Mais de 20% dos gols sofridos pelo Timão no ano surgiram após rebote de Cássio; veja análise

Mais de 20% dos gols sofridos pelo Timão no ano surgiram após rebote de Cássio; veja análise

Por Vinícius Souza*

Falha recorrente – Um dos líderes do atual grupo corinthiano, Cássio teve participação direta em 1/5 dos gols sofridos no ano

Falha recorrente – Um dos líderes do atual grupo corinthiano, Cássio teve participação direta em 1/5 dos gols sofridos no ano

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Depois de perder seis titulares do time hexacampeão brasileiro, o Corinthians teve sucesso na manutenção de uma importante virtude para 2016: a solidez defensiva. Em 28 jogos disputados, a equipe alvinegra foi vazada em apenas 19 oportunidades (0,68 gol sofrido por partida).

Ainda assim, o setor responsável por brecar ataques adversários falhou em momentos decisivos, como no empate em 2 a 2 com o Nacional (URU) cujo resultado culminou na eliminação precoce da Libertadores. Um curioso fato, porém, chama a atenção acerca dos números defensivos do Timão: 21,1% dos gols sofridos por Cássio surgiram após rebote do próprio goleiro.

O Meu Timão analisou todos os tentos marcados contra o Corinthians nesta temporada. Dos 19, quatro se originaram em arremates os quais Cássio não conseguiu encaixar. No duelo frente aos uruguaios, aliás, o camisa 12 teve atuação determinante e espalmou duas bolas, justamente as dos gols de Nico López, aos cinco minutos do primeiro tempo, e Santiago Romero, aos 12 da etapa final.

Curiosamente, os rebotes não são o calcanhar de Aquiles do reformulado time comandado por Tite. A maior parte dos tentos sofridos pelo Timão ocorreu posteriormente a cruzamentos – foram seis bolas na rede corinthiana oriundas de levantamentos não cortados pelo setor defensivo (31,6%).

Não o bastante, o Meu Timão observou o total de gols convertidos ante o Corinthians em chutes de fora/dentro da área. Levando em consideração também as partidas não oficiais, o esquadrão corinthiano levou quatro tentos em finalizações de fora da área. Já nos arremates a curta distância, cinco.

Vale destacar que, da conquista do hexa ao início de 2016, o elenco do Timão viu seu principal zagueiro, Gil, deixar o clube rumo ao Shandong Luneng (CHN). O então camisa 4, inclusive, foi eleito o melhor beque da edição passada do Brasileirão. Outra perda sentida por parte da torcida alvinegra foi o volante Ralf, ídolo do Corinthians, considerado peça-chave do quebra-cabeça de Tite durante a campanha nacional.

Relembre os quatro gols sofridos pelo Timão em rebotes de Cássio

Santos 2 x 0 Corinthians - Paulistão - Ricardo Oliveira (1º gol)

Corinthians 2 x 1 Ponte Preta - Paulistão - Felipe Azevedo

Corinthians 2 x 2 Nacional - Libertadores - Nico López (1º gol) e Santiago Romero (2º gol)

*Colaborou sob supervisão de Mayara Munhoz

Veja Mais:

  • Bruno Paulo jogará no Santa Cruz até o final de 2017

    Com apenas um jogo pelo Corinthians, atacante é emprestado até o fim do ano

    ver detalhes
  • Rodriguinho marcou o gol da vitória do Corinthians contra o Atlético-GO

    Corinthians se impõe fora de casa, vence Atlético-GO e assume liderança do Brasileirão

    ver detalhes
  • Quase a totalidade dos 15 mil presentes no Serra Dourada era corintiana

    Torcida do Corinthians domina o estádio Serra Dourada; comentarista e dirigente goianos se revoltam

    ver detalhes
  • Clayson canta o hino do Corinthians na primeira concentração

    VÍDEO: Clayson canta o hino do Corinthians na primeira concentração

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes