Emerson Sheik explica pedido de demissão do Corinthians e diz que 'no futebol alguém tem que pagar'

32 mil visualizações 91 comentários Comunicar erro

Por Rodrigo Vessoni e Vitor Chicarolli, no CT Joaquim Grava

Emerson Sheik se despediu em entrevista concedida ao lado do diretor Duílio

Emerson Sheik se despediu em entrevista concedida ao lado do diretor Duílio

Rodrigo Vessoni/Meu Timão

Emerson Sheik se despediu do Corinthians e do cargo de coordenador de futebol oficialmente nesta terça-feira, em entrevista coletiva concedida no CT Joaquim Grava antes da apresentação de Dyego Coelho como técnico interino da equipe profissional. O ex-atacante pediu demissão e foi um dos sete nomes desligados do clube nos últimos dias. O "carro" foi puxado por Fábio Carille, mandado embora após a derrota para o Flamengo no domingo.

A entrevista de despedida de Emerson Sheik foi concedida ao lado de Duílio Monteiro Alves. Segundo apuração do Meu Timão, era justamente o diretor de futebol quem ainda segurava o ex-atacante no cargo de coordenador ao longo das últimas semanas. Mesmo já questionado internamente por Andrés Sanchez, o agora ex-dirigente corinthiano também fez questão de agradecer não apenas Duílio como também o presidente pela oportunidade.

Emerson ainda negou sair chateado com o Corinthians. O ex-atacante, multicampeão ao longo das três passagens que teve pela equipe alvinegra entre 2012 e 2018, condicionou seu pedido de demissão às críticas que passou a receber da torcida nas últimas semanas. O também ex-coordenador ainda alegou ter sido alvo de mentiras veiculadas durante sua breve passagem como dirigente, como citação a uma acusação de ter chegado bêbado ao CT.

Confira abaixo, na íntegra, as respostas de Emerson Sheik

Agradecimentos

A ideia de vir aqui foi para agradecer mesmo, não só esses 11 meses na diretoria, mas também para agradecer o encerramento da minha carreira e na sequência assumir um cargo tão desejado como coordenador de futebol. Agradecer ao Duílio (Monteiro Alves, diretor de futebol), que está aqui ao lado, agradecer ao Andrés (Sanchez, presidente), agradecer à instituição Corinthians. Todo torcedor corintiano também, obviamente que imaginávamos que fosse por um tempo maior como coordenador. Mas não foi, vida que segue, assim como nas outras oportunidades saio deixando amigos, pela porta da frente. Só não dá para ficar nesse vai e volta. 11 meses como coordenador de futebol certamente eu aprendi infinitamente mais do que em duas décadas como jogador. Saio daqui com uma experiência maior, projetos novos, desejando tudo de melhor para o clube sempre.

Análise de 2019, acusações de 'mentiras' e explicação do pedido de demissão

Foi um ano em que não começamos vencendo o Paulista, não tivemos uma apresentação que tenha agradado a todos. Mas ganhamos, chegamos à semi da Sul-Americana. Brasileiro chegamos a ficar em terceiro, depois teve uma queda. E o futebol tem uma cultura que alguém tem que, não sei se é a palavra certa, pagar. E eu ouvi muitas coisas sobre o meu nome e eu fiquei preocupado. Garanto que tudo que saiu não foram verdadeiras as informações, eu posso garantir isso. Senão eu nem viria. Foram histórias criadas por quem eu não sei. E chegou a um ponto de o torcedor vir ao CT com uma faixa em meu nome, pedindo minha saída. Entendi que eu não estava colaborando mais. Penso que o Corinthians não pode se contentar com um Paulista. O Corinthians se acostumou a conquistar Brasileiro, Recopa, Mundial. É isso que eu sempre vou pensar do Corinthians porque eu entendo que o Corinthians é muito grande. Fica o meu sentimento de desejar o melhor para o Coelho, que faça um grande trabalho. Minha história aqui foi de comprometimento, ajuda, chegou um momento em que já não entendiam mais isso e decidi sair.

Emerson Sheik durante entrevista de despedida

Emerson Sheik durante entrevista de despedida

Rodrigo Vessoni/Meu Timão

Nega sair magoado com o Corinthians e projeta novo jogo beneficente

Não, não saio magoado, de jeito nenhum. Zero. Não foi da maneira que eu imaginava, o time não funcionou, isso é fato, e as cobranças começaram a aparecer. Treinador, diretoria, atletas, isso é normal no esporte. Agora eu estou focado no Sheik e amigos contra a fome. O bem ele cabe em todos os momento, agora é tentar dar um dezembro diferente por todas essas famílias. Vou estar na torcida pelo Corinthians, mas meu foco é no dia 10, 12 de dezembro, Sheik e Amigos contra a fome.

Relacionamento interno nesses meses como dirigente e novas acusações de 'inverdades'

Meu relacionamento com os atletas e dentro do clube é maravilhoso. Quem ousou falar isso errou e muito. 13 meses atrás eu estava no vestiário com os caras. Eu joguei em quatro, cinco clubes grandes do Brasil, 12 anos fora, fiz vários amigos. 10, 11 meses manteriam o meu relacionamento com os atletas. Olha que eu já cheguei de helicóptero e não nego. Eu tenho personalidade e falo o que eu faço de errado. O que me deixou irritado foram as inverdades. Muitos profissionais aqui dentro têm família, pai, mãe, irmãos, e uma informação errada magoa. Minha mãe perguntando o que eu fiz de errado, meu filho, prego algo em casa e daqui a pouco estão saindo notícias completamente duvidosas quanto ao meu caráter. Todas as cosias erradas eu assumo que eu fiz. 11 meses que eu fiquei aqui, Duílio está aqui, portaria não me deixa mentir. Informações são completamente erradas. Tem que buscar o fato de ser verdade. Chegou atrasado, bêbado. Pô, chegar bêbado? Custa porque as pessoas têm família. Não é legal, não é bacana. Fica um apelo para que vocês, quando chegar um furo, uma informação, checa. Não foi verdade, foi o que me incomodou. Tenho um carinho e um respeito pelo Andrés absurdo. Mas, assim, tudo isso que saiu eu não fiz. Sabe porque eu não me defendi em nenhum momento? Porque eu sabia que ia ter um momento para falar. Me incomodou bastante, a torcida me cobrando com as faixas. Não deixei nada a desejar, fora de campo em 11 meses eu fiz tudo aquilo que pude. Tentava, de todas as formas, arrumar uma maneira de as coisas melhorarem e não consegui. Não quero atrapalhar. Uma vez que as pessoas criam essas situações eu vejo que a minha presença aqui não vai agradar.

Veja mais em: Emerson Sheik, Diretoria do Corinthians, Andrés Sanchez, Duílio Monteiro Alves e Ídolos do Corinthians.

Veja Mais:

  • Corinthians ainda não sabe se disputa Libertadores ou Sul-Americana em 2020

    G4, 5, 6, 7 ou 8: entenda as três situações possíveis para o Corinthians no Brasileirão

    ver detalhes
  • Conversa ainda definirá perfil do elenco do Corinthians em 2020

    [Marco Bello] Conversa ainda definirá perfil do elenco do Corinthians para 2020

    ver detalhes
  • Meia é o principal jogador do Corinthians na temporada

    Importância de Pedrinho no Corinthians assusta: time ainda não venceu sem o meia no Brasileiro

    ver detalhes
  • Pela segunda rodada seguida, Timão vai jogar mais tarde do que o previsto

    CBF altera horário de próximo jogo do Corinthians no Brasileirão

    ver detalhes
  • Guilherme Mantuan e João Victor devem ser liberados nos próximos dias; Oeste e Inter de Limeira disputam a dupla

    Diretoria do Corinthians antecipa 2020 e dupla fica perto de ser emprestada

    ver detalhes
  • O Corinthians terá uma maratona contra times na parte de baixo da tabela do Brasileiro para fechar a sua temporada de 2019

    Corinthians fecha Brasileirão contra times na parte de baixo da tabela e três jogos fora de casa

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: