Vice-presidente do Corinthians fala sobre impeachment: 'Alguma mudança tem de existir'

Vice-presidente do Corinthians fala sobre impeachment: 'Alguma mudança tem de existir'

Por Lucas Faraldo e Rodrigo Vessoni

3.9 mil visualizações 34 comentários Comunicar erro

Torcida compareceu ao Parque São Jorge para protestar em frente aos conselheiros

Torcida compareceu ao Parque São Jorge para protestar em frente aos conselheiros

Foto: Rodrigo Vessoni /Meu Timão

O Corinthians vive, nesta noite de segunda-feira, a expectativa em torno da votação do Conselho Deliberativo pela continuidade ou não do processo de impeachment contra Roberto de Andrade. Na chegada ao Parque São Jorge, o segundo vice-presidente da atual gestão, Jorge Kalil, polemizou ao sugerir a necessidade de uma mudança na alta cúpula alvinegra.

"A saída de qualquer presidente é sempre traumática. Mas o Corinthians não pode continuar como está hoje. Algum tipo de mudança tem de existir, seja ela com o presidente Roberto de Andrade ou sem Roberto de Andrade. Que seja o melhor e menos traumático para o Corinthians", analisou o cartola.

Kalil assumiu ao lado de Roberto de Andrade em fevereiro de 2015. No fim do ano passado, pediu licença da vice-presidência e reclamou publicamente da falta de espaço que tinha nas decisões da diretoria. Neste mês de fevereiro, ele voltou a exercer o cargo.

"Eu não diria que existem defeitos (na atual diretoria). Existem algumas ações que não estão de encontro (sic) com a expectativa do torcedor, do conselheiro. Eu muito pouco tenho participado da administração. Tentei várias vezes, me coloquei à disposição, mas não fui chamado e respeito a hierarquia. O regime é presidencialista", explicou.

"Não fiz nada de errado para renunciar. A renúncia é uma fraqueza daqueles que têm algo a temer. E enfatizo: eu não sou candidato à presidência do Corinthians", disse ainda, se referindo ao período de afastamento da vice-presidência solicitado em dezembro.

Por fim, Kalil falou sobre o futuro do Corinthians no caso de Roberto de Andrade ser afastado da presidência. O vice mostrou-se conformado com a possibilidade de André Luiz de Oliveira, o André Negão, assumir o cargo temporariamente.

"Eu sou médico. Jamais vou operar um paciente se eu não tiver certeza de sua doença. Então falar sobre hipóteses não me atrai. Se o André tiver de ser o presidente, que seja, porque assim que determina nosso estatuto. É algo que não dá para prever."

Veja mais em: Impeachment.

Veja Mais:

  • Jair Ventura conheceu sua segunda derrota em seu segundo clássico pelo Corinthians

    Corinthians alimenta fantasma de 14 anos em sequência de clássicos desastrosa pós-Carille

    ver detalhes
  • Corinthians de Pedrinho e Gabriel está ladeira abaixo no Brasileirão-2018

    Trio pontua, embola briga contra rebaixamento e ameaça Corinthians; veja classificação

    ver detalhes
  • Jair comandou treino do Timão na manhã deste domingo

    Com presença dos poupados em clássico, Jair inicia preparação para decisão contra o Cruzeiro

    ver detalhes
  • Um alerta palmeirense ao Corinthians

    [Lucas Faraldo] Um alerta palmeirense ao Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes