1982 - Corinthians 3x1 São Paulo

1982 - Corinthians 3x1 São Paulo
Jogadores comemorando a conquista do Campeonato Paulista de 1982
Morumbi
,
Corinthians Escudo do Corinthians
3 x 1
São Paulo Escudo do São Paulo

Ficha Técnica

Placar: Corinthians 3 x 1 São Paulo

Data: 12.dez.1982

Estádio: Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi)

Campeonato: Paulista

Público: 66.851 pagantes

Escalação: Solito, Alfinete (Zé Maria), Mauro, Daniel Gonzáles e Wladimir; Paulinho, Sócrates e Zenon (Eduardo); Ataliba, Casagrande e Biro-Biro.

Técnico: Mário Travaglini

A Democracia Corinthiana, um movimento revolucionário fora de campo, deu resultado também dentro dele. Em meio à ditadura militar, o Corinthians foi um dos principais expoentes no futebol pela luta contra o regime e pelo direito ao voto.

Em 1982, o São Paulo estava cheio de craques e vinha de um bicampeonato paulista, sendo o favorito para ficar com mais uma edição do torneio. No entanto, o Timão, comandado por Sócrates, venceu as duas finais contra o rival. A primeira partida, disputada no dia 8 de dezembro daquele ano, ficou em 1 a 0 com gol do próprio Sócrates.

A escalação de Mário Travaglini na segunda final teve Solito; Alfinete, Mauro, Daniel González e Wladimir; Paulinho, Sócrates e Zenon; Ataliba, Casagrande e Biro-Biro. Ao longo da disputa, entraram Zé Maria e Eduardo nos lugares de Alfinete e Zenon, respectivamente.

Mesmo precisando apenas do empate no segundo jogo, o Corinthians deu uma aula de democracia e de futebol na grande decisão, realizada no dia 12 de dezembro, no estádio do Morumbi. O primeiro tempo foi pegado, cheio de jogadas fortes e até meio violentas.

Na segunda etapa, o duelo continuou truncado, mas melhorou. Tanto que, após uma jogada de Sócrates com direito a toque de calcanhar, Biro-Biro invadiu a área e marcou o primeiro tento do Timão no confronto. Com 1 a 0 no placar, o São Paulo precisava atacar.

O adversário, então, chegou ao gol de empate com Darío Pereyra. Depois disso, continuou buscando mais um tento para reverter a vantagem do Corinthians. Numa jogada de contra-ataque, porém, a bola foi lançada para Biro-Biro, dentro da área, que finalizou pelo meio das pernas de Waldir Peres. Assim, deixou o resultado momentâneo em 2 a 1 para o Timão.

Aos 41 minutos, em jogada de Ataliba, Casagrande marcou o terceiro gol do Corinthians, o seu 28º no campeonato e que o fez ser artilheiro da competição. A equipe alvinegra começava a dar um exemplo de democracia não só no futebol, mas para todo o país.

O Timão provou que, num regime livre, onde todos tinham o mesmo poder de decisão, do presidente ao roupeiro, os resultados eram possíveis. A partida ficou em 3 a 1 para o Corinthians, que foi campeão paulista pela 18ª vez. Essa é a história do primeiro título da Democracia Corinthiana e do começo da luta efetiva contra a ditadura militar no Brasil.

Comentários

x