Tentando entender a venda de Pedro Henrique

Julia Raya

Estagiária do Meu Timão e estudante de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo-SP. Tem 17 anos e é corinthiana há 18. Sempre viveu com o Corinthians e agora trabalha com ele também.

ver detalhes

Tentando entender a venda de Pedro Henrique

Coluna da Julia Raya

Opinião de Julia Raya

18 mil visualizações 76 comentários Comunicar erro

Tentando entender a venda de Pedro Henrique

Pedro Henrique não deve mais atuar com a camisa do Corinthians

Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

O zagueiro Pedro Henrique, revelado nas categorias de base do Corinthians, foi vendido ao Athletico-PR na última sexta-feira. Mas eu, sinceramente, não consigo entender essa negociação.

Acho que, para começar, é importante relembrar um pouco da trajetória do jogador no Corinthians e, depois, sua situação atual no elenco, bem como a situação financeira do clube.

Desde seu início no elenco profissional do Corinthians, Pedro Henrique enfrentou críticas fortes e que, ao meu ver, não eram condizentes com o que ele apresentava em campo. O jogador sempre foi mais criticado do que deveria.

Bastante contestado e também pouco utilizado, Pedro Henrique foi emprestado ao Athletico-PR em 2019 por toda a temporada. Na equipe paranaense, sob o comando de Tiago Nunes, fez boas atuações e assumiu a titularidade. Com a negociação entre os clubes para a contratação de Tiago Nunes por parte do Corinthians, o zagueiro teve seu retorno solicitado a pedido do próprio treinador - que parecia fazer questão da presença do atleta.

De volta ao Timão, então, o zagueiro seguiu como titular de Tiago Nunes, disputando todas as 14 partidas corinthianas no ano - todas como peça do 11 inicial. Em um começo de temporada irregular do time, portanto, Pedro Henrique foi, em números e atuações, um dos atletas mais regulares.

Porque, então, foi vendido?

Acredito que tudo nessa negociação gira em torno da crise financeira vivida pelo clube.

Com essa dificuldade que o Corinthians enfrenta fora das quatro linhas, eu acredito sim que empréstimos e vendas são válidas para que o clube tenha dinheiro. Mas as negociações precisam ser bem feitas.

Pedro Henrique teve 60% dos seus direitos (tudo que o Corinthians tinha, já que os outros 40% pertencem ao próprio jogador) vendidos por cerca de um milhão de euros, algo em torno de R$ 6,2 milhões. O zagueiro é jovem, tem 24 anos, e vinha sendo titular do elenco. Poderia ser mais valorizado na venda - que, para mim, não deveria nem ter acontecido.

Com isso, o zagueiro deixa o clube com 103 jogos, divididos entre 48 vitórias, 28 empates e 27 derrotas, além de 4 gols marcados.

Em tempo: é importante lembrar que a negociação depende do Athletico-PR conseguir realizar a inscrição do atleta antes da Fifa aplicar a punição pelo caso Rony. Por garantia, o clube fez um registro inicial do zagueiro na última sexta-feira.

Veja mais em: Pedro Henrique e Mercado da bola.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna da Julia Raya

Por Julia Raya

Estagiária do Meu Timão e estudante de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo-SP. Tem 17 anos e é corinthiana há 18. Sempre viveu com o Corinthians e agora trabalha com ele também.

O que você achou do post da Julia Raya?