por comandar a equipe principal do Corinthians na reta final do Campeonato Brasileiro de 2019, após a demissão de Fábio Carille. Após a experiência, o treinador já retorna ao Sub-20, mas aproveitou o breve período de férias para realizar mais um curso da CBF e se especializar na profissão.

Em entrevista exclusiva com o Meu Timão, o ex-lateral falou sobre a importância de se profissionalizar mais ainda como um treinador e disse que um ambiente como o do curso da CBF permite que você conheça muitas pessoas e crie laços importantes.

"Já é meu quarto curso, são três anos e acrescenta demais. Nós temos que estar sempre nos atualizando. O curso te dá muita abertura, abre muito a sua cabeça. Dentro da sala de aula é muito bacana, mas o que realmente agrega é quando a gente sai para um café, um almoço, e consegue encontrar os consagrados do futebol e começa a fazer um monte de perguntas para eles. Dorival, Mano, Tite, Renato Gaúcho. Teve o Ricardo (Gomes), que foi quem me convocou em 2003, Itamar (Schulle), que está no Santa Cruz. São treinadores experientes, não apenas aqueles que estão na mídia. É muito bacana que tem muito conteúdo de treinadores de várias séries e você acaba tirando muito disso", disse.

Leia também: Coelho revela conversa com Tiago Nunes sobre Corinthians e exalta qualidade do novo treinador

Nas últimas vezes em que havia realizado as aulas, no entanto, Coelho ainda não havia tido nenhuma experiência no profissional e treinava apenas a base do Corinthians. Agora, depois do destaque no final do ano, ele relatou que a troca de experiência com os outros treinadores ficou ainda mais interessante.

"Uma situação de elogios, de ter mudado a situação tão rápido, isso aconteceu bastante. Mas eu já conhecia a maioria dos cursos anteriores, as brincadeiras continuaram, mas os pés no chão como sempre. Mas, enfim, uma experiência muito bacana, tem mais dois anos ainda para fazer a PRO. Espero concluir isso daí da melhor maneira possível e continuar perguntando e tirando as coisas dos caras que são bons", enfatizou o treinador.

Por fim, Coelho falou sobre a situação do mercado de treinadores no futebol brasileiro. Com a grande ascensão de Jorge Jesus e Sampaoli em 2019, os clubes passaram a procurar ainda mais técnicos estrangeiros, que ganham espaço no país. Um pouco dividido sobre o assunto, o ex-jogador não acredita que deve haver uma nenhum tipo de limitação para o cargo e valorizou o trabalho feito pelos brasileiros.

"Eu lembro de situações conturbadas realmente (de quando fui treinado por um estrangeiro), mas que tinha um método bacana de treino, uma situação de jogo boa. Eu não vejo restrição nenhuma em vir para cá, a grande situação é quando vem e acha que os problemas estão resolvidos, como se os treinadores do Brasil não existissem. E treinadores do Brasil já resolveram vários problemas. É bacana quando vem para ajudar o futebol brasileiro, mas aqui também temos treinadores fantásticos", comentou Coelho.

"Jorge, Sampaoli, estão fazendo trabalhos bacanas, é legal aprender com eles, mas não podemos esquecer que já tivemos treinadores que já fizeram isso também há dois anos, um ano. Grêmio por exemplo. O que Renato fazia era absurdo. Mano com o Cruzeiro ganhando a Copa do Brasil. O Tite mesmo, o Fábio aqui (no Corinthians). O que o Fábio fez foi extraordinário, três vezes campeão Paulista seguido e um Brasileiro ainda. São coisas que acontecem aqui no Brasil e não são tão faladas, parece que quando alguém vem de fora tudo melhora, mas não é. Eu vejo a mesma situação os caras de fora com os nossos, mesma qualidade, mesmo nível. São grandes treinadores, cada um com sua maneira, e o jogador vai aprendendo. Não quero dizer que um é melhor que o outro, todos são bons, mas às vezes alguns ganham mais, outros menos, mas título é assim", finalizou.

Agora Coelho se prepara para retomar o trabalho com o Sub-20 do Corinthians e faz a sua estreia na Copa São Paulo de Futebol Júnior já no próximo dia 3, diante do Retrô-PE. A equipe alvinegra vai em busca da sua 11ª taça da Copinha, enquanto o treinador tenta se provar como um bom nome no mercado nacional.

Veja mais em: Dyego Coelho.

Veja Mais:

  • Corinthians enfrenta o Atlético Nacional neste sábado

    Corinthians encara Atlético Nacional valendo título da Florida Cup; acompanhe em tempo real

    ver detalhes
  • Corinthians se despede da Florida Cup neste sábado

    Despedida do Corinthians na Flórida terá transmissão apenas na TV fechada; veja como assistir

    ver detalhes
  • Arqueiro de 18 anos chega para reforçar o elenco Sub-20 do Corinthians

    Corinthians encaminha contratação de goleiro que se destacou na Copinha com o Cuiabá

    ver detalhes
  • Léo Natel será jogador do Corinthians a partir de maio; maior percentual dos direitos econômicos será do Timão

    Corinthians fica com percentual maior de ex-base do São Paulo por vingança rival

    ver detalhes
  • Timão precisa de uma vitória para confirmar o título da Florida Cup

    Corinthians se despede da Florida Cup contra o Atlético Nacional; saiba tudo

    ver detalhes
  • Tiago Nunes define goleiro Cássio como capitão do Corinthians

    Tiago Nunes não descarta rodízio, mas define capitão do Corinthians em 2020

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: