Não basta só marcar e defender

Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria, Bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito aos irmãos

ver detalhes

Não basta só marcar e defender

3.0 mil visualizações 83 comentários Comunicar erro

Não basta só marcar e defender

Clayson poderia ter sido útil no Morumbi

Foto: Daniel Augusto Jr. Agência Corinthians

Parece óbvio, mas se uma equipe se limitar a marcar, marcar e marcar, e jogar com a missão exclusiva de impedir que o adversário lhe cause dano, conseguirá, no máximo, empatar.

O Corinthians teve essa postura contra o SPFC e conseguiu perdeu para o costumeiro freguês.

Sou fã do estilo Mano-Tite-Carille de ser, que nos deu tantos títulos. Mas essa filosofia vive no fio da navalha e flerta com a inanição do ataque.

Mesmo no ano passado, eram raras as incursões do Corinthians ao ataque, quando atuávamos fora de casa.

O foco da equipe e o índice de aproveitamento de Jô foram tão grandes, que amenizavam o problema.

Em 2017 vivemos a outra face da moeda desse sistema. O melhor dos mundos. Sair na frente do placar e ver o adversário, em desespero, investir inutilmente na muralha do nosso sistema defensivo.

Agora, sem um atacante que preste, não dá para apostar apenas na solidez do bloqueio. É preciso ter momentos de estocadas no rival, para impor respeito. Nesse sentido, a ausência de Clayson fez falta. Ele poderia ser o autor dessas aões no campo adversário, o desafogo da defesa e a velocidade no contragolpe para. Sem ele, a presença de Pedrinho de um lado e Vital do outro, poderia preocupar mais o dono da casa.

Mesmo assim, o SPFC quase não deu trabalho a Cássio. Fizeram um gol em rara falha alvinegra em jogos grandes, em que a característica dos nossos jogadores é foco total e margem de erro zero.

O clima criado para o jogo da volta deve ser bem absorvido.

Não podemos ficar pilhados demais. Jogo tumultuado e truncado interessa ao rival.

E continua a campanha #queremosartilheiro!

Veja mais em: Majestoso.

Coluna do Roberto Gomes Zanin

Por Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria de imprensa, bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito.

O que você achou do post do Roberto Zanin?