Corinthians antecipou treino por temor de ação judicial, revela Sanchez

Corinthians antecipou treino por temor de ação judicial, revela Sanchez

Por Vinícius Souza e Marco Bello

14 mil visualizações 206 comentários Comunicar erro

Andrés fez pronunciamento no CT antes do treino do Corinthians desta quinta-feira

Andrés fez pronunciamento no CT antes do treino do Corinthians desta quinta-feira

Reprodução/TV

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, foi à sala de imprensa do CT Joaquim Grava na tarde desta quinta-feira explicar o que motivou o clube a antecipar o treino de sábado para sexta-feira, que terá público presente. Segundo o cartola alvinegro, chegou ao clube a notícia de que a Promotoria do Ministério Público vetaria a atividade caso a mesma não tivesse sua data remanejada – o Palmeiras também abrirá seu estádio para torcedores no sábado pela manhã.

Leia também: Corinthianos reprovam mudança em treino aberto e contestam decisão de Andrés na web

“Tinha marcado uma reunião hoje na FPF para falar dos treinos abertos. Chegando lá, não teve a reunião e decidi transferir o treino para amanhã às 20h”, disse Andrés, confirmando a informação antecipada pela reportagem do Meu Timão.

“Nosso torcedor tem que entender que esse incentivo será importante e me antecipei que mudaria, até porque tinha a informação que a Promotoria ia entrar com ação judicial para não ter treino aberto, uma das partes queria que não tivesse. Então me antecipei e mudei o treino”, acrescentou o presidente, que também abriu o jogo sobre a notificação e multa de R$ 50 mil impostas pela Federação Paulista de Futebol (FPF).

Corinthians e Palmeiras planejavam treinar sábado em suas respectivas arenas e com presença de torcedores. No entanto, Polícia Militar e Ministério Público de São Paulo avisaram que ao menos um dos clubes teria de ceder, pois havia risco de confrontos entre torcidas no deslocamento até as praças desportivas.

Franco, Andrés falou em desculpas à Fiel e reiterou que tal medida foi tomada para evitar que o corinthiano não pudesse apoiar a equipe às vésperas da final do Campeonato Paulista.

“Pedir desculpas, é uma coisa de força maior, iam proibir o treino aberto. Quem não puder ir, procure o clube que vamos ressarcir. Pensamos no cidadão comum, no nosso torcedor e permitir que o torcedor dê seu apoio. Será uma das maiores festas vistas num campo de futebol”, projetou o cartola.

Leia também: Paulo Castilho aposta em queda de presidentes de Corinthians e Palmeiras em caso de briga

O presidente do Timão também evidenciou insatisfação com a maneira como o futebol paulista é conduzido pelas autoridades. Devido à determinação de torcida única, não haverá corinthianos nas arquibancadas do Allianz Parque domingo, às 16h, na finalíssima do Estadual.

“Acho que tem que voltar torcida visitante, mas vai ser difícil. Quanto menos gente, menos problema eles vão ter. Uma hora vão falar: cabe 40 mil? Libero 20 mil. E assim vamos levando o futebol”, completou.

Em tempo: mais de 41 mil ingressos já haviam sido trocados por alimentos não perecíveis pelos corinthianos ao longo de quarta-feira. Com a mudança repentina, a tendência é o treino receber menor público que o esperado.

Veja mais em: Andrés Sanchez, Dérbi, CT Joaquim Grava, Violência no futebol, Campeonato Paulista, Arena Corinthians e Treino do Corinthians.

Veja Mais:

  • Jogadores comemoram gol de Avelar marcado diante do Flamengo, na segunda semifinal

    Corinthians pega campeão da Série D em estreia na Copa do Brasil 2019

    ver detalhes
  • Ramiro foi anunciado pelo Corinthians nesta quinta-feira

    Corinthians anuncia contratação de Ramiro

    ver detalhes
  • Marquinhos e Sornoza podem ser trocados por Corinthians e Fluminense

    Grêmio e Marquinhos Gabriel voltam a namorar, mas Corinthians segue otimista por Sornoza

    ver detalhes
  • Carille já está participando dos detalhes de contratações do Corinthians

    Carille antecipa volta ao Corinthians e se despede do Al-Wehda

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes