1910 - Corinthians 2x0 Estrela Polar

1910 - Corinthians 2x0 Estrela Polar
A primeira formação corinthiana e, no detalhe, Luigi Fabbi, autor do primeiro gol
Campo do Lenheiro
,
Corinthians Escudo do Corinthians
2 x 0
Estrela Polar Escudo do Estrela Polar

Ficha Técnica

Jogo: Primeira Vitória

Placar: Corinthians 2 x 0 Estrela Polar

Data: 14.set.1910

Estádio: Campo do Lenheiro na Rua dos Imigrantes (atual José Paulino, Bom Retiro, São Paulo - SP) 

Escalação: Valente, Perrone e Atílio; Lepre, Alfredo e Police; João da Silva, Jorge Campbell, Luigi Fabbi, César Nunes e Joaquim Ambrósio. Capitão: Rafael Perrone

O segundo jogo do Corinthians foi no Campo do Lenheiro, localizado no bairro de sua fundação, o Bom Retiro. Em casa, o Timão conseguiu a sua primeira vitória contra o Estrela Polar, outra equipe varzeana. A partida histórica aconteceu no dia 14 de setembro de 1910.

O Corinthians entrou em campo muito mais confiante do que em seu primeiro duelo, tendo em vista que, mesmo saindo derrotado na estreia, o grupo ficou contente com a atuação. O resultado, então, não tinha como ser outro: 2 a 0, marcando a primeira vitória do Timão e registrando os primeiros gols anotados pelo clube alvinegro.

O primeiro tento corinthiano foi feito pelo centroavante Lugi Salvatore Fabbi Filho, um italiano que nasceu em 2 de maio de 1890, na cidade de Parma. Com o gol, ele foi eternizado na história. Alguns anos depois, após perder a posição de titular, Fabbi ficou chateado e foi jogar no Palestra Itália (atual Palmeiras), junto com seu irmão, Maturo Fabbi.

O outro tento do Corinthians no confronto foi marcado por Jorge Campbell. O curioso é que esse foi o único gol que ele fez em sua breve passagem pelo Timão. Foram apenas sete jogos com a camisa alvinegra, sendo seis vitórias e uma derrota.

A escalação do Corinthians, montada pelo capitão e fundador Rafael Perrone, numa época em que ainda não existiam treinadores, teve Valente, Perrone, Atílio, Lepre, Alfredo, Police, João da Silva, Jorge Campbell, Fabbi, César Nunes e Joaquim Ambrósio.

Comentários

x