O(s) hino(s) do Corinthians

Pergunte ao almanaque

Celso Dario Unzelte, jornalista e pesquisador, é comentarista das televisões por assinatura ESPN/ESPN Brasil, do programa Cartão Verde (TV Cultura) e professor de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero

ver detalhes

O(s) hino(s) do Corinthians

3.3 mil visualizações 98 comentários Comunicar erro

O(s) hino(s) do Corinthians

O primeiro hino do Corinthians, composto entre 1929 e 1930, em sua partitura original

Foto: Reprodução/Arquivo Celso Unzelte

Dessa vez, o tema do “Pergunte ao Almanaque” é o hino do Corinthians. Ou melhor, os dois hinos do clube. O primeiro, composto entre 1929 e 1930, e o atual, gravado originalmente em 1952. A pergunta é do Ell Memo, de São Paulo (SP), para dar as boas-vindas à nossa coluna.

Faça como ele! Nós, aqui, vamos continuar respondendo as dúvidas dos internautas do site Meu Timão sobre história, estatísticas ou qualquer outro tipo de curiosidade ligada ao Corinthians.

A base para as respostas será sempre o Almanaque do Timão, trabalho que desenvolvo há mais de 20 anos sobre todos os jogos, jogadores e técnicos do nosso time desde 1910. Ele virou livro em 2000, foi reeditado em 2005 e agora existe na forma do aplicativo Almanaque do Timão, para smartphones e tablets, que pode ser baixado (de graça!!!) tanto pela Apple Store quanto pela Google Play. Nos dias (e noites) de jogos, esse aplicativo oficial do Corinthians continua sendo atualizado on line.

CELSO UNZELTE

Seja bem-vindo, Celso! Aí vai a pergunta: há muito tempo vi na internet um suposto primeiro hino do Corinthians que é totalmente diferente do que é hoje. Esse primeiro hino é verídico? Abraço!

Ell Memo (@ellfiel)

Esse hino a que você se refere é verídico, sim, Ell. Ele pode ser ouvido pelo youtube.

Trata-se, na verdade, de uma marchinha intitulada “Corinthians”, como está escrito na partitura original, aqui reproduzida. Nela, também se pode ler uma dedicatória feita pelos autores, Eduardo Dohmen (letra) e Larosa Sobrinho (música): “Ao meu grande amigo Sr. FELIPPE COLONNA, digno Presidente do valoroso e glorioso Esporte Club Corinthians Paulista, ofereço com grande estima”.

O bancário Felipe Colona foi o 12º presidente corintiano. Como ele ocupou o cargo entre 1929 e 1930, isso nos permite deduzir que essa gravação, nas vozes da dupla Guarani e Pirajá, tenha sido feita entre aqueles dois anos. A letra é a seguinte:

Lutar... Lutar...

É nosso lema sempre, para a glória

Jogar... Jogar...

E conquistar os louros da vitória, e proclamar

Nosso pendão é alvinegro e sempre há de brilhar

Flutuar, viril

Para a grandeza e glória do Brasil

Corinthians... Corinthians...

A glória será o teu repouso

E nós, unidos sempre,

Elevaremos teu nome glorioso.

No início de 1952, logo depois que o Corinthians reconquistou o título paulista (o de 1951) após uma espera de dez anos, foi gravado um disco de tiragem particular, não comercializado, pela Rádio Gravações Especializadas (RGE).

Um dos lados (o B) trazia uma “Saudação ao Corinthians Paulista, campeão paulista de 1951”, texto redigido pelo são-paulino Oswaldo Moles e narrado pelo corinthiano Otávio Muniz, repórter da então Rádio Panamericana de São Paulo, a atual Jovem Pan.

No outro lado (o A), a marcha “Campeão dos Campeões”, que acabaria oficializada como o hino do clube. A gravação original, na voz do cantor corintiano Osny Silva (1919-1995), era acompanhada pela orquestra do maestro palmeirense Sylvio Mazzuca e pelo coro de cantores cegos Titulares do Ritmo.

Embora a autoria do atual hino do Corinthians seja frequentemente atribuída apenas ao radialista Benedito Lauro D’Ávila (1908-1985), da Rádio Record (que, de fato, fez a letra), sabe-se que a composição contou com a participação do maestro de banda e clarinetista paulista Edmundo Russomanno. Até porque D’Ávila não era músico.

<img alt="Lauro D" avila'="" data-cke-saved-src="//img.meutimao.com.br/_upload/ckeditor/2016/05/05/lauro_po.jpg" src="//img.meutimao.com.br/_upload/ckeditor/2016/05/05/lauro_po.jpg">
LAURO D’ÁVILA (1908-1985) compôs a letra do atual hino corinthiano: “Salve o Corinthians, o campeão dos campeões..."
Foto: Reprodução/Arquivo Celso Unzelte

A primeira gravação comercial do Hino do Corinthians foi feita somente em 1970, pela Banda do Corpo de Bombeiros do Estado da Guanabara, para o LP “Hinos dos Campeões”. Lauro D’Ávila inscreveu-se pela primeira vez como compositor, apresentando exatamente o hino “Campeão dos Campeões”, apenas em 11 de setembro de 1978. Tanto a saudação de Otávio Muniz quanto o atual hino corinthiano em sua gravação original podem ser ouvidos pelo youtube, no link https://www.youtube.com/watch?v=W2iVk7LAWM4. A letra todo corinthiano conhece:

Salve o Corinthians

O campeão dos campeões

Eternamente dentro dos nossos corações

Salve o Corinthians

De tradições e glórias mil

Tu és o orgulho dos desportistas do Brasil

Teu passado é uma bandeira

Teu presente, uma lição

Figuras entre os primeiros

Do nosso esporte bretão

Corinthians grande,

Sempre altaneiro

És do Brasil o clube mais brasileiro.

O(s) hino(s) do Corinthians

Dessa vez, o tema do “Pergunte ao Almanaque” é o hino do Corinthians. Ou melhor, os dois hinos do clube. O primeiro, composto entre 1929 e 1930, e o atual, gravado originalmente em 1952. A pergunta é do Ell Memo, de São Paulo (SP), para dar as boas-vindas à nossa coluna.

Faça como ele! Nós, aqui, vamos continuar respondendo as dúvidas dos internautas do site Meu Timão sobre história, estatísticas ou qualquer outro tipo de curiosidade ligada ao Corinthians.

A base para as respostas será sempre o Almanaque do Timão, trabalho que desenvolvo há mais de 20 anos sobre todos os jogos, jogadores e técnicos do nosso time desde 1910. Ele virou livro em 2000, foi reeditado em 2005 e agora existe na forma do aplicativo Almanaque do Timão, para smartphones e tablets, que pode ser baixado (de graça!!!) tanto pela Apple Store quanto pela Google Play. Nos dias (e noites) de jogos, esse aplicativo oficial do Corinthians continua sendo atualizado on line.

CELSO UNZELTE

Seja bem-vindo, Celso! Aí vai a pergunta: há muito tempo vi na internet um suposto primeiro hino do Corinthians que é totalmente diferente do que é hoje. Esse primeiro hino é verídico? Abraço!

Ell Memo (@ellfiel)

Esse hino a que você se refere é verídico, sim, Ell. Ele pode ser ouvido pelo youtube, no seguinte link: https://www.youtube.com/watch?v=OsX2tM0XXz4.

Trata-se, na verdade, de uma marchinha intitulada “Corinthians”, como está escrito na partitura original, aqui reproduzida. Nela, também se pode ler uma dedicatória feita pelos autores, Eduardo Dohmen (letra) e Larosa Sobrinho (música): “Ao meu grande amigo Sr. FELIPPE COLONNA, digno Presidente do valoroso e glorioso Esporte Club Corinthians Paulista, ofereço com grande estima”.

O bancário Felipe Colona foi o 12º presidente corintiano. Como ele ocupou o cargo entre 1929 e 1930, isso nos permite deduzir que essa gravação, nas vozes da dupla Guarani e Pirajá, tenha sido feita entre aqueles dois anos. A letra é a seguinte:

Lutar... Lutar...

É nosso lema sempre, para a glória

Jogar... Jogar...

E conquistar os louros da vitória, e proclamar

Nosso pendão é alvinegro e sempre há de brilhar

Flutuar, viril

Para a grandeza e glória do Brasil

Corinthians... Corinthians...

A glória será o teu repouso

E nós, unidos sempre,

Elevaremos teu nome glorioso.

No início de 1952, logo depois que o Corinthians reconquistou o título paulista (o de 1951) após uma espera de dez anos, foi gravado um disco de tiragem particular, não comercializado, pela Rádio Gravações Especializadas (RGE).

Um dos lados (o B) trazia uma “Saudação ao Corinthians Paulista, campeão paulista de 1951”, texto redigido pelo são-paulino Oswaldo Moles e narrado pelo corinthiano Otávio Muniz, repórter da então Rádio Panamericana de São Paulo, a atual Jovem Pan.

No outro lado (o A), a marcha “Campeão dos Campeões”, que acabaria oficializada como o hino do clube. A gravação original, na voz do cantor corintiano Osny Silva (1919-1995), era acompanhada pela orquestra do maestro palmeirense Sylvio Mazzuca e pelo coro de cantores cegos Titulares do Ritmo.

Embora a autoria do atual hino do Corinthians seja frequentemente atribuída apenas ao radialista Benedito Lauro D’Ávila (1908-1985), da Rádio Record (que, de fato, fez a letra), sabe-se que a composição contou com a participação do maestro de banda e clarinetista paulista Edmundo Russomanno. Até porque D’Ávila não era músico.

A primeira gravação comercial do Hino do Corinthians foi feita somente em 1970, pela Banda do Corpo de Bombeiros do Estado da Guanabara, para o LP “Hinos dos Campeões”. Lauro D’Ávila inscreveu-se pela primeira vez como compositor, apresentando exatamente o hino “Campeão dos Campeões”, apenas em 11 de setembro de 1978. Tanto a saudação de Otávio Muniz quanto o atual hino corinthiano em sua gravação original podem ser ouvidos pelo youtube, no link https://www.youtube.com/watch?v=W2iVk7LAWM4. A letra todo corinthiano conhece:

Salve o Corinthians

O campeão dos campeões

Eternamente dentro dos nossos corações

Salve o Corinthians

De tradições e glórias mil

Tu és o orgulho dos desportistas do Brasil

Teu passado é uma bandeira

Teu presente, uma lição

Figuras entre os primeiros

Do nosso esporte bretão

Corinthians grande,

Sempre altaneiro

És do Brasil o clube mais brasileiro.

Game do Timão

Coluna do Celso Dario Unzelte

Por Celso Dario Unzelte

Celso Dario Unzelte, jornalista e pesquisador, é comentarista das televisões por assinatura ESPN/ESPN Brasil, do programa Cartão Verde (TV Cultura) e professor de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero

O que você achou do post do Celso Unzelte?