Diretor do Corinthians revela recusa a 'patrocínio tradicional' por BMG e detalha adiantamento

Diretor do Corinthians revela recusa a 'patrocínio tradicional' por BMG e detalha adiantamento

Por Meu Timão

58 mil visualizações 539 comentários Comunicar erro

Rosenberg: 'Se o Corinthians não tiver coragem de assumir que ele é um risco gostoso, quem vai assumir?'

Rosenberg: 'Se o Corinthians não tiver coragem de assumir que ele é um risco gostoso, quem vai assumir?'

Rodrigo Vessoni/Meu Timão

O diretor de marketing do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg, voltou a dar detalhes da parceria firmada entre clube e Banco BMG. Em entrevista concedida à ESPN Brasil na noite desta quinta-feira, o dirigente negou que esteja “jogando para a torcida” a responsabilidade de o acordo de patrocínio gerar lucro ao Timão.

“Eu duvido que você encontre outro negócio em que você se junta a um banco com 50% do resultado. O nosso foco em toda essa negociação foi aumentar ao máximo esse 50% (...) Os R$ 12 milhões não são o valor do patrocínio. O que eu quero é simplesmente o seguinte: ‘Olhe os produtos’. Tem babaca dizendo que estou jogando a responsabilidade sobre o torcedor. Não estou jogando nada”, declarou Rosenberg em participação no programa Futebol na Veia.

Corinthians e BMG assinaram aliança pelos próximos cinco anos. A equipe paulista já estampa a marca do banco no peito de seu uniforme e será sócio da empresa no lançamento da plataforma Meu Corinthians BMG, futuro banco digital em que metade dos lucros será direcionada aos cofres alvinegros.

De acordo com Rosenberg, a diretoria corinthiana rechaçou outra oferta de patrocínio máster para que a parceria com o BMG ganhasse vida. O cartola minimizou ainda os R$ 12 milhões fixos por temporada, dinheiro mínimo a ser embolsado pela agremiação – caso o Meu Corinthians BMG não dê retorno às partes.

“O que estou fazendo é sendo muito seletivo na escolha de parceiros, não é qualquer um que entra lá e o Corinthians topa parceria, haja vista que nessa negociação eu tinha outro grande nome querendo fazer uma negociação tradicional com bons valores”, revelou o diretor corinthiano.

“Os 12 milhões vieram dentro do processo de troca. O que você prefere: mais participação no resultado ou mais fixo? Se o Corinthians não tiver coragem de assumir que ele é um risco gostoso, quem vai assumir?”.

Leia também:
Corinthians e BMG esperam que torcida sozinha gere 20% do atual lucro anual do banco
Valor fixo de patrocínio do BMG é o menor do Corinthians no Século 21; relembre antigos acordos

“Andrés: ‘Resolve meu problema de caixa!’”

Às vésperas do anúncio do patrocínio, Rosenberg teve uma conversa com o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez. Foi quando Andrés pediu a ele que tentasse já receber determinada quantia do BMG no momento da assinatura. Com qual intenção? Cobrir o fluxo de caixa do clube durante a janela de transferências deste início de 2019.

“O Andrés vira para mim e diz: ‘Escuta, sente que o banco está parceiro? Então resolve meu problema de caixa. Pega um dinheiro já’”, contou o cartola. “Falei (para o banco): ‘Você faz a engenharia que você quiser, mas o Andrés quer 30 milhões’”.

O banco, então, depositou R$ 30 milhões na conta do Corinthians, adiantando duas parcelas do patrocínio (de R$ 12 milhões cada) e outros R$ 6 milhões de projeção de faturamento.

Para Rosenberg, à frente das conversas, não há qualquer erro nisso. “É um problema só de rótulo. Concretamente, nos próximos dois anos tenho R$ 24 milhões garantidos do mínimo de resultado, aconteça o que acontecer. Acho que nunca na história do futebol brasileiro alguém recebeu R$ 30 milhões do patrocínio imediatamente”, comentou o mandatário, otimista.

O departamento de marketing alvinegro entende que pode lucrar, já neste ano, algo em torno de R$ 18 milhões por meio de novos correntistas. “Provavelmente eu pago esse financiamento (de R$ 6 milhões) com o lucro de 2019. Eu preciso de R$ 18 milhões de lucro em 2019, uma coisa talvez gerada por 180, 200 mil correntistas”, concluiu.

Veja mais em: Luis Paulo Rosenberg, Patrocinador do Corinthians e Andrés Sanchez.

Veja Mais:

  • Jogador fez duas temporadas pelo time baiano antes de ir para a Arábia

    Corinthians acerta contratação de meia que trabalhou com Carille na Arábia

    ver detalhes
  • Jogadores que não atuaram diante do Avenida-RS treinaram no CT Joaquim Grava

    Corinthians se reapresenta no CT; Carille esboça time reserva para encarar o Botafogo-SP

    ver detalhes
  • Cássio falou com a reportagem do Meu Timão na tarde desta quinta no CT

    Ao Meu Timão, Cássio analisa primeiro gol do Avenida-RS; goleiro enaltece reação da equipe

    ver detalhes
  • Rosenberg foi duramente questionado por conselheiros do clube

    Conselheiros do Corinthians enviam carta para Andrés com críticas a Rosenberg; leia na íntegra

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes