Jadson jogou no ventilador. E agora, Corinthians?

Lucas Faraldo

Escrevendo sobre o Corinthians desde 2014

ver detalhes

Jadson jogou no ventilador. E agora, Corinthians?

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Opinião de Lucas Faraldo

25 mil visualizações 211 comentários Comunicar erro

Jadson jogou no ventilador. E agora, Corinthians?

Jadson e Ralf foram dispensados por Tiago Nunes no início de 2020; eles iniciaram parceria em 2014

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

A essa altura você torcedor do Corinthians já deve ter visto um pouco sobre o que Jadson jogou no ventilador diante de Benjamin Back. Em minha opinião, dois tópicos se destacam na entrevista do meia, ainda bastante incomodado com a dispensa que recebeu de Tiago Nunes:

São dois recortes que impactam no atual elenco. E é por isso que trago aqui para a coluna.

Sobre a instabilidade elenco/Tiago Nunes

Jadson jogou por cinco temporadas no Corinthians, onde foi bicampeão brasileiro e tricampeão paulista. Certamente é um dos mais importantes jogadores do clube no século 21 e tem números que o consagram entre os maiores da história alvinegra.

A situação é similar à de Ralf, o que torna a atitude de Tiago Nunes duplamente perigosa. No que tange à gestão de elenco, o treinador foi muito mal em mandar embora logo de cara uma dupla tão influente nos bastidores do CT. É só ver nas fotos abaixo (da Agência Corinthians) como os dois tinham relações que ultrapassavam o profissionalismo ali dentro do clube. É fácil achar nos álbuns do clube imagens da dupla sorridente e exalando boa convivência. Isso é dos tempos do Tite e certamente foi um diferencial para o recente período de ouro do time.

Elenco família era bastante valorizado por Tite em suas últimas passagens

'Elenco família' era bastante valorizado por Tite em suas últimas passagens

Agência Corinthians

Mas não só Tiago Nunes mandou mal. Aliás, ele é quem menos vem errando, em minha opinião. Tirar Ralf e principalmente Jadson acho válido – talvez não da forma como foi feito. Mas, no que dependesse do técnico em si, tinha caminho muito melhor?

Mandou muito mal o presidente Andrés Sanchez, com seus mais de 12 anos de liderança política (e de elenco também). Mandaram mal seus braços direitos Duílio Monteiro Alves e principalmente Vilson Menezes. Será que não poderia o ex-zagueiro não poderia ter orientado melhor Tiago Nunes? Não poderia ter previsto que essas saídas, assim, "do nada", gerariam mal estar dentro de um elenco do qual ele já fez parte?

Isso sem falar na falta de bons reforços para a beirada do ataque, principal carência do elenco já identificada de outros tempos por Fábio Carille.

Que carta branca é essa que a diretoria entrega para Tiago Nunes, então? Em branco para o técnico escrever sua carta de suicídio?

Também acho que mandaram mal nessa história parte dos jogadores. Acima de parceiros daqueles que Tiago Nunes desprezou, eles são jogadores profissionais do Sport Club Corinthians Paulista. Faz parte do trabalho deles fechar com o treinador. Inclusive é ótimo para eles mesmos ter alguém capacitado para extrair o melhor de cada um. É oportunidade para todos ali no elenco deixarem a zona de conforto que marcou o broxante ano de 2019.

Se alguns levaram o pessoal para o profissional e agora descontam nas peculiaridades de conduta de Tiago Nunes, é literalmente falta de profissionalismo. E falta de respeito com todos os envolvidos. Inclusive e principalmente os 30 milhões do lado de fora do CT.

Não precisa chamar Tiago Nunes de paizão e virar amigo. Mas duas vitórias em dez jogos de Paulistão? Três pontos de distância da zona de rebaixamento para a Série A2 do Estadual? Jogador também tem de chamar a responsabilidade – ou alguém acha comum treinador com três meses de trabalho já ser questionado? A impressão é que ninguém está fazendo muita questão de salvar o comandante desse barco que vinha afundando e afundando.

Nessa história de "pequeno racha", acho que Tiago Nunes errou, sim. Mas com intensidade muito menor que a das outras partes envolvidas: jogadores com birra de Tiago Nunes; e diretoria bastante omissa tanto na gestão de crise quanto na montagem do elenco.

Sobre os salários atrasados

Não tem muito o que discutir, não.

  • Jadson expõe aparentemente mais para tumultuar do que para cobrar (ainda que seja relevante a informação vir sim à tona)
  • elenco agora tem sobre as costas mais um motivo público que, em teoria, pode reduzir ou justificar eventual redução de foco;
  • diretoria sem transparência nem comprometimento com suas despesas. É dívida que não acaba mais!

Mais debates sobre os bastidores do elenco do Corinthians

Veja mais em: Tiago Nunes, Jadson, Andrés Sanchez, Diretoria do Corinthians e Mercado da bola.

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Por Lucas Faraldo Knopf

Jornalista pela ECA-USP e ex-Esporte Interativo, Jovem Pan e Lance!. Hoje trabalha no Meu Timão. Autor do livro 'Impedimento - Machismo, racismo, homofobia e elitização como opressões no futebol'.

O que você achou do post do Lucas Faraldo?