Andrés ‘agradece’ China e volta a explicar saída de medalhões

Andrés ‘agradece’ China e volta a explicar saída de medalhões

Por Meu Timão

Em entrevista a programa esportivo, Andrés disse que saída de campeões para a China não foi decisão do clube

Em entrevista a programa esportivo, Andrés disse que saída de campeões para a China não foi decisão do clube

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Fora da diretoria do Corinthians desde o início de janeiro, Andrés Sanchez recordou o momento no qual o clube paulista perdeu seis titulares para times do exterior. Em tom de ironia, o ex-superintendente de futebol do Timão declarou que os atletas campeões brasileiros deixaram o Parque São Jorge por escolha própria.

“A multa do Gil era de 30 milhões de dólares. Foi vendido por 10, 9 milhões de euros. Você já pensou um negrão de dois metros, que ia ganhar 1, 2 milhões (de reais) por mês, e a gente ia falar: ‘Não, não, nós não vamos te liberar não, você vai ficar aqui, tem contrato’”, disse Sanchez durante participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta.

“O que ele ia fazer? Confusão. Ia virar um inferno dentro do clube. Então já cansei de falar e repito: ‘Só é vendido quando o jogador quer’. O clube não quer vender ninguém. Aliás, quem o clube quer vender ninguém quer. Então o jogador só sai se ele quiser. Não é papo de empresário, não é papo do Corinthians, é o jogador. Todos são maiores de idade, na hora de assinar o cheque, pegar o dinheiro, ‘arrumar a menininha’, eles sabem fazer tudo”.

Até o momento, nove jogadores do elenco de 2015 não compõem o “novo Corinthians”. São eles: Gil (Shandong Luneng-CHN), Ralf e Renato Augusto (Beijing Guoan-CHN), Jadson (Tianjin Quanjian-CHN), Malcom (Bordeaux-FRA) e Vagner Love (Monaco-FRA). Já Edu Dracena acertou sua rescisão contratual, enquanto Marciel foi emprestado ao Cruzeiro e Lincom, sem oportunidades, retornou ao Bragantino.

“A realidade é essa. Então muitos times estão chorando porque não chegou a China neles. Então, graças a Deus, para nós veio e conseguimos montar um time novo”, comemorou o ex-cartola, que ainda criticou a valorização aos atletas profissionais no Brasil. “O futebol brasileiro ainda não está preparado para manter o time campeão. O próprio jogador não está preparado. Ele quer ganhar um salário que se ganha na Europa e que não dá para pagar”, concluiu.

Veja Mais:

  • Carille comandou o treino do Corinthians deste sábado, no CT Joaquim Grava

    Pablo treina, e Carille define escalação do Corinthians contra o Atlético-GO

    ver detalhes
  • Clayson foi relacionado pela primeira vez no Corinthians

    Com estreia de Clayson e Pablo, Corinthians relaciona 22 contra Atlético-GO

    ver detalhes
  • Roberto (à esq.) está pessimista por negócio com Cicinho

    Roberto de Andrade esclarece especulações, vê Cicinho distante e abre o jogo sobre Nenê

    ver detalhes
  • Nenê foi oferecido nos últimos dias para a diretoria do Corinthians

    Nenê é oferecido ao Corinthians; até troca com dois jogadores alvinegros é sugerida

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes