Corinthians leva gol com um minuto, demora a acender e perde a primeira na Libertadores

Corinthians Corinthians 1 x 2 Independiente Independiente

Libertadores 2018

Corinthians leva gol com um minuto, demora a acender e perde a primeira na Libertadores

31 mil visualizações 1.216 comentários Comunicar erro

Jogadores reclamam de expulsão de Sheik, no fim do segundo tempo

Jogadores reclamam de expulsão de Sheik, no fim do segundo tempo

Foto: Reprodução/FOX Sports

O Corinthians sofreu, na noite desta quarta-feira, para o Independiente (ARG), sua primeira derrota na atual edição da Copa Libertadores da América. Com um primeiro tempo irreconhecível e Emerson Sheik expulso na segunda etapa, a equipe alvinegra foi superada pelo time de Avellaneda pelo placar de 2 a 1 na Arena Corinthians, em Itaquera.

O revés, decerto, marcou o pior início de jogo do Corinthians em 2018. O primeiro tento dos visitantes surgiu logo no primeiro minuto, com Martín Benítez aproveitando sobra dentro da área. Aos 24, Romero marcou contra e ampliou. O gol de honra do Timão veio antes do intervalo, aos 31, com Jadson aproveitando assistência de Romero e tirando do goleiro.

Como citado acima, os donos da casa não terminaram o duelo com 11 jogadores. Isso porque o veterano Emerson Sheik, “à la” Rodriguinho contra a Universidad de Chile em 2017, deu pontapé em Sanchez Miño e foi expulso sem ao menos tocar na bola no fim do segundo tempo.

Leia também: veja como foi o lançamento do novo uniforme I do Timão

Para o embate desta quarta, Carille não contava com os titulares Fagner (com estiramento na coxa direita), Ralf (recuperação de cirurgia no ombro esquerdo) e Clayson (lesão no menisco do joelho direito), além de Renê Júnior, também fora de ação por procedimento cirúrgico (joelho direito).

O Timão, portanto, foi a campo com a seguinte escalação: Cássio, Mantuan, Balbuena (capitão), Henrique e Sidcley; Gabriel e Maycon; Romero, Rodriguinho, Jadson e Mateus Vital.

Escalação do Corinthians contra Independiente na Arena


Meu Timão

Já o Independiente, comandado por Ariel Holan e sob o esquema tático 3-4-3, era formado por: Campaña, Franco, Figal e Amorebieta; Bustos, Rodríguez Berrini, Domingo e Sanchez Miño; Meza, Silvio Romero e Martín Benítez.

Como fica o grupo?

A derrota dos brasileiros altera a configuração do Grupo 7 do torneio sul-americano. O Corinthians segue na liderança com os mesmos sete pontos; o Independiente, antes lanterna, vai a seis e sobe duas colocações; Deportivo Lara, também com seis, e Millonarios, completam a chave.

Sufoco impressionante!

O planejamento de Carille para o duelo em Itaquera foi por água abaixo já no primeiro minuto. Desligado, o Timão viu Meza tabelar com Romero (do Independiente), Cássio rebater e a bola sobrar limpa para Benítez, bem posicionado, abrir o placar na Arena Corinthians.

O tento pôs fogo no jogo que já prometia ser quente. Do lado corinthiano, era o start necessário para enfim entrar em campo; do lado argentino, novo motivo para acreditar em uma vitória sobre o atual campeão nacional em solo brasileiro.

Os primeiros minutos evidenciaram um Timão atordoado e aparentemente em outra sintonia. A equipe de Avellaneda, costumeiramente forte fora de casa, e também porque precisava da vitória, se mandava ao ataque com facilidade, sobretudo pelo lado esquerdo – Sidcley, titular do setor, cedia espaços aos visitantes. Aos cinco minutos, Cássio fez duas outras defesas e salvou o Corinthians do segundo gol. Ao menos por curto período.

Aos 24, o Independiente fez valer a superioridade técnica e tática em Itaquera até ali e anotou o segundo – ou melhor, Romero (o do Corinthians) marcou. Em cobrança de escanteio, o atacante alvinegro tentou afastar o perigo, mas acabou desviando contra a própria meta, sem chances de defesa para o goleiro Cássio.

Ao Corinthians de Carille, só restava uma única alternativa: ajustar o posicionamento da linha defensiva composta por Mantuan, Balbuena, Henrique e Sidcley, bastante alta, e atacar em velocidade, na base da troca de passes, triangulações e infiltrações, a fim de fazer Campaña trabalhar.

Apoiado pela Fiel, o Timão passou a colocar a bola no chão e rodar. Rodriguinho e Jadson, articuladores e homens mais avançados da equipe, já não seguravam posição, tudo para confundir o sistema defensivo do Independiente, que jogava com três zagueiros: Franco, Figal e Amorebieta.

Ángel Romero se redimiu do gol contra antes mesmo do intervalo. Não com gol, é bem verdade, mas com passe para o de Jadson. O camisa 10 recebeu cara a cara com Campaña, bateu de chapa, no canto esquerdo do arqueiro hermano, e diminuiu a vantagem dos visitantes.

Jadson descontou para o Corinthians aos 31 minutos

Jadson descontou para o Corinthians aos 31 minutos

Reprodução/FOX Sports

Aí não, Sheik...

Carille usaria o intervalo para mexer na escalação pela primeira vez: sacou Mateus Vital, um dos poucos a tentar o “algo diferente” na primeira etapa, para a entrada de Marquinhos Gabriel. A aparição do camisa 21 também mexia no esquema tático 4-2-4, substituído pelo antigo 4-2-3-1 – Marquinhos na direita, Jadson na esquerda, Rodriguinho centralizado e Romero, mais à frente, como falso 9.

A partida seguia monótona mesmo com a alteração. O Corinthians era lento e pragmático pela beirada do campo e mal levava perigo à área argentina. Carille, então, não demorou a colocar em campo seu reserva com mais qualidade técnica: Pedrinho, joia alvinegra e xodó da torcida.

A noite não parecia ser preta e branca. Rodriguinho, longe do nível esperado, errava passes simples e não conseguia dar peso ofensivo ao time corinthiano, carente de um camisa 9 – Roger, lembre-se, foi contratado depois do prazo para inscrição de reforços na primeira fase da Libertadores.

Carille se virava como podia no banco de reservas. Não só gesticulando e indicando aos jogadores o melhor caminho para o empate, mas também com mudanças: aos 33, deu chance a Emerson Sheik na vaga de Jadson, exausto.

O que parecia favorável mudou de cenário. Sheik, tão experiente e acostumado com Libertadores, sequer precisou encostar na bola para ser expulso. O atacante de 39 anos de idade levantou Sanchez Miño, que fazia cera, e recebeu cartão vermelho do árbitro peruano Victor Carrillo.

Com um a menos, coube ao Timão se “contentar” com a derrota por uma diferença mínima. O próximo jogo de Carille & cia já acontece neste domingo, diante do Ceará, às 11h, novamente na Arena Corinthians.

Confira os próximos jogos do Corinthians

06 Mai, Dom, 11h00 - Corinthians x Ceará
10 Mai, Qui, 19h30 - Corinthians x Vitória
13 Mai, Dom, 16h00 - Corinthians x Palmeiras
17 Mai, Qui, 21h30 - Deportivo Lara x Corinthians
20 Mai, Dom, 16h00 - Sport x Corinthians
24 Mai, Qui, 21h30 - Corinthians x Millonarios

Veja mais em: Crônica, Libertadores da América, Romero, Jadson e Emerson Sheik.

Quem Atuou

Títulares

Reservas

Técnico

Árbitro

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes