Qur’An da casa do povo

Fórum do Corinthians
Tópico Lendário Entenda as regras

Kelvin #1.009 @walker.grimes em 11/03/2018 às 04:00

Olá Fiel, produzi este texto a fim de resumir tudo de importante o que aconteceu desde a construção da Arena Corinthians. Ele é destinado a pessoas que não entendem o que a Arena Corinthians representa para nós e traz uma visão ampla da importância que ela tem para a cidade. O texto é enorme, porque publiquei no Medium. A palavra Qur’an foi utilizada no sentido de uma revelar a verdade sobre algo, como 50 Cent o fez em seu rap Ghetto Quran]:

Antes de tudo, deixe-me desmistificar, Itaquera não é longe, mais violenta que o Ipiranga e menos ainda 'o extremo da Zona Leste'. Lonjura é ponto de vista! No extremo leste da cidade vivo eu, em Cidade Tiradentes, maior conjunto habitacional da América Latina (isso o Guinness não certifica, lol). Isso, sim, é geograficamente um extremo, distrito de uma cidade que faz divisa com outro município. Fomos jogados à margem, distantes do centro, no entanto, não é por isso que depreciarei o lugar onde vivo. Pelo menos estamos na média da violência da cidade, isso deve ser algo bom. Gosto muito daqui, não pretendo crescer profissionalmente e fugir como tantos fazem, indo morar em locais centralizados: no que depender de mim e de silhuetas desbotadas como diria Tim Bergling. Sei que um exército de sombras se prepara para aparecer na história de uma nova cidade construída; onde todos estão conectados pelo transporte, ideias e cidadania. Você também terá de vir para o extremo leste para aprender, vivenciar eventos de qualidade, e muito mais; distância já não será obstáculo, assim como nunca foi para nós que moramos distantes da atual ‘cidade linda’. Só garanto que respiramos um ar muito melhor (pelo menos até os gestores políticos terminarem de acabar com o verde abundante e presentearem mais construtoras com um pedacinho de mata).

Encurvando a história ainda mais: O que a Arena Corinthians trouxe para Itaquera e a Zona Leste de São Paulo? Não precisarei esconder fatos, apesar de que mesmo diplomados em jornalismo nem sempre tenham tido preocupação com a credibilidade. Desde que o projeto de reforma gratuita, mas com recursos públicos, do tradicional Estádio Cicero Pompeu de Toledo (contrapartida de dirigentes tricolores para receberem a Copa do Mundo de 2014) foi descartado pelo governo, o lobby midiático (assinado por Veja, Estadão, Folha de São Paulo, Uol, etc) tomou conta do noticiário brasileiro. Imagine uma Operação Lava Jato baseada em fake news, então... A Arena Corinthians — escolhida como projeto mais viável da cidade, por Lula mesmo, como queiram acreditar: afinal, se tá na Veja é verdade — passa até hoje por uma investigação midiática que poderia ser comparada aos esforços em se revelar crueldades da ditadura. Estes são os dois temas mais importantes do país, conscientemente comparáveis, ditadura e Arena Corinthians. Não, melhor criar um nome, jogar no jornal e dizer que foi o povo quem criou: [Redação da Falha: Alguma sugestão? Itaquerão. Muito bom! Promovido estagiário! Assim dificultamos a venda dos Naming Rights dessa obra claramente doada pelo presidente Lula. Derrubaremos o PT e Corinthians nos próximos 4 anos e a Copa será realizada nos bairros nobres, estes muito mais preparados para receber um evento de tal importância para o esporte mundial... Em Itaquera a Copa do Mundo seria desvalorizada. Deus nos livre ter de pegar metrô para descer no extremo leste! ]

Arena Corinthians contrariou a tendência de se construir grandes obras de Lazer, Esporte e Cultura em áreas elitizadas. Ainda assim, gerou a famigerada especulação imobiliária, afinal nenhum grande empreendimento comercial foge disso. Fosse qualquer construção complexa, traria a elevação de preços dos terrenos próximos. Esse é um mercado capitalista, fruto de nosso sistema econômico. Não há que fazer, a não ser melhorar como sociedade. Essa obra não aumentou a economia de ninguém, nem faria sentido. Se esse fosse um efeito predeterminado, qualquer serviço de entretenimento/cultura/esporte deveria compartilhar uma percentagem de seu lucro com o povo. Talvez a Disney tivesse de investir parte da grana de quem assistiu Liga da Justiça em estrutura para as escolas públicas brasileiras.
Além dessa negatividade, comum no mercado, a Prefeitura desapropriou e indenizou cerca de 40 famílias para que obras viárias fossem possíveis para a Copa do Mundo de 2014. Acidentes fatais com trabalhadores aconteceram (triste realidade da Engenharia Civil como um todo) e irregularidades foram encontradas. Estes dois últimos itens amplamente divulgados pela mídia lobista, alguns incontestavelmente notícia, outros de sensacionalismo evidente, como a queda de uma placa de gesso em um espaço que, até então, não recebia público. Fato praticamente transformado em fake news para melhor desinformar leitores/espectadores com as palavras de intencional impacto: “Teto da Arena Corinthians desaba”. Esse estádio fora construído com um empréstimo de cerca de R$400 milhões do BNDES — financiamento público destinado a empresas privadas. Já adquirido por empresas como Volkswagen, Tim, Gerdau e TOTVS. Sport Club Corinthians Paulista é uma empresa privada, portanto, tem o direito de solicitar, LEGALMENTE, empréstimos do BNDES. Antes de cobrar este clube, os torcedores rivais alienados poderiam pedir créditos de graça para as suas operadoras ou entrar numa agência e levar gratuitamente qualquer veículo de montadoras que solicitaram financiamento do BNDES: seguindo a lógica de algumas pessoas que leem manchetes sensacionalistas e opinam como se fossem especialistas de economia. Além disso, a concessão de títulos (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento) no valor de R$420 milhões para uma obra que traz desenvolvimento econômico a uma região carente de estrutura) viabilizaram a construção da Arena Corinthians. Não é dinheiro, mas o abatimento de impostos de empresas interessadas em comprá-los. A Lei Municipal 13.833, de 27 de maio de 2004, junto a algumas outras, concede incentivo fiscal a empresas que investem na Zona Leste de São Paulo, justamente na forma de CIDs. Assim o clube obteve o direito de vender CIDs para empresas interessadas em investir na Zona Leste, obviamente destinando todos os ganhos para pagamento da obra.

Dessa vez, vou diretamente responder a pergunta inicial: O que a Arena Corinthians trouxe para Itaquera e a Zona Leste de São Paulo? Uma reestruturação completa de ruas, calçadas, mobiliário urbano, incluindo a criação do zero de grandes viadutos, túneis e passarelas, ao redor da Estação/Terminal Corinthians Itaquera que em 2017 teve um fluxo médio de mais de 102.000 mil pessoas por dia útil (Secretaria de Transporte Metropolitanos). Uma Fatec, ao lado do estádio, ganhou estrutura suficiente para ser erguida e inaugurada.

Quem passava por Itaquera, até 2011 — basicamente moradores de todo o extremo leste de São Paulo — sabe muito bem o descaso de um governo que pouco fez por nós. Precisou um clube de futebol implantar seu maior negócio no local para que a área tivesse a chance de melhorar. Para nós a Copa do Mundo funcionou, ainda que não da forma mais adequada. Merecíamos acesso digno sem a necessidade de qualquer evento ou empreendimento dar um chute na bunda da Prefeitura e Governo do Estado. Dá desgosto ter a CERTEZA (em caixa alta, literalmente gritando) de que se a Copa não tivesse sido levada à Itaquera, não teríamos nem 1/3 de melhorias aplicadas. A Radial Leste, que chegava ao bairro de Itaquera, era centro de congestionamento. Atualmente, esse pequeno trecho, não perde em qualidade para nenhuma via europeia. Os veículos seguem sem problemas, mesmo em dias de jogo. De fato, o trabalho viário foi muito bem feito, mas numa proporção que não engloba todo o bairro e menos ainda outros bairros próximos tão necessitados quanto. Ainda mais, em pouco tempo, a Arena Corinthians se tornou um dos locais mais visitados e ponto turístico mais fotografado com localização ativada no Instagram, na cidade de São Paulo, em 2016.

Do ponto de vista clubista e de alguém que considera vivenciar o esporte como estilo de vida, a Arena Corinthians é a nossa meca ou templo do futebol. Ver essa construção pronta é um prazer! Para mim, tão agradável quanto olhar para o céu num dia ensolarado. Além de ser um núcleo para a torcida mais fanática do país, aquela que coloca 30 mil torcedores em um estádio japonês como se fosse um dia qualquer de domingo no Pacaembu. Temos um estádio que abriu a segunda Copa do Mundo no Brasil, assistida por mais de 3 bilhões de pessoas ao redor do mundo; que recebeu o futebol masculino e feminino nas Olimpíadas de Verão de 2016; Monster Jam 2017, maior competição de carros monstro do mundo, comum nos Estados Unidos (evento possibilitado somente no período de troca de gramado. Porque aqui o campo serve para a prática do futebol, prioridade do clube, e não para shows musicais em que o público pisoteia o gramado: prática absurda para clubes esportivos que desejam manter condições impecáveis de seu campo de jogo).

E a estrutura? Apesar do valor excessivo da obra que já ultrapassa o custo de 1 bilhão — causa de imbróglios de um país extremamente burocrático e com a segunda maior taxa de juros do mundo (Receita Federal, 2017) — ao menos em modernidade nem se compara a qualquer outra arena da América Latina. Tá mais para arena de Super Bowl > Gramado com resfriamento a vácuo; fios de grama sintética misturados à grama natural que permite mais durabilidade do solo e maior velocidade da bola em jogo; cobertura com vidro degradê para melhor distribuição dos raios solares que o atravessam; acabamento impecável com placas de mármore gesso, porcelanato e forros diversos; estacionamento coberto para 900 veículos e mais 1.900 vagas descobertas; maior telão de LED do mundo com 170 metros de largura e 20 metros de altura (localizado na área externa do Setor Leste); 2 telões internos dupla face Full HD, também os maiores do mundo, em estádios de futebol, até o momento (1 deles pode ser tranquilamente visualizado do metrô); iluminação de estacionamento com postes de 50 metros (apelarei para a redundância: os maiores do Brasil) que possibilitam grande economia de energia por seu alcance; iluminação de campo e arquibancadas mais potentes do pais (segundo relatório da última medição realizada pela administração da Arena Corinthians, há pontos que chegam a 3.600 lux); lounges, teatro, sala de imprensa, vestiários, 12 varandas, 2 grandes salas de aquecimento (estão mais para quadra de futebol com grama sintética), banheiros ecologicamente corretos (como em alguns shoppings) por terem torneiras e mictórios com sensores e a não disponibilização de papel para secar as mãos, já que centenas de secadores de mão calibrados acabam com essa necessidade. Tudo isso, nunca antes visto de forma tão sofisticada em praças esportivas brasileiras; Para fechar esta lista quantitativa com dados qualitativos: não há nenhum ponto cego nas arquibancadas, que podem receber até 48 mil pessoas, por causa de divisórias de vidro e policarbonato. Acústica planejada que faz o ambiente direcionar cerca de 110 decibéis ao centro do campo. Nenhuma grade separando a torcida (o que era visto com receio por aqueles que se consideram “raíz” ou tradicionalistas) com uma proximidade de apenas 9 metros das primeiras cadeiras (ainda menor para aqueles que ficam encostados nas muretas). Há um painel de vidro maravilhoso que cobre todo o setor Oeste da Arena Corinthians, “formado por 1.350 peças, em uma área de 240 metros de comprimento por 30 metros de altura” (website oficial da Arena Corinthians). Ele é curvado para imitar uma bola de futebol balançando as redes. Além disso, durante o dia, permite grandiosa entrada de luz, barrando o Sol forte em dias quentes. Aula de como se economizar energia elétrica em um edifício.

“Dãã, o estádio é quadrado, feio e não será pago” anticorinthianos disseram. Sei, ahã, tudo bem, senhores entendedores. Porém, é bom visualizar mais as coisas com os olhos e não tatear com os cotovelos. Por fim, algumas ESTATÍSTICAS DA Arena Corinthians COMO NEGÓCIO: até março de 2018, foram recebidos 4 milhões de torcedores pagantes, durante os jogos oficiais do Corinthians, desde a inauguração, 18 de maio de 2014. A renda bruta total obtida é de cerca de R$234 milhões de reais, dos quais estima-se que quase 30 % sirva somente para as despesas de funcionamento e para pagar imposto (não é brincadeira não o papo de que o Brasil tem as maiores taxas de juros do mundo). O restante vai direto para um fundo imobiliário criado para o pagamento do estádio ao BNDES, sem interferência do clube. Ou seja, todo o lucro obtido com a venda de ingressos é obrigatoriamente destinado ao pagamento da Arena Corinthians. Tá vendo? Presentinho caro esse do Lula, né não? Hahaha! Atualmente, o Corinthians lucra somente com o aluguel de estacionamento, serviços de alimentos e bebidas, aluguel de espaços para eventos em geral, camarotes e o Tour da Arena que recebeu 50 mil visitantes com apenas 9 meses de abertura ao público (para bem utilizar o local em dias que não há jogo). Precisa de mais alguma coisa para ser chamada de ponto turístico da cidade de São Paulo?

Até o dia deste escrito as ESTATÍSTICAS ESPORTIVAS da Arena Corinthians são impressionantes: 2 Campeonato Brasileiro e 1 Campeonato Paulista foram conquistados, desde a inauguração, por causa da filosofia corintiana bem aplicada por Tite e Carille: #jogoajogo fala pouco e joga muito, defende muito, passa muito, ataca muito, vibra muito, vence muito. 122 partidas oficiais foram disputadas pelo clube em Itaquera: entre Libertadores, Copa Sul-Americana, Campeonato Brasileiro, Paulista e Copa do Brasil; havendo 82 vitórias/30 empates/10 derrotas (curiosamente 5 foram para times modestos como Figueirense, Santo André, Atlético Goianiense, Vitória e São Bento). O que considero fantástico, porque, até hoje, a maioria dos grandes do futebol continental não sentiram esse gostinho). Aproveitamento de 75%. 8 vitórias para cada derrota. Não se trata de um caldeirão, nem alçapão, mas de um verdadeiro hospício! Os visitantes saírem de lá com uma vitória é para se comemorar como se tivessem fugido de uma ilha cercada por loucos. Se você leu até o final, sabe mais do que nunca porque esse é o time do povo e o que representa um VAI CORINTHIANS!

Bit.ly/QuranCasaDoPovo

6.305 visualizações e 77 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhores respostas

Douglas Sv #1.342 @douglas388 em 11/03/2018 às 06:20

Post fixado!Deveria

Parabéns

Caio Lovatto #4.907 @caio.lovatto em 11/03/2018 às 12:36

Pode tranquilamente enviar esse texto para o departamento de marketing do Corinthians, que com uma boa edição de vídeos, utilizaria como ferramenta pra atrair patrocinadores para a Arena (não só o naming rights). Parabéns pelo texto!

Últimas respostas

Nego Sccp #2.966 @andson1992 em 13/03/2018 às 08:23

Vou salvar esse excelente texto no meu Google keep. Você em um só texto juntos inúmeras informações sobre a nossa casa.

Parabéns pelo excelente texto, você escreve muito bem.

Publicidade

Kelvin Cristi #1.009 @walker.grimes em 12/03/2018 às 18:16

Interessante, você poderia até criar um tópico com mais detalhes sobre isso. Acho que poucos torcedores sabem disso.

Diogo #5990 @diogok em 11/03/2018 às 21:01

" "

O clube realmente não é uma empresa, mas é uma pessoa jurídica de direito privado.

Os clubes de futebol brasileiro são associações e por isso não visam lucro, mas mantêm essa personalidade de PJ privada.

Isso é no juridiques.

Gerald Gomez #388 @luterley em 12/03/2018 às 17:23

Texto bem escrito, com argumentos, números e até certa dose de poesia...

Douglas Fernando Silva #51 @dougnando em 12/03/2018 às 11:20

Poxa, bela crônica

Elias Jose De Queiroz #3.275 @ze.elias em 12/03/2018 às 07:08

Meu Timão vocês tem que pegar essa matéria é fazer o Neto sem vergonha lê todos os programas dele é a todos os morféticos dá imprensa que fizeram é fazem comentários deturpados dá nossa arena é principalmente aquele afeminado do Flavinho dá Fox que é um otário de um anti Corinthians que tinha que tomar uma correção qualquer hora dessas pra para dê fica forçando história de mal gosto contra o Corinthians

Mauro Kac #5.234 @mauro.kac em 12/03/2018 às 04:35

Caro Kelvin.

A Arena Corinthians realmente representa tudo isso que você brilhantemente colocou.

Parte da torcida pensa que as dificuldades financeiras que o clube vive são consequência dela, pela destinação das rendas para o pagamento do financiamento. Não concordo pois muitos clubes com situação financeira muito melhor que a nossa pouco arrecadam com rendas - caso do Flamengo que joga em um estádio menor que a fazendinha e que nunca está cheio.

A Arena Corinthians é a Meca do torcedor corintiano. Muitos sonham em visitá-la e certamente já é um ponto turístico da cidade.

O Barcelona incrementa a economia da cidade em 1,5%, através de turistas que vão a seus jogos e visitam seu museu.

Acredito que no caso do pagamento da Arena, a torcida terá que se envolver mais. Não bastará lotar o estádio em dias de jogos.

Um abraço

Ederson Albuquerque Martim #3.602 @ederson.albuquerque. em 11/03/2018 às 23:14

Parabéns...texto verdadeiro

Antonio Laecio Souza Silva #3.284 @antonio.laecio.souza em 11/03/2018 às 23:07

É muito difícil vencer o Corinthians na arena!

Antonio Laecio Souza Silva #3.284 @antonio.laecio.souza em 11/03/2018 às 23:05

A nossa arena é muito importante!

Antonio Laecio Souza Silva #3.284 @antonio.laecio.souza em 11/03/2018 às 23:04

A nossa arena é show!