Clayson resolve de novo, Cássio brilha e Corinthians bate Coritiba na Arena

Corinthians Corinthians 3 x 1 Coritiba Coritiba

Brasileirão 2017

Clayson resolve de novo, Cássio brilha e Corinthians bate Coritiba na Arena

Saindo do banco, Clayson marcou o quarto gol em três partidas pelo Timão

Saindo do banco, Clayson marcou o quarto gol em três partidas pelo Timão

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Não chegou a ser a noite dos sonhos do torcedor alvinegro, mas o líder Corinthians voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. Com gols de Jô e dois de Clayson, que marcou pelo terceiro duelo consecutivo, o Timão derrotou o Coritiba por 3 a 1 na noite desta quarta-feira, na Arena em Itaquera, pela 27ª rodada. Os alvinegros dormem na liderança com onze pontos de vantagem para o rival Santos, segundo colocado.

A equipe corinthiana, a bem dizer, entrou em campo com um desfalque de última hora. O zagueiro Pablo, cotado para iniciar a partida entre os titulares, foi cortado até do banco de reservas por precaução. Ele se juntava a Fagner, Gabriel e Ángel Romero, todos suspensos.

Assim, Carille optou pela seguinte escalação: Cássio, Léo Príncipe, Balbuena (capitão), Pedro Henrique e Guilherme Arana; Camacho e Maycon; Marquinhos Gabriel, Rodriguinho e Jadson; Jô.

O Coritiba, por sua vez, que vinha a São Paulo como vice-lanterna da Série A, tinha em Henrique Almeida e Rildo (este ex-Corinthians) a esperança da vitória fora de casa. Sob o comando de Marcelo Oliveira, o time de Curitiba era formado por Wilson; Léo, Cleber Reis, Werley e Carleto; Edinho, Alan Santos, Matheus Galdezani e Tiago Real; Rildo e Henrique Almeida.

Primeiro tempo

Por ser mandante, líder do Brasileirão e necessitar da vitória, o Corinthians não demorou a impor seu ritmo e dominar o jogo diante do Coritiba. Camacho e Maycon, volantes do esquema adotado por Fábio Carille, tinham a missão de acelerar as movimentações entre defesa e ataque, principalmente porque os meias alvinegros de criação, Jadson e Rodriguinho, eram bastante cercados pelo time paranaense.

Bastaram nove minutos para o Corinthians marcar o primeiro. Após passe de Balbuena, Jadson deu assistência de calcanhar para Jô, que arrancou e bateu de chapa na entrada da área, sem chances de defesa para o goleiro Wilson.

O Timão, como há muito tempo não se via, demonstrava ter paciência para criar. Quando era pressionado, buscava acelerar o contra-ataque com Maycon, Guilherme Arana e Marquinhos Gabriel. Já Jô, referência no ataque, tentava se desvencilhar da marcação e receber em condições para anotar o segundo gol.

Ao Coritiba, a saída foi abusar das bolas alçadas na área de Cássio. O goleiro, de volta ao clube após período na Seleção Brasileira, esbanjou reflexo ao defender cabeceio do zagueiro Cleber. Mais tarde, mesmo após impedimento assinalado, resvalou na bola em finalização rasteira. Depois, em arremate à queima-roupa de Henrique Almeida.

Acontece que a defesa corinthiana voltaria a dar bobeira antes mesmo do intervalo, desta vez sem que Cássio pudesse evitar o gol paranaense. Carleto cobrou escanteio, Henrique subiu livre de marcação e deixou tudo igual a poucos minutos do fim do primeiro tempo.

“A gente, depois do gol, acomodou um pouco, chamamos eles para o nosso campo. Uma bola parada, em uma batida muito boa, fizeram. Estamos tentando criar, agora é acertar alguns detalhes pro segundo tempo”, analisou Jô, artilheiro do Corinthians na temporada de 2017.

Segundo tempo

O terceiro empate consecutivo não interessava ao líder do campeonato, que até retornou do intervalo sem modificações. Porém, Fábio Carille logo notou que o setor ofensivo do Timão precisaria de mais velocidade se quisesse os três pontos frente aos paranaenses. A alternativa foi chamar Clayson, autor dos dois últimos gols da equipe – sobre São Paulo e Cruzeiro –, no lugar de Maycon, dono de atuação discreta.

Carille observa movimentação de seus jogadores à beira do campo

Carille observa movimentação de seus jogadores à beira do campo

Reprodução/Premiere

A entrada do camisa 25 surtiu efeito imediato. Em rápido contra-ataque, Marquinhos Gabriel recebeu na direita, puxou para o meio e cruzou na medida para o meia que acabara de entrar no jogo. Ele cabeceou firme, mas viu Wilson fazer grande defesa e a zaga curitibana afastar o rebote.

É bem verdade que o Corinthians não apresentava contra o Coritiba tantos erros de passe como nos compromissos passados. Ainda assim, faltava criatividade aos donos da casa, que até contavam com Rodriguinho, mas o camisa 26 sequer encostava na bola a essa altura.

Aos 27, Marquinhos, sem opções de passe, decidiu finalizar a gol, fundamento do qual o Corinthians mal fazia uso. O armador bateu de fora da área, de canhota, e acertou o travessão do goleiro Wilson, incendiando os mais de 36 mil alvinegros presentes em Itaquera.

Mas a noite parecia mesmo ser de Clayson. Em jogada iniciada por Jô, que evitou que a bola se perdesse pela linha de fundo, Léo Príncipe dominou dentro da área e cruzou para Rodriguinho. O número 26 resvalou na bola e a viu sobrar para Clayson, que só empurrou para o fundo do gol. Alívio aos corinthianos!

Sem a pressão em torno da vitória, o Timão passou a jogar no erro de um desesperado Coritiba, que se lançava ao ataque a qualquer custo, já descompromissado com o setor defensivo.

Aos 43, já no apagar das luzes, mais um do artilheiro da quarta-feira. Depois de Rodriguinho acertar a trave esquerda de Wilson, Clayson, bem posicionado, emendou para o gol e decretou o triunfo preto e branco: 3 a 1.

Com 17 vitórias em 27 rodadas, o Corinthians volta a campo no próximo domingo, ante o Bahia, fora de casa, às 19h. Pra cima deles!

Veja mais em: Crônica, Campeonato Brasileiro e .

Quem Atuou

Títulares

Reservas

Técnico

Árbitro

Comente a partida entre Corinthians e Coritiba

  • 1000 caracteres restantes