Apagão prejudica, e Corinthians cede empate ao Santos em clássico no Pacaembu

Corinthians Corinthians 1 x 1 Santos Santos

Paulista 2018

Apagão prejudica, e Corinthians cede empate ao Santos em clássico no Pacaembu

Por Meu Timão

24 mil visualizações 802 comentários Comunicar erro

Fagner foi titular no clássico deste domingo

Fagner foi titular no clássico deste domingo

Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Golaço de reforço, “apagão”, presença do prefeito... Teve de tudo no Santos x Corinthians disputado no estádio do Pacaembu na tarde deste domingo. Um clássico com gosto amargo para a Fiel. O Corinthians ficou no empate por 1 a 1 com o rival praiano. Os gols foram de Renê Júnior e Diogo Vitor.

O duelo na capital paulista esbanjou um Pacaembu deteriorado. Aos 21 minutos da segunda etapa, o jogo acabou paralisado por falta de energia. Tal situação durou aproximadamente 50 minutos e prejudicou o Timão, que teve atuação apagada nesta tarde.

O clássico já havia ficado marcado na história antes mesmo de a bola rolar. Pela primeira vez, o Timão jogou no Pacaembu sem ao menos um corinthiano na arquibancada. Tal fato ocorreu devido à limitação de torcida única nos clássicos paulistas, medida imposta pelo governo estadual em abril de 2016.

Com relação à escalação alvinegra, o técnico Fábio Carille promoveu uma única mudança para a partida: Mateus Vital, titular no empate com o Millonarios (COL), na vaga de Rodriguinho, livre para atuar após suspensão na Libertadores.

Assim, o Corinthians entrou em campo com Cássio (capitão), Fagner, Balbuena, Henrique e Maycon; Gabriel e Renê Júnior; Romero, Jadson, Rodriguinho e Clayson.

Os 11 do Carille contra o Santos

Os 11 do Carille contra o Santos

Meu Timão

O Santos, por sua vez, recebia o atual campeão paulista desfalcado de seu camisa 10, o atacante Gabriel. A ausência fez o treinador Jair Ventura optar por mexer na equipe-base. O time da Baixada encarava o Timão com a seguinte formação: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Alison; Rodrygo, Vecchio, Léo Cittadini e Copete; Eduardo Sasha.

O clássico

Cinco minutos. Tempo suficiente para o Corinthians produzir sua primeira grande chance ofensiva no clássico. Após escanteio batido por Jadson, Rodriguinho dominou na grande área e finalizou de canhota. À queima-roupa, porém, o goleiro Vanderlei espalmou e evitou que o Timão abrisse o placar no Pacaembu logo no início.

A dupla “Jadriguinho” parecia inspirada no Pacaembu sem a Fiel. Com o Corinthians jogando sem centroavante fixo nem móvel, cabia aos meia-atacantes controlar a bola no meio de campo e criar lances de perigo diante de um Santos que não fazia lá tanta questão assim de ter a posse.

O Corinthians, como há alguns jogos não se via, dominou a primeira etapa. Sem pressa desnecessária, a equipe de Carille trabalhava a bola como queria e não demorou a marcar o primeiro do clássico. E que golaço!

Aos 19 minutos, Renê Júnior, ex-Santos, arriscou chute de fora da área e contou com desvio de Léo Cittadini para colocar o Corinthians em vantagem. E se engana quem pensa que o tento fez o Timão tirar o pé do acelerador...

Com Rodriguinho inspirado, a equipe alvinegra usava e abusava dos contra-ataques. Em um deles, Romero recebeu em condições, mas bateu mal, rasteiro, direto para a linha de fundo; em outro, o camisa 26 rolou para Maycon, que arrematou de chapa e levou a bola perto do canto direito de Vanderlei.

A ideia de Carille para o primeiro tempo já estava estendida para a etapa complementar: permanecer com a bola e fazer o Santos correr atrás do prejuízo. Tanto é que o Timão retornou do intervalo sem alterações, ainda que contasse com o trio de campeões mundiais Ralf, Danilo e Emerson Sheik no banco de reservas.

Com 21 minutos do segundo período, um balde d’água fria em ambas as equipes. Três torres de iluminação do Pacaembu apresentaram falta de luz, o que obrigou o árbitro Luiz Flávio de Oliveira a paralisar o embate por cerca de 50 minutos. No fim das contas, o incidente prejudicou tanto Corinthians como Santos.

A essa altura, Carille já havia trocado Clayson por Júnior Dutra e resolveu apostar em outro reserva, o atacante Emerson Sheik, que deixou o banco para substituir Jadson, visivelmente cansado.

O Santos se aproveitou e não demorou a marcar seu gol, com Diogo Vitor, que acabara de entrar no confronto e aproveitou rebote cedido por Cássio. Assim, corinthianos e santistas ficaram no 1 a 1 no Pacaembu.

Veja mais em: Crônica, Campeonato Paulista, Renê Júnior e Corinthians x Santos.

Quem Atuou

Títulares

Reservas

Técnico

Árbitro

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes