2012 - Corinthians 1x0 Vasco

2012 - Corinthians 1x0 Vasco
Em cena histórica, Paulinho abraça torcedor pelas grades do Pacaembu
Pacaembu
,
Corinthians Escudo do Corinthians
1 x 0
Vasco Escudo do Vasco

Ficha Técnica

Placar: Corinthians 1 x 0 Vasco
Data: 23.05.2012
Estádio: Pacaembu
Campeonato: Libertadores
Público: 34.974 pagantes
Escalação:Cássio, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos, Ralf, Paulinho, Danilo, Alex, Emerson e Jorge Henrique.
Técnico: Tite

Foi um jogo muito tenso, repleto de fortes emoções e que, talvez, seja lembrado como a partida mais emocionante da Libertadores 2012.

O Corinthians começou o primeiro tempo levando mais perigo ao gol vascaíno. Apesar disso, os times estavam se respeitando, ninguém arriscava um lance mais perigoso e os goleiros preferiam socar a bola a segurá-la. Mas com um Pacaembu lotado e a torcida dando show, ninguém se preocupou com a falta de lances bonitos.

Num primeiro tempo de poucas chances, a melhor certamente veio da cabeça de Paulinho, que após cruzamento de Alex, mandou forte para o gol do Vasco, forçando Fernando Prass a fazer a defesa. O placar então seguiu sem ser alterado até o intervalo, os jogadores mais se estudavam do que se lançavam a fazer as jogadas efetivamente.

Após essa primeira etapa sem tantas emoções, o torcedor jamais esperaria que poderia dar um infarto num segundo tempo totalmente oposto.

A começar pela expulsão de Tite, que reclamou de falta não marcada para o Corinthians e foi mandando para fora do campo. Mas ninguém esperava é que o técnico do Timão fosse assistir ao resto da partida da arquibancada, ao lado do torcedor. Foi certamente uma cena inusitada e histórica.

Para acelerar ainda mais o coração da Fiel, Alessandro perde uma bola no meio-campo e Diego Souza sai em disparada contra a meta do Corinthians, sozinho. Era um contra um. Diego versus Cássio. Esse lance de poucos segundos demorou uma eternidade na mente do corintihiano, mas, para delírio da Fiel, Cássio fez uma defesa espetacular. Com a ponta dos dedos, o arqueiro mandou o chute rasteiro do jogador vascaíno para fora. A torcida comemorou como um gol.

Na cobrança do escanteio oriundo dessa defesas, o jogador Nilton, do Vasco, subiu mais alto que a defesa corinthiana e ainda conseguiu mandar uma bola no travessão. Haja coração!

O Corinthians, por sua vez, respondeu com Emerson Sheik, que também acertou a trave do goleiro vascaíno.

Ambas as equipes estavam pressionadas, mas foi o Corinthians a alcançar o objetivo. O gol veio de uma linda cabeçada do volante Paulinho, que, enlouquecido, foi comemorar no alambrado do Pacaembu abraçando um sortudo torcedor que comemorava, também fora de si, o tento do Timão.

Era 42 minutos do segundo tempo, o Vasco pouca coisa pode fazer, a não ser assistir a festa da classificação do dono da casa. Pela segunda vez na história, o Corinthians chegava a uma semifinal de Libertadores.

Comentários

  • 1000 caracteres restantes