Botafogo x Corinthians

Pelo Campeonato Brasileiro, o Corinthians enfrenta agora o Botafogo

Acompanhe ao vivo

Na raça! Clayson decide, Corinthians empata no Morumbi e mantém invencibilidade contra rival

Corinthians Corinthians 1 x 1 São Paulo São Paulo

Brasileirão 2017

Na raça! Clayson decide, Corinthians empata no Morumbi e mantém invencibilidade contra rival

Clayson comemora gol sobre o São Paulo, o primeiro dele pelo Timão

Clayson comemora gol sobre o São Paulo, o primeiro dele pelo Timão

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O bom futebol praticado pelo Corinthians no primeiro turno parece ter ficado... no primeiro turno. Ainda assim, não tem faltado raça. Mesmo sem a criatividade ofensiva de outrora, o Timão empatou com o São Paulo por 1 a 1 na manhã deste domingo, no estádio do Morumbi, pela 25ª rodada do Brasileirão. O gol alvinegro foi marcado pelo atacante Clayson, o primeiro dele pelo clube.

O gol de Clayson tem valor simbólico ao Corinthians, que terminará 2017 sem ter sido derrotado pelo rival. Em seis Majestosos disputados na temporada, os alvinegros venceram dois e empataram quatro.

A equipe de Fábio Carille contou com três reforços para o duelo na matinê do Brasileirão. O lateral-esquerdo Guilherme Arana, preservado da partida contra o Racing na Argentina, retornava ao lado esquerdo da defesa alvinegra. No meio de campo, Maycon e Rodriguinho, recuperados fisicamente, eram apostas do Corinthians no Majestoso.

Com 54 pontos, o Timão volta a campo no próximo dia 1º, frente ao Cruzeiro, no Mineirão.

Primeiro tempo

Torcedor corinthiano, pense rápido: qual a estratégia de jogo preferida de seu time em 2017? Se você respondeu contra-atacar em velocidade, soube de antemão como o Timão atuaria no começo do clássico no Morumbi. Sem fazer questão de ter a posse da bola, o Corinthians montou duas linhas de quatro e aguardou o São Paulo no campo de defesa.

Jô e Rodriguinho, peças mais ofensivas da equipe visitante, eram responsáveis por dar início à marcação próxima ao círculo central. Eram eles quem ditavam o posicionamento do Corinthians: se subiam a primeira linha, Gabriel, Maycon & cia. faziam o mesmo; se retornavam ao campo de defesa, o Timão se encolhia, abrindo caminho para as investidas dos donos da casa.

O Corinthians pouco produziu e mal levou perigo ao gol defendido por Sidão ao longo da primeira etapa. Até pela incômoda situação na tabela, o São Paulo se lançava ao ataque e buscava triangulações e infiltrações para se esquivar da marcação. O goleiro Cássio, embora pouco trabalhasse, nada pôde fazer para evitar o primeiro tento do confronto.

Após tabela com Cueva, Petros, que trocou o Corinthians pelo futebol espanhol há dois anos, acertou arremate cruzado. Cássio, tão experiente que é, sequer se movimentou debaixo da trave. O gol dos mandantes obrigava o Timão a despertar no jogo. De preferência, imediatamente.

“A gente não está conseguindo segurar a posse, entregamos muito a bola pro adversário. Depois que tomamos o gol, melhoramos um pouco, tanto que eles rifaram. Mas precisamos melhorar no último terço do campo para poder criar mais perigo”, analisou Rodriguinho, dono de atuação discreta até aquele momento.

Segundo tempo

Carille não demorou a identificar o que havia de errado no Corinthians e promoveu sua primeira substituição logo no intervalo: sacou Jadson, mal há algumas partidas, para a entrada de Marquinhos Gabriel, que poderia dar à equipe velocidade pelo lado esquerdo e o recurso do drible.

O corinthiano que levantou cedo no domingo para assistir ao clássico teve motivos para “cornetar” o desempenho do Timão, que até defendia como de costume, mas não tinha força para puxar contra-ataques em velocidade nem ficar com a bola e construir as jogadas.

Dos 20 minutos em diante, o esquadrão alvinegro passou a acelerar os passes no setor ofensivo e ceder contra-ataques ao São Paulo de Dorival Júnior. Estratégia arriscada, porém necessária. Cássio, então, precisou trabalhar: defendeu duas finalizações de fora da área, de Hernanes e Lucas Pratto.

O jeito foi tentar encontrar a solução no banco de reservas. Clayson acabou chamado por Carille no lugar de Gabriel, forma encontrada por Carille para dar profundidade a um Corinthians pragmático e “preso” ao sistema tático.

E foi o que ocorreu. Pouco depois, Rodriguinho fez linda jogada pela direita, deixou Júnior Tavares no chão e cruzou na medida para Romero. O atacante paraguaio chutou forte e viu Sidão fazer grande defesa, mas Clayson, bem posicionado, aproveitou o rebote e arrematou à meia-altura. Na primeira chegada ao ataque, o Corinthians deixou tudo igual no Morumbi.

A bem dizer, o Timão não apresentou futebol que o credenciasse a vencer no Morumbi, mas foi competente na única vez em que atacou. E segue o líder...

Escalações

Corinthians: Cássio (capitão), Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon; Jadson, Rodriguinho e Ángel Romero; Jô

São Paulo: Sidão, Militão, Arboleda, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; Petros, Marcos Guilherme, Lucas Fernandes, Hernanes (capitão) e Cueva; Pratto

Veja mais em: Crônica, Majestoso e Campeonato Brasileiro.

Quem Atuou

Títulares

Reservas

Técnico

Árbitro

Comente a partida entre Corinthians e São Paulo

  • 1000 caracteres restantes