Coelho conta papo com Andrés e afirma estar ciente do seu papel dentro do Corinthians

13 mil visualizações 89 comentários

Por Meu Timão

Coelho observa Otero durante jogo contra o Bahia, na Neo Química Arena

Coelho observa Otero durante jogo contra o Bahia, na Neo Química Arena

Danilo Fernandes / Meu Timão

O técnico Dyego Coelho, tratado como interino pelo presidente Andrés Sanchez na última terça-feira, no CT Joaquim Grava, conseguiu sua primeira vitória nesta segunda passagem pelo profissional do clube. Segundo o comandante, oficialmente ainda ligado apenas ao Sub-20, isso não o preocupa.

"Eu tenho que fazer meu trabalho, já deixamos conversado minha situação. Eu sou funcionário do clube e estou sempre à disposição. Já foi combinado", afirmou, em coletiva após a partida desta quarta-feira, indicando que foram essas as bases com as quais foi acionado mais uma vez.

"Só quero fazer meu trabalho, dar confiança e ver os jogadores como foi hoje. É isso que busco e espero dar continuidade nisso com eles" continuou Coelho.

Ele havia assumido a equipe por apenas um dia quando teve de encarar o Fluminense, no último domingo, no estádio do Maracanã. Depois, apenas dois treinamentos antes desse embate contra o Bahia. Agora, caso seja mantido no cargo, terá uma semana até encarar o Sport, na quarta-feira, fora de casa.

"A gente está aqui para ajudar o clube, ele (Andrés) sabe e eu sei. Deixamos claro. É sempre falar a verdade, e ele é assim. Vou fazer meu trabalho, deixar as coisas acontecerem e não me preocupar com isso. É assim que vamos no dia a dia", concluiu.

Lembranças de outra invasão da torcida

Cria das categorias de base do Corinthians, Coelho conhece vários episódios de tensão entre elenco e torcida, além das inúmeras situações de apoio. Um deles, no entanto, foi motivo de questionamento durante a entrevista coletiva: a batalha entre torcedores e policiais durante a derrota do clube para o River Plate, em 2006, no Pacaembu.

Na ocasião, assim que o time argentino fez o 3 a 1, praticamente eliminando o Timão, a torcida passou a tentar invadir o gramado do estádio, forçando um alambrado localizado em frente ao portão principal do local. Coelho não só estava na ocasião como fez um gol contra no duelo.

"O presidente já falou sobre isso, a gente procura esquecer fatos assim. Preocupação com jogador, familiares. Mas é dia de alegria, vitória, O presidente falou disso ontem (terça). Hoje (quarta) é alegria, vitória, e assim a gente vai", concluiu.

Veja mais em: Dyego Coelho e Andrés Sanchez.

Veja Mais:

  • Caio Campos, superintendente de marketing do clube e gestor da Neo Química Arena, criticou volta do público nos estádios

    Responsável pela Neo Química Arena sobre público reduzido nos estádios: 'Prejuízo será maior'

    ver detalhes
  • Corinthians começa sua trajetória na Copa do Brasil em outubro

    Corinthians conhece adversário das oitavas de final da Copa do Brasil na próxima quinta-feira

    ver detalhes
  • Daniel Portella foi fisiologista do elenco principal do Corinthians entre janeiro de 2008 e maio de 2010

    Corinthians é condenado na Justiça do Trabalho em ação movida por Daniel Portella, ex-fisiologista

    ver detalhes
  • Fagner, Avelar e Gil compõem a defesa do Corinthians, além de Lucas Piton

    Corinthians não sofria gols em nove jogos seguidos desde 2018; desempenho defensivo preocupa

    ver detalhes
  • Timão tem cometido muitos pênaltis no Brasileirão

    Mão na bola faz o Corinthians ter três pênaltis marcados contra si nos últimos quatro jogos

    ver detalhes
  • Cássio foi eleito o melhor em campo pela Fiel

    Cássio e Otero se salvam em noite de avaliações ruins no Corinthians; atacante beira o zero

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: