Brasil 2001

Corinthian-Casuals

Aqui no Blog do Corinthian-Casuals você encontra o dia a dia do clube que originou a criação do Sport Club Corinthians Paulista.

ver detalhes

Brasil 2001

Coluna do Chris Watney

Opinião de Corinthian-Casuals

2.8 mil visualizações 25 comentários Comunicar erro

Brasil 2001

Corinthian-Casuals no Brasil em 2001

Agora que estamos a apenas uma semana de ir ao Brasil com a equipe principal do Corinthian-Casuals, começo a me lembrar de várias histórias da nossa incrível viagem em 2001. Infelizmente, eu sou o único jogador daquela delegação que irá voltar agora. Eu tinha somente 20 anos, e todos os outros atletas já estão, agora, aposentados... eu tenho certeza de que todos devem estar invejando a oportunidade que estou tendo de refazer esse tour agora, em 2015!

Essas memórias são tão especiais que eu pensei em compartilhá-las com vocês, que têm sido fãs maravilhosos, para que vocês possam entender como esse tour será especial e emocionante para nós do Corinthian-Casuals; voltar ao Brasil significa tudo para nós.

Me lembro de um momento em que estava de pé, ao lado da piscina, na cobertura do nosso hotel em São Paulo. Foi quando eu percebi, pela primeira vez, o nível de grandeza do que me envolvia. E fiquei impressionado. Era a manhã do nosso jogo contra o Corinthians Paulista, e enquanto o restante do elenco estava aguardando o ônibus para sair, eu estava sendo empurrado para um microfone por um produtor da ESPN, sendo "convidado" a cantar músicas dos Beatles ao vivo no programa da man hã! "Este não é um simples clube de futebol", logo percebi.

Quando voamos para o Brasil em 2001, poucos de nós estavam realmente ciente do que exatamente enfrentaríamos. Era apenas o segundo tour que fazíamos na era moderna, e nós somente havíamos ouvido alguma spoucas histórias sobre a partida de 1988 - não o suficiente para nos preparar totalmente.

Na chegada em São Paulo, fomos recebidos no aeroporto por uma série de flashes, jornalistas e câmeras de televisão... foi surreal. Sofrendo com o "jet lag" e um pouco desorientados, apertamos um monte de mãos e fomos cambaleando entre a multidão em direção ao ônibus. Onde havia outra equipe de TV nos esperando, nos pedindo para cantar músicas para eles também!

A semana passou voando, vimos muitas coisas - e fizemos muito, também! Foi sem dúvida, a semana da minha vida. Nossos velhos amigos, e particularmente John e Robbie Mills e Timmy e Gabriel Baines (do clube amador São Paulo Athletic Club, o SPAC), não poderia ter feito mais para nós - realmente foram anfitriões incríveis. A hospitalidade dos fãs brasileiros foi incrível, indescritível.

Não posso deixar de falar da partida, claro. Enfrentamos o Corinthians Sub-21, sob as letes de diversas TV's, mas perdemos por 2 a 0. Foi um grande momento da viagem - mas havia tantos mais a viver...

Fomos, em seguida, assistir o Corinthians enfrentar o Botafogo de Ribeirão Preto pela final do Campeonato Paulista; foi sensacional. Na chegada ao Morumbi, tivemos que dar a volta no local onde nos sentaríamos para chegar aos lugares, e então vimos uma multidão se levantar na seção ao lado, cantando para nós... foi muito especial. Na verdade, toda a atmosfera do jogo, naquele dia, foi algo como elétrica... dava realmente para sentir o estádio tremer!

Logo depois, houve a viagem de um dia para o Rio de Janeiro. Fomos ver a estátua do Cristo Redentor, e depois nos encontramos na praia de Copacabana, onde acabamos por ser reconhecidos - já que aparecemos em vários canais de televisão no dia anterior. Acabamos sendo desafiados para um jogo futebol de praia! Em pouco tempo uma enorme multidão estava reunida ao redor do campo para assistir, mas nós não tínhamos a menor chance! Eu havia lesionado um tendão no dia anterior, mas mesmo assim fui "escalado" para o gol... não sei se tomamos sete ou oito gols, mas eu tenho certeza de que um deles desviou em um morrinho e me enganou completamente!

Provavelmente a história mais infame da viagem - daquelas em que eu me envolvi! - foi ao voltarmos do Rio para São Paulo; no terminal do aeroporto, me distraí demais nas embaixadinhas com nosso volante, Ian McDermott, e quase perdi o voo. Na pressa para chegar ao avião, fui conduzido para a pista pelo pessoal do aeroporto, onde e vi três aviões aguardando os passageiros a bordo. Sem direções muito claras, eu corri para a mais próxima, onde, ao pé da escada, a aeromoça, muito educadamente, sorriu e me cumprimentou.

Assim que me sentei na poltrona, no entanto, comecei a pensar que deveria ter à minha volta uns 30 rostos conhecidos... e eu não conhecia absolutamente ninguém naquele avião - e as portas do avião estavam se fechando! Dei um pulo do assento e perguntei à mesma aeromoça, "São Paulo?!", ao que ela me olhou confusa, e respondeu: "Não, Buenos Aires"... enquanto calmamente apontou para fora da janela, para um outro avião na pista ... "Aquele avião vai para São Paulo"...

Em uma onda de pânico cheia de explicações, eu imagino como o resto do grupo deve ter visto, de suas janelas, a seguinte cena: eu, correndo histericamente pela pista, em direção ao avião onde eles estavam, acenando para o piloto e gritando "ESPERE"!!!

Quando finalmente embarquei no avião correto, fui recebido por uma salva de aplausos de todos que estavam na cabine, imaginem a moral que eu tenho!

A viagem toda foi uma experiência simplesmente única. Indo a jornais e programas todos os dias, jogando na frente de milhões de pessoas na TV, sentindo o calor indescritível dos que, na minha opinião, são os maiores torcedores do mundo... foi excepcional, o sonho de toda criança e eu vou ser eternamente grato ao clube por me dar essa oportunidade. Este clube é tão especial, a nossa história é tão rica e maravilhosa ... e o fato de, por meio disso, termos uma conexão com um clube tão grande e incrível como o Corinthians Paulista, me emociona muito. Fico mais feliz ainda em saber que nossos grandes amigos de hoje terão a oportunidade de experimentar tudo isso pela primeira vez.

Minha interpretação de The Beatles - com uma pequena ajuda de meus amigos, como nosso goleiro na época, John Hotchkiss - pode não merecer muias lembranças, mas aquela semana de maio de 2001, é inesquecível para todos nós. Uma experiência que levaremos para sempre em nossas vidas.

Espero que tenhamos uma festa magnífica no dia 24 de janeiro. Tem sido uma jornada incrível para todos nós até agora, e eu estou muito animado! A equipe de funcionários do SC Corinthians tem sido incrivelmente favorável do projeto, e eu agradeço a todos eles além do que vocês podem imaginar. Por fim, eu tenho certeza de que os 30 milhões de Corinthianos vão nos fazer sentir muito bem-vindas!

Vai Corinthians! E nos vemos em breve!!
Chris Watney

Coluna do Chris Watney

Por Chris Watney

Jogador do Corinthian-Casuals desde 1999, Chris esteve na passagem do clube aqui no Brasil em 2001. Hoje Chris também trabalha como diretor comercial e de marketing do Corinthian-Casuals.

O que você achou do post do Chris Watney?