O Cinto do Neco

O Cinto do Neco
Charge de Pedro de Kastro sobre o 'Episódio da Cinta'

Como tudo tem um início, a história dos Ídolos do Corinthians não poderia ser diferente. Manoel Nunes, o Neco, foi o primeiro jogador a ser adorado pela Fiel torcida. Foi também o que mais jogou pelo Clube: foram 18 anos, de 1913 a 1930. Aos 15, ele já atuava pelo Timão.  O jogador foi o primeiro a doar uma bola de futebol para o alvinegro, comprada com o dinheiro que ele recebia realizando trabalhos como marceneiro

O primeiro ídolo do Corinthians teve sorte. A maioria dos grandes jogadores desta época foram esquecidos por seus respectivos clubes. É raro ver um time que realiza homenagens tão importantes para atletas que participaram de elencos nos anos de 1913. Neco ganhou estátua no Parque São Jorge e virou nome de rua. Teve biografia escrita (O Primeiro Ídolo, feita por Antonio Roque Citadini) e foi um dos nomes mais lembrados nas comemorações do Centenário do alvinegro.

Os jogos entre Corinthians e Palmeiras (que na época era denominado de Palestra Itália) eram marcados pelas confusões que rolavam dentro do campo – é daí que podemos dizer também sobre a rivalidade eterna entre os dois times.  Em um desses jogos, no dia 5 de dezembro de 1920, o Timão vencia por 2x1, quando Neco se chocou com o goleiro alviverde, o Primo. Os dois, irritados, começaram a brigar e o tempo fechou. Naquele período, os jogadores usavam cinto nos calções, para que o mesmo não caísse durante a partida. Com os ânimos alterados, Neco arrancou o cinto e saiu acertando o goleiro adversário.

Depois desse acontecimento era comum ouvir das arquibancadas a torcida gritando “Tira a cinta, tira a cinta!” sempre que acontecia algo que não era do agrado da Fiel. Num jogo, em 1928, contra a Portuguesa, esse mesmo episódio também aconteceu. Foi no Parque São Jorge, após o juiz confirmar um gol duvidoso do Corinthians. Os dirigentes da Lusa invadiram o campo revoltados e, claro, Neco ameaçou tirar o cinto mais uma vez e acertar em todos. Dizem que até pro juiz sobrou cintada!

Infelizmente, várias gerações de Corintianos não puderam presenciar estes momentos do futebol. Por isso se tornou obrigação do Sport Club Corinthians Paulista nunca deixar episódios como esses caírem em esquecimento!

Comentários

  • 1000 caracteres restantes