Mano vê equipe confusa após o continuísmo do grupo de Andrés Sanchez

Mano vê equipe confusa após o continuísmo do grupo de Andrés Sanchez

Por Meu Timão

Mano falou sobre o continuísmo no poder dentro do Corinthians

Mano falou sobre o continuísmo no poder dentro do Corinthians

O técnico Mano Menezes foi contratado durante a primeira passagem de Andrés Sanchez pelo Corinthians e, em 2014, deixou o mesmo clube em meio a contestações de quem não o quer mais lá. Roberto de Andrade, candidato à presidência pela chapa da situação, é um dos que preferem Tite. As informações são da Gazeta Esportiva.

- O Corinthians hoje está um pouco mais confuso do que em 2010, quando tinha mais clareza do queria ser e de como se comportar para chegar lá. Mas o poder deturpa muito as coisas. A permanência nele faz estragos - disse, atacando o continuísmo que reina no Parque São Jorge.

Mano estava envolvido no processo de reestruturação do Corinthians à época do retorno à Série A do Campeonato Brasileiro, em parceria com o então presidente Andrés Sanchez. Conquistou o título da segunda divisão, um Campeonato Paulista e uma Copa do Brasil antes de seguir à Seleção Brasileira com o apoio do dirigente.

Logo depois de sua saída, o Corinthians teve Adilson Batista e Tite, multicampeão pelo alvinegro. Não foram apenas pessoas ligadas a Sanchez, contudo, que se cansaram de Mano Menezes. Os torcedores vaiaram quando a sua presença foi anunciada pelo locutor do estádio de Itaquera antes do derradeiro jogo com o Criciúma.

- Faltando um minuto para a partida acabar, tudo estava maravilhoso. Aí, acontece um gol em outro estádio e o cara começa a te ofender. Isso não tem lógica. Faz mal para o futebol - reclamou Mano, incomodado com os protestos da torcida.

Se o Corinthians ficou mais confuso dessa forma, na visão de Mano, ele também se enxergou 'com o coração um pouquinho mais duro' e, apesar de tudo, não descarta uma terceira passagem pelo alvinegro.

- Não estou pensando em um retorno agora, até porque o futebol depende muito da opinião das pessoas que o dirigem. Mas só levo coisas boas do Corinthians, assim como da primeira vez em que estive no clube, das pessoas com quem trabalhei. Sei que a tarefa de permanência aqui é quase a de um sobrevivente e que o fogo amigo estava ainda mais cerrado nesse período - finalizou, sorrindo, Mano Menezes.

Veja Mais:

  • Pedro Henrique foi uma das baixas do Corinthians no treino desta sexta

    Com dois desfalques, Corinthians se reapresenta já de olho em duelo contra Grêmio

    ver detalhes
  • Jô pode não viajar até a cidade de Tunja, na Colômbia

    Corinthians deve poupar jogadores e pode ter vários jovens da base na Colômbia

    ver detalhes
  • Guilherme Torres jogará mais quatro anos no Deportivo La Coruña

    Recopa, invasão da Fiel no Japão, Carille, La Coruña... Guilherme Torres fala ao Meu Timão

    ver detalhes
  • Pablo foi tranquilizado mais uma vez pela diretoria do Corinthians, que segue confiante

    Sem pressa e confiante: diretoria do Corinthians nem cogita possibilidade de perder Pablo

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes