Ao Meu Timão, Chicão lista lances da Libertadores de 2012 de quarteto remanescente no Corinthians

Ao Meu Timão, Chicão lista lances da Libertadores de 2012 de quarteto remanescente no Corinthians

20 mil visualizações 173 comentários Comunicar erro

Chicão, com 36 anos, já pendurou as chuteiras; Ralf, 33, Danilo, 38, e Sheik, 39, seguem ativos

Chicão, com 36 anos, já pendurou as chuteiras; Ralf, 33, Danilo, 38, e Sheik, 39, seguem ativos

Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

O Corinthians estreia nesta quarta-feira na Copa Libertadores da América de 2018, em duelo contra o Millonarios, em Bogotá, na Colômbia, pela primeira rodada da fase de grupos. Não é novidade para ninguém o objetivo do Timão: conquistar o bicampeonato. Também não é novidade um certo quarteto que figura no atual elenco e há seis anos deu o que falar neste mesmo torneio, como destaque para o invicto e então inédito título do torneio sul-americano.

Entretanto, com exceção de Cássio, que segue absoluto como goleiro titular do Corinthians, a tal turma já não é mais tão candidata ao protagonismo como foi lá atrás em 2012:

  • o volante Ralf ainda está entrando em forma e nem viajou à Colômbia;
  • o meia Danilo e o atacante Emerson Sheik ficarão no banco de reservas.

Ora, quem disse que ainda assim o quarteto veterano é inútil na luta corinthiana pelo título de 2018? Isso não sabemos. O que o Meu Timão sabe é quem disse o contrário! E trata-se de outro velho conhecido da Fiel: o ídolo e ex-zagueiro Chicão, hoje com 36 anos de idade.

"Eu vejo importância deles muito grande pelo fato de terem conquistado já a Libertadores, serem cascudos, entenderem a competição. Alguns jogadores do Corinthians hoje precisam da experiência desses quatro", opinou Chicão, em entrevista exclusiva concedida na véspera da estreia alvinegra na atual edição do torneio.

"São jogadores com muita experiência, representam muito para o clube, para os torcedores. Isso precisa ser compartilhado com os outros do elenco", enfatizou.

Mas, afinal, Chicão se referiu a quais experiências? O que tanto fizeram Cássio, Ralf, Danilo e Emerson Sheik em 2012 para ainda terem papel tão importante na consolidação do atual elenco corinthiano? O próprio ex-zagueiro, campeão daquela edição da Libertadores e portanto ex-parceiro do quarteto, responde abaixo a convite do Meu Timão. Confira!

"São momentos que o torcedor e nós jogadores que estávamos ali lado a lado jamais iremos esquecer."

Cássio

Chicão e Cássio jogaram juntos no Corinthians em 2012 e 2013

Chicão e Cássio jogaram juntos no Corinthians em 2012 e 2013

Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Data: 23/5/2012
Local: estádio do Pacaembu, São Paulo (Brasil)
Adversário: Vasco da Gama
Lance: defesa de finalização de Diego Souza

"Sobre o Cássio, não tem como esquecer aquele lance do Diego Souza. A defesa que ele fez... O Pacaembu ficou em silêncio, lembro certinho. Esse momento foi muito especial."

Ralf

Chicão e Ralf jogaram juntos no Corinthians de 2010 a 2013

Chicão e Ralf jogaram juntos no Corinthians de 2010 a 2013

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Data: 15/2/2012
Local: estádio Polideportivo de Pueblo Nuevo, San Cristóbal (Venezuela)
Adversário: Deportivo Táchira
Lance: gol do empate de 1 a 1

"O Ralf transmitia um espírito muito particular dentro de campo, a pegada, a vontade de vencer. E claro: aquele gol que ele fez na estreia, muito importante, a gente perdendo de 1 a 0 e, nos 45, 46, empatamos o jogo."

Danilo

Chicão e Danilo jogaram juntos no Corinthians de 2010 a 2013

Chicão e Danilo jogaram juntos no Corinthians de 2010 a 2013

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Data: 20/6/2012
Local: estádio do Pacaembu, São Paulo (Brasil)
Adversário: Santos
Lance: gol do empate de 1 a 1

"O Danilo fez gols em muitos jogos importantes. O mais importante que eu lembro é aquele contra o Santos, no Pacaembu. É a frieza de resolver uma jogada, né? Muito calmo, tranquilo... Não à toa tem o apelido de Zidanilo."

Emerson Sheik

Chicão e Emerson Sheik jogaram juntos no Corinthians de 2011 a 2013

Chicão e Emerson Sheik jogaram juntos no Corinthians de 2011 a 2013

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Data: 4/7/2012
Local: estádio do Pacaembu, São Paulo (Brasil)
Adversário: Boca Juniors
Lance: gols da vitória de 2 a 0

"O Emerson... Não tem como não falar daqueles gols da final, do que ele representou naquele jogo para todos, né? Ele foi um cara muito inteligente, decisivo, um cara que provocou, perturbou o adversário. Não tem como esquecer. Teve o gol na Vila (contra o Santos, na semifinal) também que ele fez, um golaço importante que nos deu um pouco mais de tranquilidade, sabendo da grandeza do Santos, que naquela época tinha o Neymar."

Mais do bate-papo de Chicão com o Meu Timão

Meu Timão: Quais são suas lembranças de estreias pelo Corinthians em edições da Libertadores? Imagino que a principal seja aquela de 2012 na Venezuela, né? Houve também o Tolima de 2011, o episódio infeliz em Oruro de 2013...

Chicão: Aquele primeiro jogo, difícil... A gente de uma eliminação um ano antes, traumática... Aí logo você toma um gol, fica preocupado, tenso. Mas o time foi maduro, inteligente, soube jogar e ter a tranquilidade de buscar o empate naquela estreia de 2012.

O que está achando das variações táticas que vêm sendo testadas pelo Carille? Ele vai mostrando que entende do assunto, né? Imagino que você já percebia isso lá atrás na época em que ele era auxiliar-técnico.

O Carille é um cara super do bem, bacana, humilde, que quer vencer, crescer, já mostrou que quer qualidade. A cada ano que passa vai ter de provar mais. Ser campeão paulista e brasileiro logo no primeiro ano? Não tenha dúvida que no ano seguinte vai ter ainda mais pressão. E ele vem mostrando que consegue mexer com o time quando o time passar por situações complicadas, como vinha passando. O Carille foi lá, mexeu com o time, com o espírito dos jogadores. Isso é muito bacana. Na época de auxiliar, ele era um cara muito observador. Observava bastante para colocar agora em prática tudo que aprendeu.

Você vê o Corinthians hoje pendendo mais para o favoritismo na atual edição da Libertadores ou para o rótulo de "quarta força"?

O Corinthians sempre é favorito, não é demagogia. O peso que tem a camisa, a torcida que o clube tem... A gente sabe que nos momentos difíceis a torcida está sempre ali apoiando. O Corinthians entra sempre favorito na Libertadores, brigando ali com três, quatro clubes. Corinthians é favorito em qualquer campeonato que entrar, não tenha dúvida disso.

Desde que parou de jogar, já acompanhou o Corinthians em Libertadores como torcedor. Como é a sensação? Está preparado para mais uma agora em 2018?

Acompanhei o clube sim. Não tem como não acompanhar, a relação é muito forte. Eu lembro, infelizmente, até da eliminação para o Guaraní-PAR, na Arena (em 2015). Uma coisa que, como torcedor, magoa, deixa triste. Mas não era pra ser, aquela noite não era nossa. Estou sempre acompanhando, não tenha dúvida que amanhã (quarta-feira), estarei na frente da televisão torcendo muito para que faça uma boa estreia.

Mande um recado não só para os veteranos do atual elenco mas para todo mundo que defenderá o Corinthians na Libertadores-2018.

Não vou mandar um recado específico, mas para todos: que se dediquem, que se entreguem. O torcedor gosta de ver o time lutando, brigando, aguerrido, que mostra a cara, que deixa sangue se tiver que deixar sangue. Só assim para conseguir as vitórias. E sempre concentrado nas partidas. Boa sorte a todos os jogadores do Corinthians!

Veja mais em: Ralf, Danilo, Cássio, Elenco do Corinthians, Ídolos do Corinthians, Ex-jogadores do Corinthians, Libertadores da América, Especiais do Meu Timão e Emerson Sheik.

Veja Mais:

  • Dupla voltou de Chapecó com problemas físicos e pode se tornar baixa

    Dupla será reavaliada e pode se juntar a Cássio como desfalque para Corinthians no sábado

    ver detalhes
  • Gustavinho foi um dos destaques do Timão em vitória diante do América

    Em recuperação, Corinthians conquista segunda vitória no Campeonato Paulista de Basquete

    ver detalhes
  • Jadson marcou de falta o gol contra a Chapecoense, pela Copa do Brasil

    Análise: Corinthians garante classificação na Copa do Brasil e sofre pouco diante da Chapecoense

    ver detalhes
  • Guilherme Arana fez seu primeiro gol com a camisa do Sevilla

    Ex-Corinthians, Arana marca pela primeira vez em goleada do Sevilla; veja vídeo do golaço

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes