As embaixadinhas do Capetinha

As embaixadinhas do Capetinha
O momento da provocação do craque Edílson
Foto: Reprodução/Corinthians

Em 1999, o Corinthians viveu uma fase de glórias, conseguindo ser campeão do Paulista e do Brasileiro numa única temporada. Como tudo para o time do Parque São Jorge costuma ser sofrido e difícil, as taças constituíram um momento histórico e foram muito comemoradas.

Dérbi decisivo

No dia 20 de junho daquele ano, o Timão ainda levantaria o caneco do título estadual. Antes disso, aos 31 minutos do segundo tempo da grande decisão, Edílson da Silva Ferreira, o Capetinha, escreveu mais um capítulo turbulento entre os dois maiores rivais do futebol brasileiro: Corinthians e Palmeiras. O palco da confusão foi o estádio do Morumbi.

No primeiro jogo da final, o Timão ganhou com um placar elástico de 3 a 0. Os gols foram de Edílson, Marcelinho e Dinei. Com isso, o Corinthians precisava apenas de um empate no próximo duelo para se sagrar campeão. A torcida corinthiana lotou o estádio na expectativa pela taça. Assim, acabou presenciando mais uma passagem histórica da equipe. 

O Timão entrou confiante no gramado e Marcelinho foi o primeiro a balanças as redes. No entanto, Evair empatou e, depois, virou para o Palmeiras. Aos 28 minutos do segundo tempo, Edílson fez o seu e deixou o resultado em 2 a 2. O autor do último gol alvinegro, então, resolveu tirar onda com os adversários.

Edílson defendeu o Corinthians na final do Paulista de 1999

Provocação e desfecho

Ele dominou a bola e começou a fazer embaixadinhas e malabarismos, inclusive, sobre as próprias costas. A partir daí, os palmeirenses ficaram com os ânimos à flor da pele e partiram para cima de Edílson. Naquele momento, o campo virou uma bagunça. A briga generalizada impediu o final da partida e o Corinthians foi campeão com o placar agregado 5 a 2.

Em uma entrevista para a revista Placar, Edílson disse que não se arrepende pelo que fez.

"Vários jogadores do Palmeiras entrariam em campo com o cabelo verde e alguns estavam com as faixas de campeão da Libertadores dentro do calção. A gente queria fazer alguma coisa, mas não sabia o quê. Na hora, veio a embaixadinha. Foi automático, não programado e não me arrependo" revelou o Capetinha.

A taça de 1999 representou o vigésimo terceiro título do Paulista para o clube do Parque São Jorge. O episódio ficou conhecido como “As embaixadinhas do Capetinha” e foi registrado como um fato marcante dentro da história do futebol brasileiro.

Confusão no título do Corinthians

 

Comentários

x